Páginas

sábado, 8 de julho de 2017

O legado de 9 de Julho

Luiz Gonzaga Bertelli*
 
 
A data 9 de Julho para os paulistas tem um significado especial na saga das lutas pelo estado democrático de direito. Em 1932, quatro jovens foram mortos na Praça da República, durante protesto contra as forças de Getúlio Vargas, dando origem ao símbolo MMDC (Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo). Foi o estopim para a fase revolucionária do movimento paulista pela reforma constitucionalista, por eleições diretas e pela deposição do governo provisório, autoritário e resultado de um golpe. O Estado de São Paulo foi uma voz isolada na tentativa de combater os desmandos do governo federal. Mas nem por isso a população curvou-se, lutando bravamente por um país melhor.
O conflito armado, conhecido como Revolução Constitucionalista de 1932, mobilizou grande parte dos cidadãos do estado. Homens, mulheres e jovens serviram como voluntários para defender uma causa. A árvore gerou frutos, apesar da derrota dos paulistas, com a convocação de Assembleia Constituinte por Vargas no ano seguinte e a promulgação da Constituição de 1934. No entanto, a maior luta armada da história de São Paulo deixou pelo menos três mil mortos. 
O feriado de 9 de Julho, instituído desde 1997, foi a forma encontrada para resgatar a memória do evento que deixou importantes legados para o Brasil. Segundo historiadores, podemos citar, entre eles, a opção pela industrialização, o aprendizado da mobilização popular e a emancipação feminina. Outra herança importante da revolução constitucionalista foi o investimento em educação. Após o conflito, o paulista Armando de Salles de Oliveira foi nomeado interventor federal. Com Júlio de Mesquita Filho, diretor do jornal O Estado de S. Paulo, articulou a criação da Universidade de São Paulo. De acordo com o historiador José de Souza Martins, sem a revolução, a USP não teria sido criada. Foi uma espécie de resposta do bem, após o fracasso bélico.
É importante salientar que, apesar da derrota nas armas, São Paulo, como pode se notar, saiu bastante fortalecido do embate. Com o desenvolvimento de seu parque industrial, o investimento em educação e a força de trabalho que sempre moveu seus habitantes, a metrópole tornou-se a principal referência para o país, hoje o maior PIB brasileiro disparado e, segundo projeções da PricewaterhouseCoopers, deverá chegar ao sexto maior PIB entre as cidades mundiais em  2025.
*Luiz Gonzaga Bertelli é presidente do Conselho de Administração do CIEE, do Conselho Diretor do CIEE Nacional e da Academia Paulista de História (APH).

Férias: permita-se o livre brincar

Ziza Pereira
 
 
Crianças que brincam são mais espertas, curiosas e aprendem com mais facilidade. Férias é um tempo maravilhoso para investir nisso. E aqui investir não significa gastar "rios" de dinheiro, mas usar a criatividade e ser presença.
 
Afinal, se brincar já é gostoso, fazer isso em família é maravilhoso. Brincar com os filhos é uma oportunidade para conhecê-los e estreitar os laços, que, muitas vezes, vamos perdemos com o ritmo frenético do dia a dia. Infelizmente, desacostumamos a ficar com os filhos, olhar nos olhos, ter uma boa conversa e fazer com que se sintam realmente importantes pra nós.
 
As férias já chegaram para muitos, e os pais se questionam: o que fazer com a criança cheia de energia pela casa o dia todo? Esse "não ter nada pra fazer" também é importante, pois dá espaço para as brincadeiras. Muitas vezes, vendo o exemplo dos pais, os filhos também passam a achar certo, sempre estar ocupado, nem que seja com um celular na mão. Aliás, é preciso reduzir o uso exagerado de tecnologias e um consumismo desenfreado que deixa as relações cada vez mais superficiais.
 
As férias escolares são um bom motivo pra parar, viver o descanso, voltar a estar com a família, aproveitar cada canto da casa, fazer atividades diferentes. É um bom momento para retomar as coisas simples, as brincadeiras que realmente fazem pensar e suar a camisa. Que tal fazer programas em família pra dar boas risadas? Às vezes estamos tão distantes de quem amamos que deixamos de conversar, rir de coisas simples.
 
Uma boa dica é recorrer às brincadeiras da nossa infância. Ensinar para as crianças as cantigas de roda, brincar de correr, fazer piquenique, criar algo com sucata. Quem sabe levá-las para a cozinha e fazer receitas divertidas? Ainda vale um cineminha gostoso, programar um acampamento ou organizar passeios com outras mães, afinal, as crianças amam encontrar os amigos fora da escola.
 
Cada idade exige algo específico e seria bom fazer uma programação, principalmente para quem tem mais filhos. Apesar dos pais geralmente não estarem de férias junto com os filhos, vale, deixar algo para as crianças ou adolescentes fazerem enquanto eles trabalham. Quando a brincadeira é organizada e pensada com antecedência é bem mais proveitosa e contribui para o desenvolvimento.
 
Crianças também têm estresse, principalmente em dias que a escola cobra mais resultados. Sim, elas já sofrem essa carga! Então, férias são dias pra relaxar e esfriar a cabeça. "Desintoxicar", recuperar as forças para poder voltar à escola com uma nova disposição.
 
Por isso, a importância do afeto por meio da presença nesse tempo também. É possível criar uma programação de férias balanceada em que a criança tenha como se distrair nos momentos que ficará mais sozinha, com outras crianças e com a família. A criança se sente amada quando percebe que seus pais pensam nela e desejam curtir os bons momentos juntos!
 
Aproveitem as férias!
 
*Ziza Pereira é missionária da comunidade Canção Nova.


Mesas para o show da dupla Chrystian e Ralf estão se esgotando

 
A Santa Casa de Jales apresentará no dia 20 de outubro uma das duplas de maior prestigio no cenário sertanejo, Chrystian e Ralf, reconhecida como as vozes mais afinadas do Brasil.

O setor de Captação de Recursos, responsável pela organização do evento, evidencia que restam poucos lugares e que as mesas de dez lugares e cadeiras poderão ser divididas em até oito vezes no cartão de crédito ou cheque para o dia 20 de setembro.

"A procura está cada vez maior, estamos recebendo ligações de toda região que por conhecerem o formato do nosso evento querem prestigiar e ajudar a Santa Casa. Acreditamos que será mais um sucesso de público", relatou a gestora de Captação, Luciana Vicente.

Chrystian & Ralf tem várias músicas como temas de novelas globais. Só o CD com a música Minha Gioconda com a participação de Agnaldo Rayol vendeu mais de um milhão de cópias, gravado no ano de 1996, para a novela Rei do Gado, o que proporcionou a dupla gravar um clipe na Itália e a ganharem uma medalha pelo tema.

A dupla faz parte do "quinteto de ouro da música sertaneja", já que sempre esteve entre as cinco maiores duplas do Brasil. Tendo várias músicas regravadas, por duplas e cantores do chamado sertanejo universitário.

Secretários municipais de educação se reúnem dia 12 de julho em Votuporanga



 
Na quarta-feira, 12 de julho, Votuporanga recebe encontro que reúne secretários de educação e técnicos de 53 municípios da região.

O objetivo do evento é discutir a respeito da construção de uma parceria dos municípios de ADE com o projeto RAE que visa promover o trabalho colaborativo intermunicipal, a partir dos desafios do território. Profissionais da consultoria Oficina Municipal também participarão da reunião para facilitar os diálogos.

O evento é uma iniciativa do ADE (Arranjo de Desenvolvimento da Educação do Noroeste Paulista), em parceria com o projeto RAE (Rede de Apoio à Educação, iniciativa do Instituto Natura). "A partir do trabalho em conjunto, queremos uma gestão mais organizada para a nossa educação, o que levaria a um aumento do nível de qualidade do ensino que oferecemos aos nossos alunos", declarou a coordenadora executiva do Arranjo do Desenvolvimento da Educação do Noroeste do Estado de São Paulo e Secretária da Educação de Votuporanga, Encarnação Manzano.

"O ADE Noroeste Paulista realiza um importante trabalho na educação municipal regional, nosso desejo é contribuir para aprofundar este trabalho colaborativo", explica o coordenador da RAE, André Lopes. "Trabalhar junto e trocar experiências, possibilitam uma maior capacidade de realizações." completa.

Os munícipios da região convidados para a reunião são: Aparecida D’ Oeste, Aspásia, Dirce Reis, Dolcinópolis, Jales, Marinópolis, Mesópolis, Nova Canaã Paulista,Pontalinda, Populina, Rubinéia, Santa Albertina, Santa Clara D´oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita D´oeste, Santana da Ponta Pensa, Santa Salete, São Francisco, Três Fronteiras, Turmalina, Urânia e Vitória do Brasil.

1º Desafio festeja o Basquete de Jales e promove encontro de gerações

foto - No sentido relógio (em pé): Vereador Zanetoni, Thiago Dan, Fábio Galan, Robson Cruz, João Tunussi, Carlos "Birigui", André Salviano, Thomás Freitas e Márcio Fister. Agachados: Adagoberto Navarro, Vilter Miura, Thiago Silva, Osvaldo Paz Landin, Júlio Aldrigue, Renato Silva, Victor Pereira, Gustavo Silva, Oswaldo Valente, João H. Caparroz e Allan Oliveira.



No domingo, 2 de julho, aconteceu em Jales o 1º Desafio de Basquetebol de Jales, envolvendo as equipes jalesenses que disputam a Liga Regional nas categorias Livre e Master.


O evento, idealizado e organizado pelos atletas de ambas equipes, teve como objetivo celebrar o esporte, de tradicional e rica história em nossa cidade e trazer para Jales um confronto entre as equipes que, atualmente, representam a cidade em suas respectivas competições.

Como as competições, equivalentes à Liga Regional, acontecem em São José do Rio Preto, sediadas, organizadas e custeadas pelo Clube Monte Líbano, o público jalesense acaba por não poder acompanhar partidas do esporte na cidade de Jales. Portanto, o evento serviu de oportunidade para os praticantes, adeptos e simpatizantes do esporte poderem acompanhar as equipes de Jales em ação.

Ao mesmo tempo, o público que se fez presente no ginásio pode ver em ação atletas que disputaram o basquete em competições de ponta na época áurea do basquete em nossa cidade, jogando por Jales ou por outras equipes Brasil afora, como é o caso de João Luiz Tunussi, Carlos "Birigui" e Robson da Cruz, que hoje disputam por Jales a categoria Master (para atletas acima de 40 anos). A eles, compondo as equipes, somam-se vários outros atletas que defenderam as cores de nosso município e de outras cidades ao longo da história não muito longínqua em categorias de base, Jogos Regionais e outras competições, todos, de alguma maneira, com vivência no esporte.

As equipes, que disputam competições distintas, vivem momentos diferentes em seus campeonatos: a equipe Master, que disputa a 2ª Copa Monte Líbano e conta com 06 equipes participantes, já disputou 06 jogos e venceu todos, apresentando uma supremacia inconteste ante aos seus adversários (Catanduva, Monte Líbano A, Cedral, Monte Aprazível e Monte Líbano B). Já a equipe que disputa a 1ª divisão da Categoria Livre, iniciou bem a competição, chegando a ocupar o 3º lugar na tabela, mas, com muitos lapsos em quadra, não vem conseguindo bons resultados e ocupa atualmente a 8ª posição na classificação, à frente de Ilha Solteira, Votuporanga, Monte Líbano B e Famerp/Rio Preto e atrás de Monte Líbano A, Cedral, Barretos, Monte Aprazível, Fernandópolis, Catanduva e Potirendaba.

O público que se fez presente ao ginásio pode, no entanto, acompanhar um confronto bastante equilibrado, com alternância das equipes à frente do placar. O primeiro quarto da partida terminou 20 a 16 em favor da equipe Livre. Já o segundo quarto foi vencido pela equipe Master, por 22 x 21, fechando o primeiro tempo da partida em 41 (Livre) x 38 (Master). No terceiro quarto, a equipe Master buscou a recuperação, atacou e defendeu-se melhor, fechando o quarto com o placar de 18 x 14, assumiu o placar e acirrou o confronto, totalizando, portanto, 56 (Master) x 55 (Livre). No último quarto, as equipes se equilibraram até o finalzinho da partida, mas a equipe Livre conseguiu anotar 22 pontos e permitiu que a equipe Master anotasse 17 pontos, fechando a partida com o placar de 77 x 73 a seu favor.

Pela equipe Livre, jogaram e pontuaram: João Henrique Caparroz, Allan Oliveira (15), Thiago Silva (17), Vilter Miura (02), Thomás Freitas (22), Victor Yago Pereira, Júlio Aldrigue (01), Thiago Dan (14) e Oswaldo Valente (06).

Pela equipe Master, jogaram e pontuaram: Gustavo Silva (03), João Tunussi (05), Osvaldo Paz Landin (04), Carlos "Birigui"(17), Márcio Fister (02), Robson Cruz (08), André Salviano (19), Fábio Galan (07), Adagoberto Navarro (04) e Renato Silva (04).

Antes do início do confronto, que contou com a animação do Secretário Interino de Esportes Ademir Molina, promovendo uma verdadeira festa esportiva, o público pode, além de interagir em várias brincadeiras, ainda, acompanhar uma disputa de habilidades entre os jogadores das equipes: houve torneio de arremessos de três pontos, vencido pelo atleta Vilter Miura; percurso de habilidades, vencido pelo atleta Thiago Silva; disputa de lances livres, vencido pelo atleta Júlio Aldrigue, além de percurso finalizado com enterrada, vencido pelo atleta Thiago Dan.

18 municípios da região são contemplados com Planos Municipais de Saneamento

 

Américo Sampaio, coordenador de Saneamento da SSRH, no encontro técnico regional da UGRHI 6 sobre o trabalho de elaboração dos planos

Crédito foto: Divulgação SSRH


 

 
 
 
A Secretaria de Saneamento de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo e os municípios envolvidos no processo de elaboração dos Planos Municipais Específicos de Saneamento concluíram a etapa dos encontros técnicos regionais, as chamadas reuniões de partida. Participaram 120 dos 164 municípios contemplados, cerca de 70% do total, o que, na avaliação da CSAN – Coordenadoria de Saneamento da SSRH e do consórcio Engecorps-Maubertec, contratado para dar suporte ao trabalho, mostra o grande interesse dos municípios.
 
"É fundamental o envolvimento das prefeituras e dos grupos executivos municipais no processo de elaboração dos planos. Quanto maior o envolvimento, melhor será o plano e mais bem refletidas estarão nele as necessidades da população local", destacou Américo Sampaio, coordenador de Saneamento da SSRH e engenheiro sanitarista, lembrando que os planos pertencem aos municípios e, portanto, devem ser espelhar as necessidades locais.

Alto Tietê - A última reunião de partida aconteceu no dia 5 de julho, em São Paulo, com apoio da Fundação Agência da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê – FABHAT. Compareceram representantes das prefeituras e do Grupo Executivo Local – GEL da Unidade Hidrográfica de Gerenciamento de Recursos Hídricos 6 - UGRHI 6, num total de 25 pessoas. Os municípios presentes foram: Arujá, Cotia, Francisco Morato, Itapecerica da Serra, Jandira, Poá e Rio Grande da Serra. O diretor presidente da FABHAT, Hélio Suleiman, também participou do evento. Na reunião, Américo Sampaio explicou o contexto da iniciativa e o estágio atual dos planos municipais de saneamento no Estado de São Paulo. O Consórcio

Engecorps-Maubertec apresentou as premissas básicas para a elaboração dos planos, a relação dos integrantes da equipe técnica e as respectivas funções, os procedimentos para fornecimento de dados pelas Prefeituras, pelos operadores dos sistemas e demais entidades envolvidas, e a agenda de visitas para coleta de dados.

"Como nas reuniões realizadas nas outras UGRHIs, mais uma vez nós ressaltamos a importância da participação do GEL no fornecimento dos dados e o seu envolvimento na aprovação dos produtos bem como a divulgação das etapas do trabalho para os munícipes interessados, reforçando a transparência e o controle social como princípio de uma gestão pública comprometida e ambientalmente sustentável", lembrou Américo Sampaio.

Planos específicos - Para cada município, o plano elaborado contemplará as necessidades locais, podendo abranger três áreas: 1) Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, 2) Limpeza Urbana e Manejo dos Resíduos Sólidos, e 3) Drenagem e Manejo de Águas Pluviais Urbanas. O planejamento leva em conta a projeção do crescimento populacional de cada município nos próximos 20 anos, bem como a previsão das possíveis indústrias que se instalarão na região, atividades que podem ser incorporadas, levantamento de todas as obras que precisarão ser feitas para suprir as necessidades da população e a análise do provável aumento da demanda.

Com o plano realizado, é feito um cálculo dos possíveis investimentos a serem realizados pelo município para a concretização do plano e o atingimento das metas estabelecidas. Os planos constituem ferramentas essenciais para que os titulares dos serviços façam a gestão adequada à prestação de serviços de saneamento básico, possibilitando assim a melhoria das condições de vida da população. Além disso, cumprem os dispositivos legais estabelecidos na Lei 11.445/07, que condiciona o recebimento de verbas federais à elaboração dos planos.

Com a elaboração dos planos dos 164 municípios que faltam, a previsão é de que, em um ano, São Paulo se torne o primeiro estado do País a ter planos para todos os seus 645 municípios, conforme determinado na Lei Nacional de Diretrizes para o Saneamento Básico (11.445/2007). A elaboração dos 164 planos municipais contemplados é coordenada pelo consórcio Engecorps-Malbertec, vencedor da licitação realizada em 2016, com um investimento de R$ 9,5 milhões em recursos do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos).

Dos 164 municípios contemplados com os Planos de Saneamento 18 são da região de Jales: Aspásia, Dirce Reis, Dolcinópolis, Jales, Marinópolis, Mesópolis, Nova Canaã Paulista, Palmeira d’Oeste, Paranapuã, Pontalinda, Populina, Santa Albertina, Santa Rita d’Oeste, São Francisco, Três Fronteiras, Turmalina, Urânia, e Vitória Brasil.

Delegado de Polícia Higor Jorge, escolhido entre os melhores do Brasil

 
Os delegados de polícia Higor Vinícius Nogueira Jorge e Francisco Sannini Neto, ambos do Estado de São Paulo, estão entre os melhores delegados de polícia do Brasil. É o que diz um levantamento do Portal Nacional dos Delegados & Revista da Defesa Social, que procurou reconhecer e homenagear os delegados que se destacaram nas atividades jurídica, investigativa e de gestão.

Higor Jorge e Francisco Sannini foram eleitos na categoria Jurídica, tendo as próprias trajetórias reconhecidas e premiadas através do empenho e da excelência dos serviços prestados à sociedade.

Além deles, os delegados Alessandro Barreto, Bruno Zanotti, Cleopas Isaías, Emerson Wendt, Henrique Hoffmann e Márcio Anselmo também foram eleitos na mesma categoria, dentre os delegados de polícia de todo o Brasil.

Para falar sobre a premiação e outros temas atrelados a segurança pública, o jornal Folha Noroeste coversou com o delegado Higor Vinicius Nogueira Jorge.

Folha Noroeste - Há quantos anos o senhor exerce a função de delegado de polícia e em quais cidades que já trabalhou?

Higor Jorge - Tomei posse como delegado de polícia em 2004. Anteriormente já trabalhei como recenseador do IBGE, escriturário da prefeitura e advogado. Em 2004 iniciei minha carreira no plantão policial em São Paulo, no 46º DP – Perus, depois 91º DP – Ceasa, depois 27º DP – Campo Belo e depois na Divisão de Inteligência Policial do Departamento de Inteligência da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Em 2008 solicitei transferência para a cidade de Lins, aonde trabalhei na Assistência da Seccional, Centro de Inteligência, 2º DP e Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes. Em 2009 passei a trabalhar na minha cidade natal, Santana da Ponte Pensa, depois Cardoso e atualmente em Santa Fé do Sul.

Folha Noroeste - Depois desse tempo exercendo a função de delegado, como é estar entre os "Melhores Delegados de Polícia do Brasil em 2017"?

Higor Jorge - Fiquei muito feliz ao saber da homenagem e estendo os cumprimentos a Deus, aos meus familiares, a todos delegados, policiais civis e policiais militares que já trabalhei e/ou ainda trabalho, pois devo a todas essas pessoas qualquer elogio que receber, pois aprendi e tenho aprendido no dia a dia com todos. Lógico que não posso me esquecer de enaltecer o exemplo dos meus pais, na vida pessoal e também na vida policial, que me ensinam todo dia novas lições sobre como exercer o trabalho policial com dignidade e respeito ao próximo.

Folha Noroeste - Essa escolha se baseou em algum trabalho específico ou é um apanhado geral durante a carreira?

Higor Jorge - Tivemos a oportunidade de participar da elaboração de algumas obras, principalmente relacionadas com investigação criminal, crimes cibernéticos, inteligência policial, dentre outros assuntos e também visitar quase todos estados da federação para capacitar os policiais civis sobre procedimentos de investigação de crimes eletrônicos. Há alguns anos esse tema era ainda muito recente e não existiam ainda publicações especializadas sobre isso. Em conjunto com o delegado Emerson Wendt, do Rio Grande do Sul, foi possível criar métodos de investigação de crimes eletrônicos que foram adotados em todo o país e creio que esses aspectos ajudaram a nortear nossa escolha.

Folha Noroeste - Quais foram os principais livros que você publicou?

Higor Jorge - "Inquérito Policial – Doutrina e Prática", em parceria com outros autores, pela Editora Mallet (1ª edição – 2017 – no prelo). "Combate a Exploração Sexual Infantil – Doutrina e Prática", em parceria com outros autores, pela Editora Mallet (1ª edição – 2017). "Temas atuais de Polícia Judiciária", em parceria com outros autores, pela Editora Juspodivm (1ª edição – 2015; 2ª edição – 2016). "Combate ao Crime Cibernético – Doutrina e Prática", em parceria com outros autores, pela Editora Mallet (1ª edição – 2016). "Crimes Cibernéticos: ameaças e procedimentos de investigação" em parceria com o delegado Emerson Wendt, pela Editora Brasport (1ª edição – 2012; 2ª edição – 2013). "Integração Nacional dos Setores de Inteligência Policial", em parceria com Luis Fernando Camargo da Cunha Lima, Roberto de Mello Annibal e Wilson Correia Silva, pela Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo – ADPESP (2007).

Folha Noroeste - Considerando que em Santa Fé tem uma faculdade de direito e que muitos de seus alunos sonham com a carreira policial, qual o seu conselho para esses jovens?

Higor Jorge - Tenho comentado com todos que almejam os concursos da polícia civil ou outros concursos públicos, que escolham o concurso que sonham, analisem o edital do concurso, estudem de forma persistente o edital e, principalmente, que tenham foco e procurem otimizar o tempo disponível. Já ouvi falar várias vezes e tenho notado na prática que quanto menos tempo temos, melhor podemos utilizar o tempo, assim, consideramos importante que saibam utilizar o tempo de forma a diariamente cumprir suas metas de estudo visando estudar cada ponto do edital e depois revisar inúmeras vezes cada ponto estudado, não se esquecendo de fazer muitos exercícios sobre cada aspecto do edital para ajudar a assimilar o conteúdo necessário para aprovação.

Folha Noroeste - É sabido que hoje o País sofre pela falta de segurança. Em Santa Fé a situação não é diferente. Em sua opinião, como a população santa-fé-sulense poderia se precaver mais para evitar os inúmeros furtos em residências? E por outro lado, evitar que seus filhos se envolvam com drogas?

Higor Jorge - Como apregoa a Constituição Federal, a segurança pública é um dever do Estado, mas também um direito e responsabilidade de todos. Todos temos que nos conscientizar da importância de adotar comportamentos seguros. Esse tipo de comportamento vai desde tomar cuidado com o que é publicado nas redes sociais, o que é falado com os vizinhos, a forma de deixar o carro estacionado ou deixar a casa trancada. Existe uma infinidade de comportamentos seguros que devem ser adotados por todos. Quanto ao problema do envolvimento dos jovens com as drogas pensamos que o melhor caminho é o diálogo. A escola promove a instrução dos filhos, mas a educação tem que ser semeada em casa. Manter os filhos longe das drogas é sinônimo de conversar muito com eles, dar exemplos e conscientizar eles dos perigos que envolvem o consumo de drogas, sejam drogas proibidas, como a maconha, o crack, a cocaína e as drogas sintéticas muito comuns em raves, como também drogas permitidas, como o álcool, o cigarro e o consumo abusivo de medicamentos.

Currículo resumido: Delegado de Polícia da Polícia Civil do Estado de São Paulo; membro da Associação Internacional de Investigação de Crimes de Alta Tecnologia (HTCIA); especializando no MBA "Corrupção: controle e repressão aos desvios de recursos públicos" pela Universidade Estácio de Sá; professor dos cursos de formação e aperfeiçoamento da Academia de Polícia do Estado de São Paulo e do Estado de Sergipe; professor de inteligência cibernética da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) do Ministério da Justiça; palestrante do curso de inteligência estratégica da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – representação de Campinas; titular da cadeira 30 da Academia de Ciências, Artes e Letras dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo; membro consultor da Comissão de Direito Eletrônico e Crimes de Alta Tecnologia e da Comissão de Ciência e Tecnologia da OAB-SP; diretor do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (2011/2013 e 2014/2016); presidente do Conselho de Ética da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (2015/2017).

Grupo Amor Pleno da Unimed Andradina participa de palestra sobre parto

Na noite desta quarta-feira (05), as gestantes do Grupo Amor Pleno, coordenado pela equipe da Medicina Preventiva da Unimed de Andradina, participaram de uma palestra sobre Parto e Puerpério, com a ginecologista e obstetra Flávia Marques Roldão Leonelo. O evento aconteceu na Farmácia Unimed.

Durante o bate papo as participantes puderam tirar todas as suas dúvidas sobre os tipos de partos. "Nosso intuito é explicar a elas como se da escolha do parto, as diferenças entre os tipos e as peculiaridades de cada um (parto normal, natural, humanizado, fórceps, de cócoras, cesárea entre outro), algumas informações que às vezes durante a consulta não dá tempo.", finalizou a Dra. Flávia.

Um momento muito importante foi a orientação às futuras mamães de como se faz um plano de parto, atividade essa onde a gestante, junto com seu médico, vai realmente planejar o nascimento de seu bebê. "Esses encontros do grupo são importantíssimos na complementação da informação às gestantes também" concluiu.

Outro assunto abordado durante a palestra foi a importância de procurar ajuda profissional e familiar no período puerpério. "Esse momento é onde o corpo da mulher passa por profundas modificações físicas e emocionais para retornar ao estado de pré-gravidez, por isso existe muitos conflitos de sentimentos, mudança no estilo de vida. A depressão pós-parto, acontecimento não raro, pode ser evitada ou minimizada com apoio profissional e familiar", disse.

Ao final a equipe de Medicina Preventiva presentou as participantes com um mimo.

TV Cultura estreia novo programa em homenagem ao Viola, Minha Viola

Em homenagem ao seu tradicional programa de música caipira, a TV Cultura estreia neste domingo (9/7), às 9h, o Viola, Minha Viola – Especial. Apresentada pela cantora, compositora e violeira Adriana Farias, (foto) a atração será dedicada, a cada edição, à trajetória de um artista que passou pelo palco do Viola.

 
Viola, Minha Viola – Especial faz uma viagem pelos mais de 35 anos em que o Viola, Minha Viola foi produzido. Tendo Adriana como guia dessa volta no tempo, quem está em casa terá a chance de acompanhar a evolução musical de grandes artistas, homenageados com episódios inéditos inteiramente dedicados às suas carreiras. Além de contar a história dos músicos, costurando suas apresentações no Viola, Adriana também faz, em algumas edições, a sua versão de canções dos convidados, aumentando a dinâmica do Especial. "É uma honra estar à frente de tantas histórias lindas do baú do Viola. É um privilégio, pois, além de tudo, sou muito fã do programa, assim como de todos os artistas que serão homenageados", declara a apresentadora.

O primeiro episódio, como não poderia deixar de ser, será dedicado à carreira de Inezita Barroso, grande drama da música caipira e apresentadora do Viola, Minha Viola. A temporada também contará com edições especiais focadas em nomes como Almir Sater, Daniel, Sérgio Reis, Jair Rodrigues, Renato Teixeira, Tião Carreiro e Pardinho, Milionário e José Rico, Tonico e Tinoco, Dominguinhos, César e Paulinho, Nalva Aguiar, As Galvão. "Quem é fã de um artista especifico ficará muito contente com esse material, que chega a ser até colecionável por trazer registros em diferentes momentos de sua carreira", comenta Adriana.

Entre os estilos relembrados pelo Especial estão a toada, o cururu, a catira, o chamamé, o arrasta-pé e a boa e velha moda de viola. Estilos, ritmos, melodias, prosas, encontros: todos costurados pelo amor à cultura da raiz.

Adriana Farias descreve a experiência como "a sensação de estar em uma biblioteca enorme e completa sobre o tema que mais amo". A apresentadora é uma importante representante feminina do segmento da música caipira. Paulistana do bairro do Ipiranga, é apaixonada pela música e pela cultura caipira desde a infância, quando iniciou sua carreira musical aos 9 anos e gravou seu primeiro disco aos 11.

Sonhar em tempos de crise

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE

– Orleans - SC equilibriumtc@hotmail.com



Estamos vivendo uma Crise, e dentro desta Crise existem várias crises, e uma das facetas desta imensa Crise é a Violência. Estamos vivendo tempos violentos.

Os problemas ligados à violência são numerosos, complexos e de natureza distinta. A violência está ainda enredada em problemas conceituais referentes à distinção entre: Poder X Coação – Vontade Consciente X Pulsão – Determinismo X Liberdade.

Violência é toda ação cometida ou omitida que implique a morte de uma ou mais pessoas ou que lhes inflige, de maneira intencional ou não, sofrimento, lesões físicas, psíquicas ou morais contra a sua vontade ou com o concurso da mesma.

•Por que agimos de forma violenta?

•Por que somos, em princípio, contra a violência e, em certas ocasiões, a praticamos?

•Em que situações a violência pode ser praticada?

•Podem existir uma fundamentação racional e uma justificação moral da violência?

E sobre a violência perguntou Caetano Veloso: " Por que morrer e matar de raiva, de fome e de sede são tantas vezes gestos naturais ?".

O poder da violência nem sempre se traduz em violência do poder.

Existem formas de poder que são exercidas de maneira não violenta.

Por incrível que pareça a violência tem seu aspecto positivo, pois a violência promove os levantes revolucionários, as guerras de libertação, e promove também uma ação catalítica.

É comum se pensar a violência apenas em seus aspectos físicos, tais como: torturas, agressões, homicídios, roubos, ferimentos, mortes, etc. Mas existem outros tipos de violência, e deixar de sonhar é uma forma de violência. Quem deixa de sonhar comete uma violência contra si mesmo.

Nosso modo de compreender e definir a violência depende: Valores sociais, regras culturais, ordenamentos normativos e circunstâncias históricas.

A questão é: Como encontrar respostas ou saídas para o insano, a brutalidade, a selvageria? O espanto e a perplexidade são as únicas armas que nos restam diante da tragédia, do atroz, do mal radical?

O Tantra Totem do Nepal diz que devemos colocar em nossas vidas os três erres: Respeito por si próprio – Respeito pelo próximo – Responsabilidade por seus atos.

Não importa a situação ou a condição, jamais deixe de sonhar. Mesmo nestes tempos de crise e violência, sonhe, sonhe muito, sonhe com tempos melhores, sonhe com a paz, e se uma a sonhadores, para juntos tornar os sonhos em realidade.

"Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles estão no lugar certo; agora construa os alicerces".




Jales terá primeira Conferência Microrregional de Vigilância em Saúde

A 1ª Conferência Microrregional de Vigilância em Saúde da Comissão Intergestora Regional – CIR de Jales, será realizada em Jales, no dia 19 de julho da 13h as 17h, na E.E. Dom Artur Horsthuis, com o tema central "Política de Vigilância em Saúde e o fortalecimento do SUS como direito à Proteção e Promoção da Saúde."

Trabalhadores da área da saúde, usuários do SUS e gestores participarão da conferência, representando 16 municípios: Aparecida D’Oeste, Aspásia, Dirce Reis, Dolcinópolis, Jales, Marinópolis, Mesópolis, Palmeira D’Oeste, Paranapuã, Pontalinda, Santa Albertina, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, Urânia e Vitória Brasil. Está sendo aguardada a participação de cerca de 80 pessoas no evento. O objetivo dessa conferência é propor diretrizes para a formulação da Política de Vigilância em Saúde e o fortalecimento dos programas e ações de vigilância em saúde.

Segundo a coordenadora da Equipe Municipal de Combate às Endemias, Vanessa Luzia da Silva Tonholi, a Vigilância em Saúde acontece através de um trabalho integrado entre a Vigilância Epidemiológica, Vigilância em Saúde Ambiental, Vigilância em Saúde do Trabalhador e Vigilância Sanitária. "É através da Vigilância em Saúde que de maneira contínua e sistemática dados são coletados, analisados e transformados em planejamento e implementação de medidas de saúde pública, que buscam proteger e promover a saúde da população", explica Vanessa Tonholi.

Após ação do MPF, Justiça determina que planos de saúde cubram número ilimitado de sessões de psicoterapia

A pedido do Ministério Público Federal em São Paulo, a Justiça Federal determinou aos planos de saúde em todo o Brasil que ofereçam cobertura ilimitada para sessões de psicoterapia a seus clientes. A decisão anula parte da resolução 387/2015 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que estabelecia a obrigatoriedade dos convênios de arcar com apenas 18 atendimentos anuais. A 25ª Vara Cível da capital acolheu os argumentos do MPF e destacou que a norma editada pelo órgão contraria tanto a Constituição quanto as leis que regulamentam o setor.

Um exemplo é a Lei 9.656/98, que dispõe sobre os planos de saúde e fixa, como regra, a inexistência de limite para a cobertura assistencial. Entre as exceções estão procedimentos específicos como tratamentos experimentais, inseminação artificial e procedimentos odontológicos, mas o texto nada fala sobre psicoterapia. Ao indicar um número máximo de sessões por ano, a ANS extrapolou seu poder regulatório e manteve em vigência uma resolução que vai além do que a legislação permite.

"Chega a ser, não diria cínico, mas, ao menos, ingênuo o argumento de que o limite estabelecido é o mínimo de sessões de psicoterapia que a operadora do plano de saúde está obrigada a oferecer, podendo ela oferecer mais que esse limite", acrescentou o juiz federal Djalma Moreira Gomes ao tratar da justificativa que a ANS apresentou. "Ora, a experiência revela que isso não acontece na prática. As operadoras fazem (no máximo) aquilo que o órgão regulador/fiscalizador lhes impõe, o que é compreensível até em razão de questões de custos e de mercado."

Ao anular a restrição aos atendimentos em psicoterapia, a sentença determina que a cobertura dos planos corresponda ao número de sessões prescritas pelo profissional de saúde responsável. A decisão judicial é resultado de uma ação civil pública do MPF proposta no ano passado. O procurador da República Luiz Costa, autor do procedimento, destacou que, além de ilegal, a norma da ANS é inconstitucional por afrontar o direito social à saúde e ir de encontro às diretrizes do SUS.

A sentença foi proferida em 10 de maio, mas o MPF somente foi notificado de seu teor na última semana de junho. O número da ação é 0009452-86.2016.403.6100. A tramitação pode ser consultada em http://www.jfsp.jus.br/foruns-federais/.

Cuidados ao realizar atividades físicas no frio

Nos dias de frio torna-se mais difícil exercitar-se. O corpo tende a economizar energia para se manter aquecido, logo coberta, cama e sofá são calorosos convites de inverno. Mesmo assim, muitas pessoas por questão de hábito, rotina ou autodeterminação realizam atividades físicas frequentemente. Conduta que Edison Tresca, professor de Educação Física da Universidade UNG, recomenda, porque fazer exercícios físicos é essencial para a saúde em qualquer estação do ano. No entanto, o docente alerta que durante baixas temperaturas, é necessário tomar precauções extras.

A musculatura tende a ficar mais contraída e tensa, possibilitando maior desconforto e incidência de lesões. Para evita-los, é preciso prolongar o tempo dos exercícios de aquecimento antes da atividade física, além de realiza-los paulatinamente, garantindo assim a flexibilidade dos músculos e a elevação adequada da temperatura corporal. "Aconselha-se iniciar com exercícios de livres movimentações, sem carga, nas articulações do corpo. Em seguida pode-se realizar exercícios de alongamento muscular, iniciando de forma lenta e suave, aumentando a intensidade progressivamente", diz ele.

O professor recomenda exercitar-se em ambientes protegidos, como clubes e academias, por exemplo, onde não estão expostos à friagem. No entanto, algumas pessoas não se adaptam a ambientes fechado e gostam mesmo é do contato com ar livre. Segundo o especialista, o maior problema é que além do desconforto térmico, o corpo não manterá uma temperatura ideal de funcionamento para a atividade física, porque a umidade da transpiração retida na roupa em contato com o ar frio pode fazer com que o corpo perca mais calor para o meio ambiente do que deveria. Para contornar a situação, o educador sugere vestir uma camiseta de material sintético, dry fit, por baixo de outra com material de malha de algodão e, finalmente um agasalho leve por cima de tudo, com possibilidade de abertura na frente. "A camiseta de material sintético deixará a umidade da transpiração do corpo passar e ficar retida pela de algodão, e a temperatura corporal mantida pelo agasalho. Se houver desconforto pela elevação demasiada da temperatura, o agasalho poderá ser aberto ou fechado conforme a necessidade", explica.

Outro ponto crucial é a ingestão de água. De acordo com ele, é natural sentir menos sede neste período, uma vez que se transpira menos. Em qualquer situação, o ideal é ingerir líquidos antes de sentir sede, esta manifestação pode ser o primeiro sinal de que está começando a faltar água no corpo. "Aqueles que praticam atividades físicas devem hidratar-se com maior frequência, mesmo em temperaturas amenas", afirma.

Ele também ressalta que a respiração durante a atividade tem que ser preferencialmente nasal, para que o ar percorra um caminho mais longo até chegar aos pulmões. Tendo a oportunidade de ser adequadamente aquecido antes de chegar a eles, diminuindo as possibilidades de inflamações das vias aéreas.

FOLHAGERAL

da redação

Nesta

 
quinta-feira (dia 06), Jales recebeu a visita oficial dos secretários estaduais Rodrigo Garcia (da Habitação) e José Renato Nalini (da Educação). Rodrigo Garcia veio entregar certificados de regularização fundiária a 145 famílias de baixa renda da cidade. Por seu lado, José Nalini entregou 22 ônibus escolares a prefeitos de várias regiões do Estado. O prefeito de Votorantim, cidade vizinha de Sorocaba, esteve presente na visita.

A participação

 
de centenas de pessoas, prestigiando a visita dos secretários estaduais, como seria de esperar, não aconteceu. A grande maioria dos presentes eram prefeitos e assessores. Pode ser que a ocasião – uma quinta-feira, às 15:30 horas da tarde – tenha impedido muita gente.

No entanto,

 
a visita dos secretários não foi um acontecimento qualquer. Muitas pessoas influentes da cidade, que têm comprometimentos políticos, deveriam estar valorizando o evento. Afinal, foi uma visita promissora para as famílias que receberam as DCUA (Declaração de Conformidade Urbanística e Ambiental) de regularização dos seus lotes. E aos prefeitos que vão ter como garantir transporte adequado e seguro aos estudantes.

A ausência


de deputados no importante evento causou estranheza, com exceção de Carlão Pignatari que chegou um pouquinho atrasado e até discursou, apesar a terem anunciado anres presença de seu representante. Os bem votados no município mandaram representantes. Eles poderiam ter aproveitado a oportunidade para ter conversas de interesse dos municípios. O deputado federal Fausto Pinato (PP) teve dois representantes: o ex-chefe de gabinete Ivan (do ex-prefeito Pedro Callado) e o vereador Macetão (PP).

Membros


do Diretório Municipal do PSDB, que estiveram presentes na visita, não entregaram nenhuma reivindicação aos secretários estaduais, apesar dos tucanos serem craques nesses tipos de pedidos e o governador do estado ser tucano com pretensões políticas maiores.

O município


de Jales assinou convênio com o Governo do Estado, através da Casa Civil, no valor de R$ 150 mil para investimentos na reforma e ampliação dos banheiros do Comboio. Boa notícia. Nosso mercado popular de hortifruti e de lazer merece mesmo ser contemplado com melhoramentos. Ali acontecem mais dos que simples encontros comerciais entre fornecedores e compradores de mercadorias.

O evento oficial


ocorreu na última quinta-feira (dia 6), no Palácio dos Bandeirantes, com assinatura do 7º. lote de convênios do ano, envolvendo 108 municípios paulistas. Foram celebrados 123 acordos, sendo 88 com prefeituras e 15 com entidades. O investimento total é de R$ 14,7 milhões. As licitações e execuções acontecerão nos municípios.

Os vereadores


jalesenses votarão na segunda-feira (10 de julho), em sessão ordinária, emenda à Lei Orgânica do Município determinando que os atos oficiais do Poder Legislativo sejam publicados no Diário Oficial Eletrônico do Município. Também deve aderir, ao Diário Eletrônico do Município, o Instituto de Previdência do Município de Jales (IPREM).

Estará


estagnado, ficando para trás, todo administrador público que não aderir aos novos sistemas eletrônicos, bem como manter-se despreparado para consultar informações e executar tarefas no meio eletrônico. A tendência de tudo funcionar conectado em rede é muito forte: nas instituições públicas, nas empresas, nas residências.

O centro


da cidade de Jales está ganhando um novo visual com o recape das principais ruas. Só que o prefeito Flá Prandi e sua equipe não devem medir esforços no sentido de melhorar aquela calçada ecológica da Avenida Francisco Jalles (no trecho da Rua 6 até a Avenida João Amadeu), que foi construída pela administração petista. Está uma aberração.

Para uma


cidade que pretende se incluir no rol de Municípios de Interesse Turístico e atrair a atenção de muitos visitantes, calçadas daquelas não pode ficar à vista de todos. Assim como as pracinhas da periferia da cidade, que também precisam passar por reformas ou melhorias para ficarem mais convidativas.

O trabalho


conjunto entre comunidade e poder público – que sempre apoiamos nesta coluna – dá sinais de bons resultados. A praça do Jardim Arapuã, onde pessoas passam boas horas papeando e se distraindo, está começando a mostrar um novo perfil.

Na economia


brasileira, os investidores e empresários aguardam bom tempo. O mercado imobiliário anda devagar, vantajoso para quem deseja comprar e alugar. E agora se fala em deflação, ou seja, os preços caem. O governo Michel Temer não consegue estabilidade.

Nem por isso


se justifica cruzar os braços, ficar em desânimo. Que tal "arrumar a casa"? No Estado do Tocantins, o último prefeito (gestão 2013/2016) da pequena cidade de Fátima entregou tudo em ordem ao seu sucessor: prefeitura, escolas e postos de saúde reformados; computadores novos e frota de veículos nova; salários em dia, dívidas pagas e R$ 1 milhão em caixa. Foi elogiado pelo novo prefeito que tomou posse.

Mudando hábitos

Após abandonar a profissão, uma advogada cuiabana de 37 anos virou fenômeno na Internet com receitas saudáveis. A mudança aconteceu a partir de uma história familiar que a fez ir para a cozinha em busca de refeições repletas de bons nutrientes.

Foi em 2014 que a vida da então advogada trabalhista Viviane Almeida (foto) virou de cabeça para baixo, quando seu marido foi diagnosticado com um câncer grave no intestino e no fígado. Determinada a ajudá-lo, Viviane deixou de lado a carreira profissional para dedicar-se exclusivamente ao auxílio no tratamento da doença. Ela partiu em busca de medidas que amenizassem o sofrimento dele e ajudassem o processo de cura.

Sua paixão por nutrição e alimentação saudável começou ali. Ela colheu informações em conversas com especialistas, pesquisou sobre a doença e investigou sobre a forma como ela age no corpo, tendo em vista melhorar a alimentação do seu marido.

Viviane estudou bastante e aprendeu muito sobre alimentação saudável. Leu inúmeros artigos que lhe forneceram bons conhecimentos, foi em busca de pacientes com esse tipo de câncer para entender a ação da doença sobre o corpo e a influência da alimentação ao longo do processo de cura. Foi assim que ela se apaixonou pela alimentação saudável e descobriu um jeito eficiente de prestar ajuda.

Inicialmente, Viviane cortou o açúcar, o óleo vegetal, as farinhas refinadas, o glúten e a lactose. Criou e testou várias receitas, adaptando-as com ingredientes benéficos, anotando a receita de cada prato novo num caderno. Seu marido passou a consumir essas refeições com ótimos resultados. Teve alívio no tratamento da quimioterapia, diminuição da anemia e melhora no ganho de peso.

Ela viu que estava no caminho certo. Mesmo sem incentivo dos médicos responsáveis pelo tratamento do marido, ela continuou a contribuir com a alimentação saudável. Até criou uma ótima receita de pão de queijo com pouquíssima gordura, feito com batata doce. Por fim, estendeu a alimentação saudável a toda a família.

Com a cura confirmada do marido, ela se sentiu maravilhada. Reconheceu a importância do tratamento médico convencional, mas ficou convencida de que boa parte da cura se deu em virtude da nova alimentação. Fechou oficialmente o escritório de advocacia e passou a se dedicar ao estudo e à criação de receitas saudáveis, compartilhando tudo – via internet – com pacientes em tratamento e pessoas interessadas em geral.

A procura pela sua dieta "fit" ("em forma") só cresceu. Ela nunca teve por objetivo ganhar dinheiro com a divulgação do seu trabalho na mídia eletrônica. Mas passou a ser convidada para ministrar cursos – em várias cidades –, nos quais ensina suas receitas. E publicou um livro com o nome "Doce Saúde Fit", com mais de 30 receitas saudáveis.

Atualmente, ela compartilha conceitos e receitas na Internet com quase 500 mil seguidores. O público que deseja conhecer melhor o trabalho da Viviane pode utilizar "Doce Saúde Fit" ou "docesaudefit" para acessar o Site, o Youtube, o Instagram e o Facebook na Internet. O livro está disponível para aquisição no Site da Internet; seu preço básico é de R$ 29,90 – mais a despesa postal – para ser recebido em todo o país pelos Correios.

Movida pelo desejo de continuar aprendendo e ajudar melhor muitas pessoas, Viviane Almeida ingressou no curso de Nutrição de uma faculdade de Cuiabá (MT). Ela garante que a alimentação saudável pode ser também saborosa e barata. Não há dúvida de que ela vai fazer uma valiosa diferença na vida de muita gente.(Fonte: Bruna Bozza, P+G Comunicação Integrada, Curitiba PR)

Palavras de Allan Kardec

Allan Kardec - Duas pessoas que se conhecem podem visitar-se durante o sono?

 
Os Espíritos - Sim, e muitas outras, que pensam não se conhecerem, se encontram e conversam. Podes ter, sem que o suspeites, amigos em outro país. O fato de visitardes durante o sono, amigos, parentes, conhecidos, pessoas que vos podem ser úteis, é tão frequente que o realizais quase todas as noites.

Allan Kardec - O homem pode provocar voluntariamente as visitas espíritas? Pode, por exemplo, dizer ao adormecer: Esta noite quero encontrar-me em espírito com tal pessoa: falar-lhe e dizer-lhe tal coisa?

Os Espíritos - Eis o que se passa: o homem dorme, seu Espírito desperta e o que o homem havia resolvido o Espírito está muitas vezes bem longe de o seguir, porque a vida do homem interessa pouco ao Espírito, quando ele se liberta da matéria. Isto para os homens já bastante elevados, pois os outros passam de maneira inteiramente diversa a sua existência espiritual: entregam-se às suas paixões ou permanecem em inatividade. Pode acontecer, portanto, que segundo o motivo assim proposto o Espírito vá visitar as pessoas que deseja: mas o fato de o haver desejado quando em vigília não é razão para que o faça.


O Livro dos Espíritos: Q 414 e 416


(Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade do Grupo Espírita "Chico Xavier", de Jales.)

Meias verdades ambientais

José Renato Nalini
secretário estadual de Educação



É muito triste constatar que se manipulam dados para perseverar na mentira de que o Brasil é um país que preserva a sua natureza. Se é verdade que o setor agrícola cresce em eficiência e aumenta a produtividade, não é menos sério verificar se a proteção ao ambiente segue crescente na mesma proporção.

Anuncia-se que 66% do território nacional estão intocáveis, resguardada a cobertura vegetal exatamente conforme era no ano 1500, quando os portugueses aqui chegaram definitivamente. A visão extremamente otimista e, por isso mesmo, utópica, é que isso atingiria 75% do Brasil, se na conta forem incluídas as pastagens naturais do Pantanal, da caatinga e do cerrado.

Não é verdade que os proprietários rurais preservam mais vegetação natural do que as unidades de conservação. As UCs - Unidades de Conservação e as Terras Indígenas - TIs, constituem a tentativa do ambientalismo brasileiro impedir que haja a destruição total do verde. Isso porque o IBGE já constatara em 2012 que 38% do país se encontravam totalmente devastados. Não consta que em cinco anos tenha havido uma regeneração integral. Ao contrário, o que se verifica é a inclemência com que se derrubam as matas, substituindo-se-as por cana-da-açúcar, soja ou pasto.

Ainda bem que cientistas do GeoLab da USP e do Observatório do Código Florestal desmentem as afirmativas que não encontram respaldo na realidade e reconheçam que essa "estatística criativa" tem um objetivo: impedir a criação de novas Unidades de Conservação e Terras Indígenas, para que a devastação continue.

Todos os dias a mídia está a noticiar infaustos acontecimentos na área ecológica, seja quando descobre garimpos ilegais, grileiros atacando posseiros, esvaziamento do IBAMA, insuficiência de efetiva defesa do ambiente, produção exagerada de resíduos sólidos, a evidenciar a falta de civismo e de educação de berço de boa parte da população.

O lema "pensar globalmente, agir localmente" é a única esperança para quem defende o ambiente. Por isso é fiscalizar, cobrar, denunciar. Acompanhar o trabalho de entidades sérias como a SOS Mata Atlântica e o Atlas da Agropecuário Brasileira, localizável em www.imaflora.org/atlasagropecuario e desenvolvido pela ONG Imaflora, em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz.

É preciso conscientizar as crianças de que as gerações anteriores foram muito negligentes, lenientes ou até se acumpliciaram com quem conseguiu, para lucrar mais, acabar com a exuberância do patrimônio natural brasileiro.

Se para os idosos esta seja uma peleja perdida, para as crianças e jovens talvez reste uma esperança. É o que nos resta aspirar.




Postura correta na direção é sinônimo de segurança no trânsito

Sejam em viagens de longa ou curta distância, estar bem disposto para cair na estrada garante uma viagem tranquila e segura. E isso envolve tanto a atenção – não estar com sono ou sob efeito de bebidas alcoólicas ou remédios – quanto a postura. Conduzir o veículo em posição inadequada pode causar dores, cansaço e incômodo.



Por este motivo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) chama a atenção do condutor para a importância da correta postura no momento de dirigir.

"Para quem passa horas no trânsito, sentar de forma inadequada e com o posicionamento dos controles do veículo incorretos, pode levar a dores nas costas, nos braços e pernas e, em longo prazo, pode evoluir para doenças crônicas", alerta a fisioterapeuta Silvia Andrusaitis, encarregada da fisioterapia do Hospital das Clínicas.

Para não sofrer no trânsito, confira as dicas que o Detran.SP separou:

Ao sentar – O banco do veículo deve ter uma inclinação pequena, em torno de 100º. Segundo a especialista, encostos muito retos, depois de um tempo prolongado, provocam desconforto. A coluna deve estar totalmente apoiada no encosto e a altura do banco e sua aproximação em relação ao painel devem permitir que os pés alcancem os pedais sem esforço.

Espelhos – Arrumar corretamente os espelhos também influencia na postura. Os espelhos devem permitir boa visualização, sem necessidade de inclinação e rotação do tronco e da cabeça do motorista.

Braços – Devem ficar ligeiramente dobrados. O volante não pode ficar encostrado nas pernas e não pode estar muito distante, a ponto de os braços ficarem estendidos demais. "Braços muito esticados levam à dor nos ombros e pescoço".

Pernas - Os joelhos devem ficar ligeiramente dobrados. O controle constante do veículo por meio dos pedais provoca dores nas pernas e, ao longo dia, sobrecarrega a região inferior das costas. A dica para aliviar a tensão é apoiar os pés completamente no chão do veículo, sempre que possível, para um breve descanso.

Cabeça – O encosto da cabeça permite que haja uma distribuição do peso da cabeça entre o pescoço e o encosto, evitando a sobrecarga da coluna cervical e ombros. "O perfeito ajuste do encosto da cabeça, além de prevenir dores musculares na região superior do tronco, ainda previne um movimento chamado ‘chicote’, onde a cabeça faz um movimento brusco para frente e para trás, caso haja uma colisão traseira do veículo", explica. Segundo Silvia, o "chicote" é uma lesão importante que pode levar desde um torcicolo até luxações das vértebras cervicais.


"Manter a postura corporal correta é de extrema importância, não apenas para prevenção de lesões, mas também como medida de segurança no trânsito", aponta o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira. "Afinal, se o motorista está desconfortável e precisa fazer movimentos bruscos para alcançar os controles do veículo ou ter uma visualização adequada, a sua atenção no trânsito fica comprometida, colocando em risco a si e aos demais", ressalta.