Páginas

sábado, 23 de setembro de 2017

Conab estima 44,77 milhões de sacas para safra do café

Com 95% da safra colhida, a produção brasileira de café pode chegar a 44,77 milhões de sacas de 60 kg. O grão é cultivado em uma área total de 2,21 milhões de hectares em várias regiões do país. Os dados foram divulgados hoje (21) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O levantamento é o terceiro do total de quatro etapas. Embora a expectativa seja melhor que a do ano passado, de acordo com o levantamento da Conab, ainda assim, a safra ficará 1,7% abaixo do esperado. O clima e as pragas "broca" e "bicho de Minas" cooperaram para o resultado.

"As questões climáticas foram muito localizadas. No norte de Minas, ocorreram adversidades provocadas pelo clima. Já em outras regiões, houve chuvas atípicas durante a colheira", disse o superintendente de informações da Conab, Aroldo de Oliveira Neto.

Os grãos arábica e o conilon são os mais produzidos no Brasil. A expectativa é que a produção do arábica atinja o número de 34,7 milhões de sacas, isso corresponde a 83% da safra, a cultura é trabalhada em 1,78 milhões de hectares. Destes, 299,83 estão sendo usados para formação. Já para o conilon, a previsão de colheita é de 10,71 milhões de sacas numa área de 427 mil hectares, sendo 45,35 em formação e 381,62 em produção.

Produção por regiões - Devido à bienalidade negativa, a produção em Minas Gerais deverá ser 20,7% menor do que a safra de 2016. O estado, que é o maior produtor brasileiro de café, deverá colher 24,04 milhões de sacas do grão arábica e 334,1 mil sacas de conilon, totalizando 24,38 milhões de sacas.

Segundo os estudos da Conab, as condições climáticas desfavoráveis atravessadas pelas lavouras de conilon em 2016 e a falta de mudas para plantio, ocasionaram na queda de 1,5% na produção de café no estado do Espirito Santo. O arábica também sofre com o ciclo da bienalidade negativa. Ainda de acordo com a Conab, a estimativa é que o estado capixaba produza 5,9 milhões de sacas de conilon e 2,9 milhões do arábica.

Já em São Paulo, o alto índice de podas e também a bienalidade negativa foram os principais responsáveis pela queda da produção de café. No entanto, a expectativa é que 4,37 milhões de sacas sejam colhidas. Na Bahia, a estimativa é de uma safra de 3,36 milhões de sacas. Em Rondônia, espera-se colher 1,94 milhão de sacas.

O Brasil é o maior produtor de café no mundo e exporta o grão para mais de 100 países.

Lavouras voltam a crescer e lideram valor bruto da produção


Depois de ter seu crescimento interrompido pela forte seca de 2016, as lavouras voltaram a se destacar no Valor Bruto da Produto (VBP), índice apurado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em agosto, os destaques do VBP foram o algodão, com aumento de 75,6%, amendoim (31,2%), cana-de-açúcar (45,8%), laranja (20,9%), mandioca (70,5%) e uva (51,9%).
O VBP foi divulgado pelo Mapa nesta quarta-feira (20). A estimativa do valor bruto da produção agropecuária (VBP) para este ano se manteve, na atualização de agosto, em R$ 535,4 bilhões. As lavouras contribuíram com R$ 367,2 bilhões e a pecuária, R$ 168,2 bilhões. O resultado de 2017 é 4,1% acima do obtido em 2016 (R$ 514,2 bilhões).
De acordo com o coordenador-geral de Estudos e Análises da SPA, José Garcia Gasques, outros destaques da agricultura são o arroz, a cebola, o milho e o tomate. Com exceção da mamona e da mandioca, que tiveram redução de produção, todos os demais produtos apresentam neste ano aumento de produção em relação ao ano passado.
Para a maior parte dos produtos os preços recebidos pelos produtores estão abaixo do que no ano passado, salienta Gasques. Deste modo, para milho, soja e outros a maior safra neste ano evita redução no valor da produção das culturas. Milho, soja, banana, batata-inglesa, feijão tiveram forte queda de preços.
De acordo com o estudo do VBP, o aumento de produtividade das lavouras de verão, de 24,1%, é outro destaque neste ano. As plantações de inverno sofreram forte queda, de 15,1%. A redução de produtividade na aveia, canola e trigo foi de 14%. Na pecuária, os melhores resultados vêm sendo obtidos em suínos e leite.
Alguns produtos têm apresentado desempenho desfavorável neste ano. São eles banana (-22,8%), batata-inglesa (-52,8%), cacau (-24%), café (-10,7%), feijão (-7,8%), trigo (-32,8%) e maçã (-21,2%).Os dados regionais indicam a liderança de São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Minas Gerais. A cana-de-açúcar responde por 58% do valor em São Paulo e a soja, por 52% em Mato Grosso. No Paraná, a soja e frango representam por 54% do valor gerado.

Propriedades investem em energia solar e tem economia na conta de luz

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica( ANEEL) as linhas de geração distribuídas, produzidas pelo próprio consumidor, obtiveram um aumento de mais de 200% quando comparado entre junho de 2016 a junho de 2017. Neste um ano foram contabilizadas quatro mil conexões. Hoje já superou a marca de 12 mil conexões e ultrapassou 100 MW (Mega Watts).

 
O sistema de energia fotovoltaica, ou seja, de energia solar, pode ser aplicado em qualquer negócio ou residência. Gradativamente, as pessoas e empresários estão se conscientizando sobre o valor de preservar o meio ambiente e buscam alternativas tecnológicas e eficientes para serem adotadas. O país dispõe de um benefício – principal produto para produzir energia solar - que vale ouro e, ao mesmo tempo, é de graça: o sol. Num cenário de 12 mil conexões, 42% estão instaladas em residência e logo em seguida vem o comercial com 37%. Outro segmento que tem aberto as portas para a sustentabilidade é o agronegócio. "Este sistema, quando conectado à rede, poderá atender toda a demanda de energia solar em diversas atividades: alimentação de bombas d´agua para irrigação; geração de energia em granjas; retiradas de águas de poços; gerar energia para máquinas; iluminação, além de outras variáveis", comenta Denilson Tinim, especialista e vendedor técnico da multinacional austríaca Fronius

Investimentos - Muitas fazendas e propriedades rurais estão investindo neste sistema e tornando um grande aliado na redução do consumo de energia e de seu bolso. Uma das fazendas que adotou o sistema de energia fotovoltaica da Fronius foi a Fazenda Rio da Mata de Propriedade da Beabisa Agricultura Ltda , localizada em Morro do Agudo (interior de São Paulo) – Foto ao lado. De acordo com o gerente de controladoria da fazenda, Alex Vicari, "valeu a pena instalar todo o sistema, principalmente, pela redução dos custos e pela questão da sustentabilidade". A fazenda com 710 hectares, investiu cerca de R$163 mil em energia fotovoltaica. E desde a instalação em fevereiro de 2017, já economizou em torno de R$ 10.000,00. "Além da redução com gastos e com a emissões de gás carbônico, estamos contribuindo para a diminuição do desmatamento. Só neste período, ajudamos a preservar cerca de 200 árvores e deixamos de lançar mais de sete toneladas de CO2 na atmosfera. A energia gerada é utilizada para consumo na própria fazenda geradora e também em nosso escritório, economizando cerca de 90% após a instalação" ressalta Vicari.

Para ele é imprescindível pesquisar o assunto e buscar empresas idôneas para realizarem os serviços. "Escolhemos a Fronius, principalmente, pela confiabilidade e pelo software de acompanhamento em tempo real da geração e do consumo de energia", explica Alex.

A conscientização caminha, paulatinamente, mas vem ganhando espaço com o decorrer dos anos. Um dos moradores da maior metrópole do Brasil abraçou a causa e implantou o sistema fotovoltaico em sua residência, como foi o caso do engenheiro Clemente Gauer, 36, do Campo Belo (SP). "Foi uma decisão muito bem pensada e válida. Investimos R$ 12 mil em abril de 2015 com os equipamentos da Fronius e hoje pago somente a assinatura da energia elétrica, que gira em torno de R$ 20,00. O sistema abastece toda a casa e estamos muito contentes. Soubemos escolher uma empresa com boa reputação no mercado", ressalta Clemente.

A multinacional austríaca Fronius - líder em tecnologia no setor fotovoltaico - já vendeu mais de sete mil inversores. De acordo com Denilson Tinim, os inversores para residências representam 75% das vendas da Fronius.

As placas são conectadas aos inversores solares , responsáveis por converterem a energia gerada em eletricidade. A energia solar fotovoltaica é uma das fontes de energia mais limpas e sustentáveis. Países como Estados Unidos, Alemanha, China, Itália, Japão e Espanha já estão usando todo o potencial do Sol em grande escala.

Sobre a Fronius - No mundo, está entre o top 10 de fabricantes de inversores e é referência em tecnologia em todos os segmentos atuantes e está presente no mundo todo e com uma importante participação na Europa, nas Américas incluindo o Brasil. Em território brasileiro, sua matriz está localizada em Diadema (SP).

Alunos da região de Jales com deficiência participam dos Jeesp

 
Entre os quarta e sexta-feira (20 a 22/09) alunos com deficiência dos municípios de Aspásia, Jales, Populina e Urânia estiveram entre os cerca de 350 atletas de todo o Estado de São Paulo que participam das competições que selecionarão os 159 atletas que vão compor a delegação paulista nas Paralimpíadas Escolares 2017 que acontecem entre os dias 20 e 25 de novembro também no CT.

Os competidores são das modalidades atletismo, natação, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalbol, judô, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, vôlei sentado e basquetebol em cadeira de rodas. Entre os presentes, estará a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência Linamara Rizzo Battistella.

Além de descobrir novos talentos para o esporte, o objetivo dos Jogos Escolares é promover, por meio da prática desportiva, a integração e o intercâmbio dos alunos para ampliar as oportunidades de socialização e aquisição de hábitos saudáveis. Os participantes são jovens com deficiência física, visual ou intelectual, com faixa etária entre 12 e 17 anos, matriculados em escolas do ensino fundamental e médio de escolas públicas e particulares. Para mais informações, acesse http://www.jeesp2017.com.br/.

Trata-se de uma iniciativa do governo do Estado de São Paulo destinada aos alunos matriculados em escolas públicas e privadas de todo o Estado organizada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e as secretarias da Educação, de Esporte, Lazer e Juventude, Desenvolvimento Econômico e Ciência e Tecnologia. As competições esportivas voltadas aos estudantes são realizadas anualmente em quatro etapas: rede pública estadual e escolas técnicas estaduais, rede pública municipal, rede particular e escolas técnicas federais, seletivas regionais e estadual.

As Paralimpíadas Escolares buscam revelar novos valores e possíveis atletas para representar o Brasil nas Paralimpíadas de 2020 em Tóquio. Para a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, os Jogos Escolares do Estado de São Paulo vão deixar um legado importante e difundir o conhecimento necessário para a prática paradesportiva no ambiente escolar.

Localizado no Parque Fontes do Ipiranga (Km 11,5 da Rodovia dos Imigrantes), o Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro é uma parceria do governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, com o governo federal, através do Ministério do Esporte. O objetivo do empreendimento que abriga 15 modalidades paralímpicas é fomentar o paradesporto brasileiro criando condições para que seus atletas se destaquem nas competições municipais, estaduais, nacionais e internacionais, sempre dando ênfase às técnicas avançadas e novas tecnologias.

Prova com mais de 100 km em Votuporanga (SP) é o próximo desafio da Mitsubishi Cup

 
Um desafio novo, diferente e inédito. No sábado, dia 30 de setembro, as duplas da Mitsubishi Cup enfrentarão mais uma novidade da temporada 2017: uma prova maratona com mais de 100 km. O palco escolhido para receber a 5ª etapa do rali de velocidade cross-country mais tradicional do Brasil foi a região de Votuporanga (SP) "Pela primeira vez faremos uma volta única com 104 km de extensão. Esta configuração exigirá muito mais navegação e leitura do percurso. Se a dupla for cautelosa demais, perderá tempo. Se arriscar muito, pode cometer erros. Equilíbrio é a palavra chave", adianta Eduardo Sachs, diretor de prova da Mitsubishi Cup.

A prova será realizada na Fazenda São Francisco, no município de Magda, e terá duas partes distintas: uma com 41 km e outra com 63. Entre elas, os participantes passarão por um neutro para reabastecimento, mas não será permitido fazer qualquer ajuste nos carros. No total, são cinco categorias em disputa: L200 Triton Sport RS, L200 Triton ER Master, L200 Triton ER, ASX RS e Pajero TR4 ER.

"Será uma novidade interessante. Nunca andei em uma especial de 100 km. Acredito que será uma experiência muito diferente e agradável para a dupla. Não poderemos cometer nenhum erro", comenta Marcos Chueda, da categoria TR4 ER.

As características da região garantem provas muito disputadas e emocionantes, com muita variação de terreno, como trechos de areia e pirraça em subidas em descidas. A etapa também será bastante visual, com quase 90% da especial sendo realizada em plantações de cana-de-açúcar colhida.

"Vai ser uma prova de estratégia e resistência. O espaço para erros é zero. A equipe inteira precisará estar em completa sincronia para conquistarmos um bom resultado", explica Alessandro Tozoni, da categoria L200 Triton ER.

Temporada recheada de novidades - Em 2017, a Mitsubishi Cup chega a sua maioridade com várias novidades, que deixam o campeonato ainda mais disputado e imprevisível. "Nós tivemos disputas muito acirradas nas últimas etapas. Competimos contra o relógio e também lado a lado em um autódromo de terra. Acho muito bacana experimentar coisas diferentes", Rodrigo Meinberg, da categoria L200 Triton Sport RS.

Além das provas de cross country, rallycross e da corrida em autódromo de terra, na 18ª temporada, as duplas enfrentarão ainda etapas com "time attack" em kartódromo, com disputas de tempo, e uma especial noturna.

A temporada 2017 marca também a estreia de dois novos modelos: a L200 Triton Sport RS e o ASX RS 2017. A picape é o veículo mais rápido preparado pela Mitsubishi Motors a participar da Mitsubishi Cup, e participou do Rally dos Sertões nas categorias Protótipo ou Pró-Brasil. Já o ASX RS 2017, veículo homologado junto à CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) para a Mitsubishi Cup, para o Campeonato Brasileiro e para o Rally dos Sertões, na categoria Production, tem carroceria nova e 194 cavalos de potência.

Sobre a Mitsubishi Cup

A Mitsubishi Cup já realizou mais de 130 etapas e 400 provas de rali cross-country de velocidade desde sua criação, em 2000. Os carros participantes são preparados pela Mitsubishi Motors, única montadora na América Latina que tem uma linha de produção de veículos de corrida. Já são mais de 500 unidades entregues e a marca continuará, em 2017, vendendo os modelos ASX RS, L200 Triton Sport RS e L200 Triton ER, homologados para os principais campeonatos de rali do Brasil, inclusive o Rally dos Sertões.

Programação da etapa Votuporanga / Magda (SP)29 de setembro – sexta-feira13h às 17h - treinos livres - todas as categorias

Local: Fazenda São Francisco – Rodovia MGD-010, km 04, Magda (SP)18h - Briefing duplas19h - Briefing imprensaLocal: Hotel Maduga – Avenida Carlos Gleriane, 3-24, Valentin Gentil (SP)30 de setembro – sábado9h - Largada do primeiro carro12h – Largada último carro 13h - Início da premiaçãoLocal: Fazenda São Francisco – Rodovia MGD-010, km 04, Magda (SP)Calendário 20175ª etapa - 30 de setembro - Votuporanga / Magda (SP)

Basquete de Jales – livre não consegue passar por Barretos e fica de fora das finais

 (sentido horário) Júlio Aldrigue, Osvaldo Valente,
Tiago Dan, Fábio Galan, Allan Oliveira e Thiago Silva


A equipe de basquete de Jales – categoria livre entrou em quadra no último domingo, 17, às 10h30, precisando vencer a equipe de Barretos para seguir na disputa da 7ª Copa Monte Líbano/Liga Regional de Basquetebol.

O jogo foi bastante equilibrado, tendo o primeiro quarto da partida acabado empatado em 21 pontos. No segundo quarto, porém, a equipe jalesense "bobeou" e deixou o adversário abrir 10 pontos de diferença (26x16), finalizando o primeiro tempo da partida com o placar adverso de 47 x 37. O terceiro quarto foi de recuperação para a equipe jalesense, que venceu por 19 x 08 e passou um ponto à frente do adversário, fechando o quarto com o placar anotando 56 x 55. Porém, no último quarto, o cansaço acabou prejudicando o time jalesense, que, muito desfalcado, nos último minutos da partida, acabou cedendo a vitória ao adversário, pelo placar de 78 x 72.

Com o resultado, a equipe de Jales, que em anos anteriores já foi vice-campeã e terceira colocada das séries ouro e prata, acabou perdendo a vaga para avançar à próxima fase da competição.

Pela equipe de Jales jogaram e pontuaram: Thiago Silva (08), Allan Oliveira (19), Júlio Aldrigue (07), Oswaldo Valente (10), Tiago Dan (28) e Fábio Galan (T).

Basquete Master de Jales, invicto, joga final no sábado, dia 30/09

 
Em pé (sentido relógio): André Salviano, João Tunussi, Ronaldo Quintern, Fábio Galan, Carlos Maschio, Osvaldo Landin Jr. e Márcio Fister. Agachados: Carlos Birigui, José Bandeira, Gustavo Silva, Renato Silva e Adagoberto Navarro.
 
 
 
Após encerrar a fase de classificação com uma campanha convincente, onde conquistou 100% de aproveitamento, com 10 vitórias em 10 jogos disputados, a equipe de Basquete Master (40+) de Jales fará a final da 2ª Copa Monte Líbano de Basquete Master, uma liga regional da competição para atletas que tenham nascido até 1977.
 

A competição conta com 06 equipes das cidades de São José do Rio Preto (2 equipes do Monte Líbano), Catanduva, Cedral e Monte Aprazível, além de Jales. A disputa da fase de classificação aconteceu em turno e returno, onde cada adversário se enfrentou em duas oportunidades e a equipe jalesense conseguiu derrotar todos os seus confrontos.

Os números da equipe de Jales mostram sua supremacia em relação aos adversários: durante a fase de classificação, a equipe totalizou 693 pontos convertidos (média de 69,3 por jogo) e sofreu 469 pontos (média de 46,9 por jogo), resultando em uma diferença média de 22,4 pontos por jogo no placar contra seus adversários (224 pontos de saldo de cestas).

A final da competição acontece no último sábado de setembro, 30, às 14h30, na sede do Clube Monte Líbano, em Rio Preto, tendo como adversária a equipe anfitriã e atual campeã da competição.

O último confronto da equipe jalesense pela fase de classificação, que corroborou sua condição de líder invicta, foi contra a equipe de Monte Aprazível, no último sábado, 16, ocasião em que derrotou o adversário pelo placar de 72 x 62. Na partida, jogaram e pontuaram: José Bandeira, João Tunussi (06), Márcio Fister (03), Osvaldo Landin Jr. (23), Carlos Birigui (09), Renato Silva (12), Adagoberto Navarro (03), André Salviano (04), Ronaldo Quintern, Gustavo Silva (12) e Fábio Galan (T).

Mutirão “Vamos as Ruas” esteve em vários pontos de Jales





 
O segundo mutirão "Vamos as Ruas" aconteceu no último fim de semana com a agenda cheia para os colaboradores da instituição. Dando início na sexta-feira, 15 de setembro, na tradicional Festa das Nações na praça Euphly Jalles, os funcionários impulsionaram as vendas da rifa "Na Santa Casa eu Boto Fé IV". No dia 16 de setembro, sábado, no período da manhã, foi a vez de oferecer os cupons aos moradores dos bairros Paraiso, Roque Viola, Dercilio, Jardim Paulista e Big Plaza. O Fiat Mobi foi levado por um guincho, acompanhado por um carro de som e um carro do corpo de Bombeiros.

Para a gerente do setor captação de recursos, Luciana Vicente, os moradores dos bairros contribuíram muito com a Santa Casa "Eles escutavam o carro de som e ficavam nos esperando nos portões com o dinheiro na mão, a recepção foi excelente, vendemos quase 130 números apenas no período da manhã" ressaltou ela.

O provedor Junior Ferreira, que também participou do mutirão, agradeceu todos os moradores que contribuíram "A colaboração dos moradores é indispensável, fiquei muito feliz com a recepção que tivemos no sábado, agradeço o gesto solidário dos colaboradores e da população" enalteceu ele.

O sábado de "Vamos as Ruas" deu como encerrado no período da noite, com mais uma participação na Festa das Nações, dentre os três mutirões foram vendidos 230 cupons da rifa. Lembrando que o sorteio acontece no próximo sábado dia 23 de setembro e quem tiver interesse em ajudar, ainda dá tempo, por apenas R$9,99. Agradecemos a todos os parceiros que ajudaram para a realização do mutirão no fim de semana. O último "Vamos as Ruas" acontece no dia 20 de setembro, na quarta-feira, a partir das 19:00hrs na feira do comboio, colabore com a Santa Casa de Jales.

Ser bom é fazer com que muitas pessoas sintam felicidade em viver

Kie Kume é gerente da editora IRH Press do Brasil, que publica em português as obras de Ryuho Okawa. Um dos autores mais prestigiados no Japão, Okawa tem mais de 2.200 livros publicados, ultrapassando 100 milhões de cópias vendidas, em 28 idiomas. (www.okawalivros.com.br)



Em qualquer profissão, em qualquer situação, procure sempre cultivar sentimentos de justiça em relação à família, aos colegas ou aos subordinados. Ser justo é saber compreender os que nos cercam, é trabalhar por sua felicidade. Ser justo é também ter a coragem de usar um remédio amargo para reverter uma situação difícil, seja na família, na empresa ou na comunidade em que vivemos. A verdadeira justiça é a que nasce da Verdade. Começa com a consciência de que somos filhos de Deus. É a "justiça do bom coração", diz o autor japonês Ryuho Okawa em seu livro "As Leis da Justiça".

Em outro de seus livros, "O Renascimento de Buda", lançado na última Bienal do Rio, Okawa diz que "os iluminados não julgam o próximo. Os iluminados não tentam machucar as pessoas. E estão sempre prontos a oferecer uma boa palavra. São ignorantes os que lançam veneno no coração das pessoas. Ser bom é fazer com que muitas pessoas sintam felicidade em viver". Para o autor, a Grande Compaixão é "enxergar o sofrimento e a tristeza do próximo e derramar lágrimas por ele".

As leis humanas mudam de uma nação para outra, de uma época para outra, seguindo tradições e costumes. Uma atividade pode ser considerada ilegal em um país, não em outro, como, por exemplo, em relação ao casamento entre pessoas do mesmo sexo ou ao uso controlado de drogas. Já a justiça que nasce de um coração bom e compreensivo é eterna, porque se preocupa com a realização e a felicidade dos outros.

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão saciados; bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia", disse Jesus em seu conhecido Sermão da Montanha. Traduzindo essa mensagem para o mundo de hoje, poderíamos dizer "bem-aventurados" os que lutam por um mundo melhor, por justiça social, pela divulgação de ideias que conduzem à Verdade e à felicidade. Bem-aventurados todos os pais, todas as pessoas, governantes e governados, que seguem esse caminho. Construirão famílias, comunidades e nações mais prósperas e felizes.

No mês de outubro celebramos o dia das Crianças, que precisam de exemplos de retidão e justiça para moldar um caráter que as capacite a tornar nosso país e nosso mundo um lugar melhor para se viver. Que os pais consigam ser, ao mesmo tempo, exigentes, justos e compreensivos no desafio de proporcionar aos filhos uma educação plena, que inclua formação científica, cultura, história e valores morais. O mesmo desafio é dos professores, cujo dia também comemoramos em outubro. Eles têm boa parte da responsabilidade de formar pessoas transformadoras.

O mundo está sedento de justiça. Há minorias que não têm seus direitos respeitados. Há centenas de milhares que não possuem uma moradia digna. Há milhões que estão à margem do desenvolvimento. O mundo anseia pelo surgimento de governantes justos, que se preocupem com os excluídos. A Justiça que vem de Deus paira acima das leis humanas. É praticada com sabedoria, humildade e compreensão, com a consciência de que devemos, sim, atacar o pecado, mas sempre abraçando o pecador e dando-lhe condições para que volte a trilhar o caminho do bem. Quem de nós não cometeu erros ao longo da vida? Atire a primeira pedra quem não tiver pecado, disse Jesus a um grupo de seu tempo que queria apedrejar uma prostituta.

Todos nós somos chamados a cultivar sentimentos mais nobres em nossos corações. Todos nós somos chamados a participar da construção de um mundo melhor e mais justo. Se cada árvore produzir seus frutos, se cada um deixar germinar em seu coração as sementes do bem, estará formada a floresta do amor.

Encontro Diocesano de Espiritualidade da Pastoral da Sobriedade em Jales

 
No domingo, 17 de setembro, a pastoral da Sobriedade da Diocese de Jales realizou seu encontro de espiritualidade, dando início com a Santa Missa na Catedral Diocesana. Dando continuidade no Centro Pastoral, com palestra ministrada pelo Psicólogo da Comunidade Terapêutica Nova Jerusalém de Santa Fé do Sul, Sergio Renato, com o tema: A Família e a dependência química (Codependência).

Em um segundo momento de espiritualidade a Agente Pastoral de Jales, a Katia fez uma pregação sobre o "Bom Samaritano", missão da Pastoral da Sobriedade em ser acolhedora, em especial dos mais necessitados e discriminados devido ao uso indevido de drogas.

Terminando o encontro com testemunhos de pessoas que passou pelo programa de vida nova da Pastoral da Sobriedade. Contando ainda com a Benção do Padre Valdair, pároco da catedral.

O encontro teve a presença de mais de 100 pessoas.

O que é a Pastoral da Sobriedade? - A Pastoral da Sobriedade é a ação concreta da Igreja para o enfrentamento, de maneira concreta, do problema social da exclusão, miséria e violência. Nasceu em 1998, na 36ª Assembleia dos Bispos do Brasil, para responder à delicada questão do uso indevido de drogas. E hoje, vai além. Trata de qualquer tipo de dependência - química ou não – vícios, manias, compulsões ou pecados, auxiliando no tratamento de depressão e outras relacionadas aos transtornos emocionais.

Atua de forma orgânica. É uma Pastoral Social, de Inclusão e Conjunto. É a resposta imediata na Paróquia ao flagelo da dependência química.

Propõe 5 linhas de ação:
Na PREVENÇÃO ao uso de drogas.

Na INTERVENÇÃO junto a quem experimentou a droga, mas ainda não se tornou dependente dela.

Na RECUPERAÇÃO do dependente químico.

Na REINSERÇÃO FAMILIAR E SOCIAL do dependente em sobriedade.

Na ATUAÇÃO POLÍTICA onde entendemos todas as formas de articulação e diálogo.

E inicia suas atividades de forma concreta através da abertura do GRUPO DE AUTO-AJUDA DA SOBRIEDADE na Paróquia.

A porta de entrada para o desenvolvimento destas linhas de ação é o Grupo de Autoajuda da Pastoral da Sobriedade - GAA.

O grupo de autoajuda é a identidade da pastoral - O Grupo de Autoajuda atua: - na Prevenção e na Atuação Política quando, por ser pastoral orgânica desenvolve ações interligadas e age interligando as demais pastorais, movimentos e ministérios dentro da paróquia, quando, por ser pastoral social, busca ser causa de transformação pessoal, comunitária e da sociedade pela promoção de ações concretas em favor da Vida junto à iniciativa privada, escolas públicas, e governos. O GAA atua na Intervenção, Recuperação e Reinserção familiar quando exerce ação terapêutica e de evangelização, que traduzida na Terapia do Amor, trabalha para a sobriedade do dependente e sua família, simultaneamente durante as reuniões semanais do Grupo de Autoajuda e também atua enquanto pastoral de inclusão quando objetiva a inserção de cada participante tanto nas demais pastorais e atividades existentes na paróquia assim como na sociedade.

Durante as reuniões semanais é proposto um Programa de Vida Nova através da vivência dos 12 Passos da Sobriedade Cristã. Estas reuniões são cíclicas e ininterruptas que seguem o Calendário Nacional da CNBB-Coordenação Nacional. Em todo o Brasil, durante a semana, simultaneamente, o mesmo Passo é trabalhado em cada paróquia. É através da perseverança nas reuniões que o Programa de Vida Nova é proposto, compreendido e, pela graça de Deus, adotado como meta individual. Sua vivência leva à conversão. Por meio dele a pessoa é conduzida ao compromisso no agir cristão. A pessoa faz a redescoberta de si mesma, de sua autoestima, da importância da própria dignidade, dos autênticos valores cristãos, éticos e morais, de sua cidadania.

É a fé inserida no cotidiano da vida. Enfim, descobre a Vida Nova em Cristo cuja meta é uma caminhada perene em sobriedade à santidade.

"A vida em sobriedade continuada está diretamente ligada à espiritualidade do indivíduo", eis o silogismo que a ciência, sobretudo a medicina, anuncia. Sem abrir-se à ação de Deus tudo se torna efêmero. Deus ama, de maneira especial, a cada um de nós. E Ele tem para os seus filhos um Projeto de Amor, revelado por Jesus Cristo e garantido pelo Espírito Santo que gera a felicidade.

Com informações de Carlos Roberto Modesto Coordenador Diocesano da Pastoral da Sobriedade. (por Edivaldo Mella Janasco).

Investimento sustentável

Luiz Gonzaga Bertelli, presidente do Conselho de Administração do CIEE
e da Academia Paulista de História (APH)

Existe uma grande distorção na destinação dos recursos que o Brasil emprega na educação. Enquanto o país é um dos que menos gasta com os alunos do ensino fundamental e médio, as despesas com estudantes universitários se assemelham às nações desenvolvidas da Europa, segundo levantamento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). No estudo Olhar sobre a Educação, a organização analisou os sistemas educacionais de 45 nações, entre elas, países desenvolvidos e economias emergentes como China, Argentina e África do Sul.

O Brasil gasta anualmente US$ 3,8 mil por aluno até a 5.ª série do ensino fundamental. A quantia representa menos da metade dos recursos empregados pelos europeus, que tem como média US$ 8,7 mil de investimentos. Para efeito de comparação, Luxemburgo, o primeiro país do ranking, tem gastos em torno de US$ 21 mil para a mesma faixa. Das nações analisadas, apenas seis gastam menos que o Brasil, entre elas, Argentina, Colômbia e Indonésia.

Já no caso do ensino superior, a situação é bem diferente. Os gastos brasileiros superam os US$ 11 mil por aluno – o que representa mais que o triplo das despesas com ensino fundamental. Com o valor, o Brasil chega perto de países como Portugal e Espanha, que têm custos em torno de U$ 12 mil. A média de gastos dos países da OCDE é de US$ 16 mil por aluno da graduação. Apesar do aporte financeiro que dá ao ensino superior, o Brasil tem um dos índices mais baixos de jovens entre 25 e 34 anos com diploma universitário.

O fato é que nos últimos anos houve um aumento de investimentos públicos na educação, mas os resultados ainda são pífios, principalmente em relação à melhoria do aprendizado ou à qualidade do ensino. O Brasil continua entre os últimos colocados nas avaliações internacionais que medem conhecimentos de estudantes.

Apesar do maior acesso à educação, com a inclusão de estudantes menos favorecidos no ciclo escolar, o atraso na aprendizagem tem puxado o desempenho para baixo. Por isso, a importância de se investir em infraestrutura nas escolas, na formação e salário de professores e em um ensino fundamental e médio mais eficiente. Investir em educação é a única garantia de desenvolvimento sustentável para o país.


A periferia precisa de mais atenção do poder público


O Poder Público Municipal realmente precisa se voltar mais para os bairros periféricos onde reside a maioria da população. Em alguns setores, o aspecto de abandono em virtude da falta mais ampla de diálogo entre o Poder Público e população é visível. Nunca se deve colocar a falta de recursos acima da vontade política de realização. O Poder Público existe para solucionar os problemas existentes tanto na zona urbana como rural.

Se a solução do problema compete ao contribuinte, então deve ser notificado para tal fato. Recentemente um interagir entre o Poder Público e moradores do jardim Arapuã e adjacências, a praça João Diego Caparroz foi revitalizada. Parece não ser nada, mas a foto a esquerda (acima) é de 06/01/2017, e a da direita (ao lado), é de 22/09/2017. Simples não? Mudou a paisagem, apesar do muro e das placas.

ACIJ prepara uma grande festa para as crianças

 
O sucesso da comemoração do Dia da Criança pelo comércio de Jales, no ano passado, inaugurando um novo formato de evento para incentivar as vendas nessa data, levou a Associação Comercial e Industrial a atender as solicitações dos comerciantes do setor para repetir a festa com muitas diversões que estão sendo programadas para a noite de 11 de outubro, quando o comércio estará aberto em horário especial.

 
Já está definido que a área central será interditada para colocação de brinquedos infláveis e para as brincadeiras com a Turma do Avesso, além de outras atrações. Também haverá distribuição de algodão doce, pipoca doce e salgada, biscoitos e refrigerantes. Para isso a ACIJ conta com apoio da Keleck, Refrigerantes Saboraki e Pipoca Maroca. A Prefeitura também estará apoiando a festa através do Fundo Social de Solidariedade e da Secretaria Municipal de Planejamento e Trânsito.

 
Incentivo - O retorno da comemoração do Dia da Criança com esse formato foi muito bom para o comércio do centro da cidade, como afirmou o presidente da ACIJ, Carlos Roberto Altimari. Ele ouviu vários comerciantes afirmarem que a festa fez a diferença, contribuindo para o aumento das vendas.

Com a noite festiva deste ano, a ACIJ certamente estará fixando definitivamente mais esta data no seu calendário anual de eventos para fortalecer o comércio jalesense, como afirmou o presidente.

Carlinhos destacou que momentos de crise muitas vezes são oportunidades para lembrar que sempre é possível incrementar as vendas, inclusive com promoções específicas como essa e em outras datas como Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia dos Namorados, como a ACIJ já vem fazendo.

"O comércio pede essas promoções e a ACIJ procura sempre atender, inclusive com novas atrações e novos formatos, como esse preparado para o Dia das Crianças", afirmou Carlinhos (por Luis Ramires).

Após acordo com o MPF, Município conclui primeira etapa de revitalização do Bosque Aristóphano Brasileiro de Souza

 

Em cumprimento ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público Federal, a Prefeitura de Jales apresentou a primeira etapa do projeto de revitalização do Bosque Municipal Aristóphano Brasileiro de Souza. O acordo, assinado em junho deste ano, previa que até setembro fossem realizadas ações imediatas de limpeza e sinalização. A apresentação do espaço à população aconteceu nesta quinta-feira, 21 de setembro, quando se comemora o dia da árvore.
O espaço, um dos únicos da cidade aptos a promover o lazer, foi novamente aberto à visitação após muito tempo em situação de abandono. Segundo a administração municipal, nos últimos meses foram realizadas limpeza do local, poda das árvores, pintura e conserto dos alambrados, confecção de placas de sinalização ambiental e identificação de espécies, além do plantio de novas árvores. Em breve, deve ser apresentado o novo projeto arquitetônico e urbanístico do bosque.


"Iniciamos a revitalização do nosso bosque em grande estilo, envolvendo todos os setores da administração, voltando todas as nossas atenções a este local, que é tão importante para nossa cidade.", comentou o prefeito Flá Prandi Franco.

Ele explicou que agora o trabalho continua, com a apresentação do novo projeto arquitetônico e urbanístico do bosque: "certamente, o local será motivo de orgulho e satisfação para todos nós jalesenses, pois não vamos medir esforços para transformá-lo em lugar agradável e prazeroso para as famílias visitarem".


De acordo com o TAC, o projeto de revitalização deverá ser entregue ao MPF até o mês de dezembro, e, após aprovado, o Município de Jales terá até dois anos para concluir as reformas. Além da criação de playgrounds e quiosques, o projeto deverá garantir a acessibilidade das trilhas ecológicas e incluir um plano de gestão e vigilância do espaço. Com o acordo, a Prefeitura também se compromete a promover iniciativas para a efetiva utilização do bosque e a participação da comunidade, como caminhadas e passeios ciclísticos, encontros culturais ao ar livre, e projetos de educação sanitária e ambiental
em parceria com escolas públicas e particulares.

O procurador da República José Rubens Plates, responsável pelo inquérito que levou à assinatura do TAC, esteve presente à apresentação da primeira etapa de revitalização do bosque. A solenidade contou ainda com o plantio de mudas de árvores e com apresentações artísticas alusivas ao dia da árvore, realizadas por alunos de escolas municipais de Jales.











Retirado de pauta

Na reunião ordinária da Comissão Permanente de Educação da Câmara Federal, realizada no dia 20 de setembro, às 9h52m, o Projeto de Lei 3.266/2015- do deputado Vicentinho (PT) que "autoriza o Poder Executivo a criar a Universidade Federal da Região Noroeste Paulista" - cujo parecer havia sido rejeitado com envio de Indicação ao Poder Executivo, foi retirado de pauta pela relatora deputada Norma Ayub.

Quando deputado federal, o hoje prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB) apresentou uma indicação ao Poder Executivo para criação e implantação da Universidade Federal da Região Noroeste em Rio Preto.


Palavras de Allan Kardec

 
Allan Kardec - Desde que os Espíritos simpáticos são levados a se unir, como se explica que entre os encarnados a afeição frequentemente exista apenas de um lado e o amor mais sincero seja recebido com indiferença e mesmo com repulsa? Como, além disso, a mais viva afeição entre dois seres pode se transformar em antipatia e algumas vezes em ódio?

Os Espíritos - Não compreendes, então, que seja uma punição, embora passageira? Além disso, quantos há que pensam amar perdidamente porque julgam apenas as aparências, e quando são obrigados a viver em comum não tardam em reconhecer que se tratava somente de uma paixão material. Não é suficiente estar enamorado de uma pessoa que vos agrada e que supondes dotada de belas qualidades; é vivendo realmente com ela que a podereis apreciar. Quantas uniões, por outro lado, que a princípio pareciam incompatíveis e com o correr do tempo, quando ambos se conheceram melhor, se transformaram num amor terno e durável, porque baseado na estima recíproca! É necessário não esquecer que o Espírito é quem ama, e não o corpo, e que, dissipada a ilusão material, o Espírito vê a realidade.

– Há duas espécies de afeição: a do corpo e a da alma, e frequentemente se toma uma pela outra. A afeição da alma, quando pura e simpática, é duradoura; a do corpo é perecível: eis porque os que se julgam amar com um amor eterno acabam se odiando, quando passa a ilusão.

O Livro dos Espíritos: Pergunta 939
 
(Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade
do Grupo Espírita "Chico Xavier", de Jales).


FOLHAGERAL

Em entrevista

 

prestada na semana passada, 15 setembro, ao jornalista e radialista Ilson Colombo, da Rádio Dinâmica FM de Santa Fé do Sul, o deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB), de Votuporanga, se mostrou confiante em sua reeleição em 2018.

Carlão Pignatari


disse na entrevista que não vive da política e portanto não precisa percorrer o Estado atrás de votos. "Eu não saio da minha região; eu vou de Pereira Barreto até São José do Rio Preto, que eu acho possível cuidar bem e atender bem".

A fala


do deputado Carlão – que naquela data participou na I Festa do Peixe de Santa Fé do Sul e quer que o evento se estenda a Jales, Fernandópolis e Votuporanga – foi uma estocada no deputado estadual Itamar Borges (PMDB), que angaria votos em outras regiões do Estado.

Dirigindo-se


ao entrevistador, o deputado Carlão foi enfático: "Você não vai me ver fazendo campanha em Araraquara, São Carlos, Ribeirão Preto, São Paulo, nem uma vez, porque não é do meu perfil; eu quero ser um representante da nossa região […] e digo, é muito prático prá gente, eu não vivo da política".

A nota


divulgada pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de Jales, justificando o apoio dos 10 vereadores ao projeto de lei que corrigiu os valores venais dos imóveis urbanos em 22,07% – enviado ao Legislativo pelo prefeito Flá Prandi (DEM) – não caiu bem no meio dos contribuintes.

Nos bastidores


da política local, o silêncio dos vereadores teria sido melhor, já que a decisão já estava tomada e registrada. Tanto que, depois de vereador pedir desculpa à população, na rede social, por ter votado pela correção do IPTU, contribuintes desabafaram críticas ácidas.

Os vereadores


deveriam votar na segunda-feira (dia 18), em sessão extraordinária, projeto de lei criando dois cargos de Procurador do Município. Mas a pauleira sobre a matéria foi tanta na rede social que o Executivo retirou o projeto de lei. É preciso pensar antes, para fazer depois.

Conforme


decisão da Segunda Câmara do TCESP, nos autos em que analisou as contas da Prefeitura Municipal de Jales no exercício de 2012, foi determinada a abertura destes autos para tratar de acúmulo indevido de cargos públicos pelo médico Adelson Mariano de Brito.

O relatório


da fiscalização apontou que Adelson Mariano de Brito, médico admitido em 24/05/04 através de concurso público, também era servidor comissionado do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região de Jales (CONSIRJ), ocupando o cargo de Diretor Técnico, desde 02/01/2004, e servidor efetivo, no cargo de Médico Plantonista - lII, da Prefeitura Municipal de Palmeira D’Oeste, desde 02/02/ 2004, havendo, assim, acúmulo ilegal de cargos públicos e incompatibilidade de horários.

Por duas


vezes, os interessados não se manifestaram àquelas notificações do TCESP para apresentar suas defesas. Além de julgar irregular a matéria, o ex-prefeito Humberto Parini foi multado em 100 UFESP ou R$ 2.507,00.

Quando


o então secretário estadual de Turismo Laércio Benko esteve em Jales, em 10 de junho, foi recepcionado com um almoço pelo prefeito Flá Prandi, vice-prefeito José Devanir Rodrigues, dezenas de jornalistas, radialistas e blogueiros. Ele assistiu a um vídeo sobre as coisas boas da cidade. Este jornal admitiu que, daquele momento em diante, era certo o andamento do pedido de classificação de Jales como Município de Interesse Turístico (MIT).

Com visibilidade,


o Conselho Municipal de Turismo foi reativado – após aquela presença de Laércio Benko em Jales – para aprovar decisões a serem anexadas ao projeto de lei relacionado com a classificação de Jales como Município de Interesse Turístico (MIT). Sabidamente, o assunto é estratégico ao desenvolvimento do nosso município.

Por várias


vezes, no jornal online, no blog e na página do Facebook, esta Folha observou que o projeto de lei sobre o MIT jalesense não dava entrada na pauta de trabalhos da Assembleia Legislativa. Mas não havia informação em contrário da Secretaria Municipal de Comunicação, deixando a impressão de que o prefeito Flá e sua equipe de assessores tinham a tramitação da matéria sob controle, mas mantinha silêncio sobre o assunto.

O vice-prefeito


Garça chegou a falar uma vez, por solicitação do prefeito Flá Prandi, que o pedido pleiteado por Jales estava na Secretaria de Estado do Turismo sem especificar que era o projeto de lei sobre turismo no aguardo da documentação após a presença de Láercio Benko como hóspede oficial em Jales.

No início


desta semana, houve agitação lá no botequim da vila. Analistas locais alertaram que o projeto de lei de interesse de Jales, sob autoria do deputado Itamar Borges, foi apresentado em 2015 e passou por todas as etapas de tramitação na Alesp. Ou seja, desde 2015 nossa comunidade é mantida mal informada por razões desconhecidas.

Um analista


lá do botequim da vila, bem informado, diz que vários projetos de lei estão sendo analisados novamente, devido imperfeições na documentação , mas há municípios que podem ficar fora do MIT por falta de potencial exigido.

Tentando ver além das nuvens

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP é consultor
político e de comunicação. Twitter: @gaudtorquato

 
Nuvens pesadas, impedem que se descubra se haverá algum raio de sol nos horizontes do amanhã. Quando este amanhã está muito distante, lá pela primavera de 2018, querer enxergar o ambiente será um exercício de adivinhação.

Há muita fumaça a cobrir os céus nos próximos meses, resultantes de fogueiras acesas no terreno da política, algumas com capacidade de queimar perfis, deixando-os fora do pleito, como é possível inferir nos casos de Luiz Inácio Lula da Silva e Aécio Neves. Como o Brasil é o país do imponderável, é possível que Lula drible as condenações e volte ao ringue.

Comecemos pela tradicional repartição do eleitorado brasileiro entre três terços, dos quais teríamos um alinhado à direita do arco ideológico, outro fixado no centro e o terceiro sediado na banda esquerda. Os restantes 10% se diluiriam para um lado ou para outro, com possibilidade de se inclinar mais para o centro, a depender do clima de 2018, significando competição ferrenha ou, ainda, absoluta indiferença ao processo eleitoral em curso.

Quem vai acusar a quentura ou a frieza do meio ambiente é o termômetro da economia, sob a hipótese de que uma boa situação econômica jogaria um dinheirinho a mais no bolso do consumidor. O coração agradecido acabaria o eleitor votando em candidatos identificados com o bem-estar. (Esta é a equação que este consultor designa de BO+BA+CO+CA= Bolso, Barriga, Coração, Cabeça).

Já um ambiente muito quente, capaz de gerar certa ebulição social, tenderia a favorecer protagonistas afastados do status quo, explicitamente localizados nas margens do arco ideológico – esquerda ou direita – e capazes de ganhar a sociedade indignada. Na ponta direita, Jair Bolsonaro, com uma visão ultra conservadora, e na margem esquerda, um perfil de oposição, saído das fileiras do PT- Fernando Haddad ou outro apoiado por aquele partido. Se Luiz Inácio salvar-se da fogueira, poderia se transformar em eixo catalisador. As pontas poderão abrigar velhos perfis radicais, sem grandes consequências, como figuras do PSTU e de entes nanicos.

Mas há protagonistas que pleiteiam disputar o canto esquerdo, dentre elas, Marina Silva e Ciro Gomes. A ex-seringueira possui um perfil asséptico, como legítima representante do ambientalismo, tem credibilidade. Parece, no entanto, não ter estofo para aguentar dura e sangrenta batalha pela Presidência. Ciro Gomes, saindo pelo PDT, ganharia boa votação no Nordeste, mas tende a ser corroído por bolsões do Sudeste. Ciro é uma metralhadora ambulante. Tem um arsenal expressivo que acaba minando suas chances.

Vale recordar que os perfis de centro teriam condições de puxar pedaços de blocos tanto da direita quanto da esquerda. Ou seja, quando falamos de centro, entenda-se o espaço que se estende ao centro-direita ou ao centro-esquerda. Quem seria esse figurante?

Comecemos pelos quadros que já se mostram como pré-candidatos: Geraldo Alckmin e João Doria. Ambos preenchem espaços do centro à direita. Geraldo tem história no PSDB, identifica-se com valores do equilíbrio, ponderação, seriedade, positiva imagem pessoal. É criticado por lhe faltar determinação. Há dúvidas sobre o leque de alianças que formaria.

Doria tende a ser visto como a "novidade", a estampa contemporânea, o perfil que incorpora demandas do momento, a partir do conceito de "bom gestor", como tenta ser. Se conseguir ser o candidato tucano, tem condições de fechar grande arco de alianças. E José Serra? Debilitado, não disporia de fôlego para uma campanha presidencial.

Restaria, por último, Henrique Meirelles, cuja candidatura dependeria do sucesso da economia e consequente apoio de partidos grandes e médios, a começar pelo PMDB. Joaquim Barbosa, ex-presidente do STF, teria imensa visibilidade, mas não tem "fígado" para suportar uma campanha. Fala-se de Carlos Ayres Britto, ex-presidente do STF, poeta, advogado, pessoa admirável. Toparia? Muito difícil.
 

Quem consegue o equilíbrio

José Renato Nalini
secretário estadual de Educação

 
Equilibrar-se é algo natural a quem frui higidez, algo muito difícil para quem não está bem, seja física, seja mentalmente.

Verdade que o mundo não está ajudando muito. Tudo tumultuado, más notícias, incertezas, dissensos e ameaças. Não é fácil viver neste século XXI em que tudo é surpresa. E falta surpresa boa. Enquanto que as ruins são abundantes.

Estar em paz consigo mesmo seria um bom início. Mas como estar em paz, se ao derredor tudo parece em convulsão? Quem não se emociona com crianças refugiadas morrendo? Mas não é necessário ir longe. Quantas crianças brasileiras e jovens têm sido alvo de uma bala perdida? E os moradores de rua? E os viciados? E os dependentes de todo o tipo de droga. Droga ilícita, mas também droga lícita. Até mesmo aquilo que, não fora o exagero, poderia parecer normal.

Diante dos quadros melancólicos fornecidos por uma sociedade que já não sabe dialogar, esqueceu-se de tolerar e na qual cada um quer impor a sua verdade a qualquer preço, não é fácil conservar a paz.

Há quem não consiga equilibrar suas contas. Gasta sempre mais do que percebe. A tanto contribui a circunstância de o custo de vida acompanhar o impostômetro, enquanto que o salário congelou.

Equilibrar-se requer profundo empenho pessoal. Mergulho dentro de sua consciência. Avaliação serena de prós e contras. Relacionar tudo o que se recebeu da vida e sempre gratuitamente e o que se devolveu a ela. Avaliar as coisas boas e espontâneas que nada custam: a inocência das crianças, a natureza, alguns gestos generosos, o heroísmo de tantos.

Equilibrar-se nestes tempos exige mais do que o exercício do equilibrista circense. Parece ter sido escrito para o ser humano de 2017 o poema "No circo", do poeta Cassiano Ricardo, que integrou a Academia Paulista de Letras e de quem encontro esta produção, no livro "Um Dia Depois do Outro": Entre o leste e o oeste/entre Deus e o Demônio/entre o ser e o não ser/ entre o alguém e o ninguém/entre a hora do coração e a do estômago/ando na corda, e de braços abertos/, em cada mão um prato da balança. Num a dor, noutro a esperança!".

Que possamos manter o equilíbrio entre os dois pratos, já que o da esperança dá a sensação de ser sempre muito mais leve quando cotejado com o da dor.