Páginas

terça-feira, 22 de abril de 2014

Inscrições para o Curso de Pedagogia da Terra começam hoje

Começam hoje, 22 de abril, as inscrições para a segunda turma do curso de licenciatura em Pedagogia da Terra destinado a assentados, promovido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), em parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O regulamento completo do processo seletivo para o curso de licenciatura em Pedagogia da Terra está disponível nos endereços eletrônicos www.ufscar.br e www.vunesp.com.br, onde podem ser feitas as inscrições até o dia 30 de maio.




Serão oferecidas 60 vagas, com início das aulas no segundo semestre. O processo seletivo é composto de prova objetiva e redação, que serão realizadas no dia a 19 de julho, na UFSCar, em São Carlos (SP). A divulgação dos resultados (convocados em primeira chamada e lista de espera) está prevista para o dia 04 de agosto, sendo que a matrícula deverá ser feita em 18 de agosto. Haverá divulgação dos convocados em segunda chamada no dia 19 de agosto, sendo que estes deverão fazer a matrícula nos dias 20 e 21 de agosto.

Os educadores formados em Pedagogia da Terra estarão habilitados a dar aulas em educação infantil, ensino fundamental e educação de jovens e adultos (EJA). A primeira turma concluiu o curso em 2011. Dos 41 educadores formados, a maioria trabalha atualmente na área de educação, em instituições públicas e privadas.

O Pronera – O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária foi criado em 1998 e oferece cursos que vão desde a alfabetização de jovens e adultos até o ensino superior e pós-graduação. Para adequar o programa à realidade dos assentados, tem sido adotada uma metodologia conhecida como Pedagogia da Alternância, em que o educando desenvolve parte de suas atividades na escola e parte na sua comunidade de origem. Com isso, preserva-se o vínculo com os assentamentos rurais.



Juiz manda soltar homens acusados de roubar melância

Duas melancias. Dois homens que roubaram as frutas. Um promotor, uma prisão. E vários motivos encontrados pelo juiz Rafael Gonçalves de Paula da 3ª Vara Criminal da Comarca de Palmas, no Tocantins, para mandar soltar os indiciados.
"Poderia sustentar que duas melancias não enriquecem nem empobrecem ninguém; poderia aproveitar para fazer um discurso contra a situação econômica brasileira, que mantém 95% da população sobrevivendo com o mínimo necessário", argumenta o juiz.
Outras razões também são usadas pelo juiz, que ao final da sentença decide pela liberdade dos acusados "em total desprezo às normas técnicas: não vou apontar nenhum desses fundamentos como razão de decidir". (com informações do Espaço Vital)

Leia decisão na íntegraDecisão proferida pelo juiz Rafael Gonçalves de Paula nos autos nº 124/03 - 3ª Vara Criminal da Comarca de Palmas/TO:
 


DECISÃO
 
 
Trata-se de auto de prisão em flagrante de Saul Rodrigues Rocha e Hagamenon Rodrigues Rocha, que foram detidos em virtude do suposto furto de duas (2) melancias. Instado a se manifestar, o Sr. Promotor de Justiça opinou pela manutenção dos indiciados na prisão.
Para conceder a liberdade aos indiciados, eu poderia invocar inúmeros fundamentos: os ensinamentos de Jesus Cristo, Buda e Ghandi, o Direito Natural, o princípio da insignificância ou bagatela, o princípio da intervenção mínima, os princípios do chamado Direito alternativo, o furto famélico, a injustiça da prisão de um lavrador e de um auxiliar de serviços gerais em contraposição à liberdade dos engravatados que sonegam milhões dos cofres públicos, o risco de se colocar os indiciados na Universidade do Crime (o sistema penitenciário nacional).
 Poderia sustentar que duas melancias não enriquecem nem empobrecem ninguém.
Poderia aproveitar para fazer um discurso contra a situação econômica brasileira, que mantém 95% da população sobrevivendo com o mínimo necessário.
Poderia brandir minha ira contra os neo-liberais, o consenso de
Washington, a cartilha demagógica da esquerda, a utopia do socialismo, a colonização européia.
Poderia dizer que George Bush joga bilhões de dólares em bombas na cabeça dos iraquianos, enquanto bilhões de seres humanos passam fome pela Terra - e aí, cadê a Justiça nesse mundo?
Poderia mesmo admitir minha mediocridade por não saber argumentar diante de tamanha obviedade.
Tantas são as possibilidades que ousarei agir em total desprezo às normas técnicas: não vou apontar nenhum desses fundamentos como razão de decidir.
Simplesmente mandarei soltar os indiciados.
Quem quiser que escolha o motivo.
Expeçam-se os alvarás. Intimem-se
Palmas - TO, 05 de setembro de 2003.

Rafael Gonçalves de PaulaJuiz de Direito
 
Fonte: http://www.conjur.com.br/2004-abr-



domingo, 20 de abril de 2014

Deputado Carlão Pignatari anuncia R$ 1,5 milhão para construção de galerias em Urânia

O deputado estadual Carlão Pignatari anunciou, quinta-feira, 17 de abril, em Urânia, que o município foi selecionado para receber recursos do Fundo Estadual de Defesa de Interesses Difusos (FID), órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.
Urânia poderá receber R$ 1.529.858,00 para a construção de galerias a céu aberto, eliminando um problema antigo da cidade. O anúncio foi feito no gabinete do prefeito Francisco Airton Saracuza e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Donizeti Mussato, da primeira-dama e também vereadora Marinete Saracuza, além de secretários municipais e amigos.
Carlão encaminhou, acompanhou e apoiou o projeto de Urânia que visa eliminar o problema de inundações, no período de chuvas, o que tem causado grandes transtornos na cidade. O deputado Carlão teve 12 projetos de 11 municípios selecionados no FID. Agora, o prefeito deve apresentar o projeto executivo com mais detalhes para celebração do convênio
Na oportunidade, o prefeito Saracuza comentou que o governo já liberou outros R$ 250 mil, a pedido do deputado Carlão Pignatari, para a construção de galerias em outro ponto da cidade e está em vias de ser liberado o recurso da ordem de R$ 140 mil, por solicitação da vereadora Marinete, para a construção de uma pista de skate, além de um R$ 40 mil para aquisição de um veículo para o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social). O prédio do CRAS, reivindicado por Carlão, já foi concluído.
"Estamos trabalhando para consolidar, cada vez mais, a parceria que firmamos com o prefeito Saracuza, um homem que não mede esforços para buscar benefícios para sua população. E nós estamos juntos nesse trabalho", destacou o deputado Carlão Pignatari.


sábado, 19 de abril de 2014

Se a Facip

 
deste ano não foi um sucesso como era esperado também não foi um fiasco. Para os "experts" a não realização da festa no ano passado com todo aquele imbróglio Câmara e a "Comissão" da dita festa, e a indecisão sobre a realização Facip neste ano, podem ter causado o impacto de uma festa mediana, muito aquém das já realizadas.
 
 
 
Enquanto
 
estiverem preocupados com a cultura da "bota e do chapéu" a tendência da Facip é ir se deteriorando. Esse tipo de festa está em extinção.
Tanto
que uma instituição de ensino local teria feito uma pesquisa durante estes dias de Facip e constatou que os visitantes da região de Jales – aqueles que vem e vão – preferem que a festa continue no molde atual – shows e rodeios – enquanto que os residentes na cidade e de cidades mais distantes, entendem que a festa precisa mudar para atrair grandes expositores. Mudar para agronegócios, com shows e rodeios como em todas a cidades com festas de nível.
Osvaldo Costa
Júnior, da BX Eventos, disse ao repórter Osmar Pereira Rezende que a festa não foi lucrativa e dias destes deverá divulgar o balancete da receita e despesa. Quando se têm lucro poucos tomam conhecimento, com prejuízo ou lucro irrisório, a população fica sabendo.
A prefeita
Nice que acompanhou os dois dias do encontro aéreo e gostou do que viu e até se emocionou com as apresentações que embelezaram o céu de Jales. Só que em terra, na terça-feira, Nice não deve ter tido nenhuma emoção com a não realização do desfile, cujo responsável foi a chuva, segundo os organizadores. Pela manhã estava apenas uma garoa fina.
Em outras
épocas, com chuva ou sol, o povo fincava pé na avenida para assistir desfiles. Isso faz anos. Na terça-feira, a avenida ficou vazia e público – pais e familiares – à frente do palanque onde crianças se apresentavam. A tentativa da prefeita Nice em ressuscitar um evento que estava enterrado há muito tempo, deu com os burros na água.
A praça
"João Mariano de Freitas", cujo nome é uma homenagem a um dos pioneiros na fundação de Jales, por décadas foi chamada de a "praça do jacaré". Poucos conheciam o nome real da praça.
 
Agora
 
estão chamando a praça Dr. Euplhy Jalles , o fundador da cidade, de a "praça da fonte luminosa". A assessoria da prefeita Nice está querendo eternizar as suas promessas de campanha. Ela reativou a fonte luminosa, que não está tal qual a antiga
 
 
 
 
 

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Prefeito Airton Saracuza, de Urânia visita o secretário Marcos Penido, da Habitação


O secretário estadual Marcos Rodrigues Penido, prefeito Airton Saracuza, chefe de
gabinete José Carlos e o assessor Aguinaldo Quintana, durante a visita
Na terça-feira, 8 de abril, o prefeito Francisco Airton Saracuza e o chefe de gabinete da Prefeitura, José Carlos Neves, estiveram visitando o Secretário de Estado da Habitação Dr. Marcos Rodrigues Penido, momento em que também foram recebidos pelo assessor de gabinete, Aguinaldo Lopes Quintana Neto.
O prefeito Airton Saracuza foi desejar a Marcos Penido, sucesso nessa nova empreitada, e também aproveitou o ensejo para reivindicar em prol da população de Urânia.
Saracuza disse que foi muito gratificante conversar com o secretário Marcos Penido e seu assessor Aguinaldo Quintana. "Fomos cumprimentar o Dr. Marcos Rodrigues Penido por estar á frente da Secretaria Estadual de Habitação e desejar a ele uma profícua administração". O prefeito Saracuza acrescentou ainda que "aproveitamos o momentos e, lógico, reivindicamos mais casas populares para o nosso povo".
Segundo Saracuza, o secretário Marcos Penido viu com bons olhos "esse nosso pedido".

Em São Paulo, Saracuza assina convênio na Secretaria de Estado de Meio Ambiente

 
Secretário de Estado do Meio Ambiente em exercício Dr. Rubens
Naman Rizek Junior. prefeito Airton Saracuza e o chefe de
gabinete da Prefeitura de Urânia José Carlos Neves



O prefeito Francisco Airton Saracuza e o chefe de gabinete do Poder Executivo, José Carlos Neves, estiveram em São Paulo na terça-feira, 8 de abril para assinatura de convênio e retirada dos equipamentos de informática – computador, impressora e outros – quando foram recebido pelo Secretário de Estado do Meio Ambiente em exercício Dr. Rubens Naman Rizek Junior.
O equipamento recebido do órgão estatal terá por finalidade atender num prazo de dois anos, as inscrições dos imóveis rurais do município de Urânia no Sistema de Cadastro Ambiental Rural – SICAR –SP, a contar da data de assinatura do convênio.
Os equipamentos foram instalados junto ao Departamento de Agronegócios e Meio Ambiente do Município de Urânia que tem como diretor Rubens Shigueki Nishi, localizado na avenida Presidente Kennedy, s/n° onde funciona a Casa da Agricultura.
O que é o CAR?
Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um cadastro eletrônico que deve conter os dados básicos das propriedades rurais. O cadastro é obrigatório a todas as propriedades e posses rurais e os dados informados são declaratórios (como é, por exemplo, a declaração do Imposto de Renda), de responsabilidade do proprietário ou possuidor rural. Os dados do CAR farão parte do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural – o SICAR, que ficará sob responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, do Ministério do Meio Ambiente e do Ibama.

Símbolos da semana

D. Demétrio Valentini

 
As primeiras páginas da Bíblia estão repletas de símbolos. Eles desafiam nossa inteligência. E nos mantêm alertas para perceber novos significados que possam abrigar por trás da ousadia de seus símbolos.
Os primeiros onze capítulos do Livro do Gênesis não são relatos históricos. São textos simbólicos. Lançam mão da estratégia de usar cenas com aparências históricas, para expressar situações amplas e permanentes.
Por exemplo, a "história" de Caim matando o seu irmão Abel, infelizmente não se reduz a um episódio isolado, que a Bíblia registra. Porque na verdade é uma cena simbólica, mostrando quanto a humanidade continua impregnada de sentimentos negativos que levam os irmãos a se matarem entre si.
Da mesma maneira, é simbólica a "história" do dilúvio que cobriu toda a terra, ou a "história" da torre de Babel. Usam um gênero literário parecido com as "parábolas", que Jesus contava com maestria.
Seria muito cômodo reduzir estes relatos à sua aparência concreta. O desafio é interpretar o seu significado, que é sempre mais amplo do que sugere sua fisionomia externa.
O relato da criação do mundo dentro dos moldes de uma "semana", foi o objeto preferido das apressadas acusações contra a Bíblia. Hoje a semântica reconhece que este relato faz parte das mais famosas páginas que a literatura mundial já registrou.
Entre tantos símbolos, usados neste relato da criação do mundo que a Bíblia apresenta, o símbolo da semana continua sendo o mais rico, e o mais valorizado pela liturgia.
Para a Bíblia, a semana é a medida simbólica da totalidade do universo. Desde a sua primeira página, apresenta o mundo ritmado na sequência de sete dias, expressando a perfeição do projeto divino e sua realização harmoniosa na natureza.
Daí nasce a força simbólica da semana. Na linguagem bíblica, ela é a medida do universo, e a expressão dos desígnios originais de Deus, o Criador.
Cristo veio retomar estes desígnios, e refazê-los com a nova medida da misericórdia divina, que assimila as consequências do pecado, e reintegra a humanidade em seu mistério de amor.
A ação de Deus, na primeira criação, é colocada no contexto da semana. A "nova criação", realizada por Cristo, também é colocada na sequência de uma semana.
A primeira semana, da criação do mundo, revela o poder de Deus, que faz tudo acontecer sob o comando de sua palavra.
A segunda semana, também revela o poder de Deus. Mas um poder diferente, que surpreende a humanidade. O poder da misericórdia, que assume a forma de fraqueza humana, manifestada pela humilhação do Cristo que aceita o sofrimento e a morte, frutos do pecado, para vencê-los com a força do amor. 
A semana da criação revela a eficácia da Palavra criadora, que ordena e tudo acontece. A semana da redenção manifesta a fecundidade da obediência de Cristo, que aceita o cálice amargo, e por meio dele redime a humanidade e faz acontecer o "homem novo", que manifesta todo o seu vigor na glória do Ressuscitado.
Após 40 anos, o povo entrou na terra prometida. Após os quarenta dias da quaresma, somos convidados a entrar no mistério de Cristo, que nos torna novas criaturas, pela força do seu amor redentor.
 

Prefeitura de Mesópolis distribui ovos de páscoa


 
Nesta quarta feira, 16 de abril, parte da manhã, o o prefeito Leandro Polarini, a primeira–dama Marinângela Zequine Campos Polarini, o vice prefeito Aparecido Vieira da Silva e vereadores realizaram uma maravilhosa festa de Páscoa com a distribuição de 850 ovos de chocolate.
As crianças da Creche Municipal, Pré-Escola e Ensino Fundamental foram recebidos no Centro Comunitário pelo "Coelho da Páscoa", onde lhes foram servido um lanche especial e brincaram a vontade no pula-pula. No encerramento, cada criança recebeu um delicioso ovo de Páscoa.
A intenção na distribuição de ovos de Páscoa é fazer com que as crianças mesopolenses, tenham uma páscoa feliz e recheada de alegria.
Logo a seguir, a primeira-dama Marinângela Polarini se dirigiu à escola estadual, onde entregou um ovo de páscoa para cada aluno e aos funcionários.
Na parte da tarde, foi promovida uma belíssima festa no Centro de Convivência do Idoso – CCI de Mesópolis, quando os funcionários da Prefeitura receberam cada um, delicioso ovo de páscoa.
E para encerrar o dia com chave de ouro foi entregue ovos também para os alunos de Educação de Jovens e Adultos (Eja).

Na tribuna da Câmara Federal, Edinho Araújo fala de Jales

Na manhã desta quarta-feira, 16 de abril, o deputado federal Edinho Araújo ocupou a tribuna da Câmara Federal para um pronunciamento sobre os 73 anos de Jales.
Parceria – "mantenho uma importante parceria com a prefeita Nice Mistilides, o vice prefeito Pedro Callado e os nossos companheiros do PMDB municipal". 
Hospital do Câncer – "desde o início do meu mandato venho trabalhando em favor da unidade regional do Hospital de Câncer de Jales, buscando verbas federais para que a instituição mantenha o nível de excelência no atendimento gratuito aos que mais precisam"
Santa Casa – Neste ano destinei emenda de R$ 500 mil para equipar o hospital, que é uma referência no diagnóstico e tratamento do câncer, atendendo 100% pelo Sistema Único de Saúde
Para Jales - A pedido da prefeita Nice, também busquei verbas para recapeamento, junto ao Ministério do Turismo, no valor total de R$ 500 mil
Finalizou – Quero agradecer pelo carinho que recebemos das autoridades e da população de Jales e reafirmo a importância de mantermos essa parceria produtiva. Muito obrigado.

Alunos de Sistemas de Informação ministram palestras em ETEC de Jales e Ilha Solteira



 


Nos dias 29 de março e 9 de abril, o aluno do curso de Sistemas de Informação da Unijales, Ródney dos Santos Mazuqui (foto abaixo) e o professor do curso de Técnicas em Vendas, Ricardo Henrique Brigati (foto do meio), ministraram palestras nas escolas ETEC de Ilha Solteira e ETEC de Jales.
Rodney Mazuqui falou sobre "Segurança em Sistemas", mostrando aos alunos do curso técnico todo o princípio de segurança e como um sistema transforma dados em informação útil para as empresas. Durante sua palestra o professor também explicou porque esses dados se tornaram o alvo favorito de ladrões de informação. Na palestra demonstrou várias formas de ataques e invasões a sistemas e apresentou medidas para prevenir e solucionar este tipo de problema.
Ricardo Brigati é gerente na empresa WorkTech em Jales e foi instrutor contratado neste ano pela Fatec de Jales para aplicar o curso Técnicas em Vendas, em Vitória Brasil. Ricardo usou sua experiência para explicar aos alunos de Tecnologia de Informação, como é a estrutura organizacional de uma empresa, a importância do profissional ético, como agir no primeiro emprego e segundo dados apresentados, qual é a razão deste profissional estar escasso em todo o país.
Os alunos da ETEC de Jales e da ETEC de Ilha Solteira se interessaram pelos temas e fizeram perguntas aos palestrantes que responderam todas as questões com segurança. A palestra de Ilha Solteira foi aberta ao público e contou com a participação de alunos da Etec de Pereira Barreto.



EDITAIS DE PROCLAMAS

Ademir de Mattis, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de Jales, Estado de São Paulo. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro.
DANILO RODRIGUES MANDARINI e MAITHÊ BATATA CRESPO. ELE, natural de José Bonifácio, deste Estado, nascido aos 25 de setembro de 1.981, funcionário público estadual, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Antonio Mandarini e de Nilza Rodrigues Mandarini. ELA, natural de Valença, Estado de Rio de Janeiro, nascida aos 26 de março de 1.988, médica, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Marco Aurelio Nascimento Crespo e de Cibele Batata Crespo.
PAULO ROGÉRIO NEVES DA SILVA E CINTIA CASSIANA APARECIDA MARIN. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 12 de outubro de 1.982, agente de faturamento, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Paulo Candido da Silva e de Romilda Cristina Neves da Silva. ELA, natural de Cassilândia, Estado de Mato Grosso do Sul, nascida aos 23 de novembro de 1.984, empresária, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de José Antonio Marin e de Matilde Teixeira.
GIOVANI ROMA MISSONI e ADRIELE MIRANDA COLOMBO. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 18 de novembro de 1.985, advogado, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de João Missoni Filho e de Maria Esteli Roma Missoni. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 15 de abril de 1.987, psicóloga, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Luiz Donizeti Colombo e de Elenir Miranda Colombo.
HUDSON ROGERIO DA SILVA e EVELYN MOLINA QUEIROZ RIBEIRO. ELE, natural de Jales, deste Estado, nascido aos 11 de janeiro de 1.985, educador fisico, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Rubens Gonçalves da Silva e de Sueli Felix da Silva. ELA, natural de São Paulo, deste Estado, nascida aos 21 de junho de 1.982, caixa, solteira, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Abedias Queiroz Ribeiro e de Marli Aparecida Molina Ribeiro.
JOÃO ROBERTO DA ROCHA e MÉRCIA CLAUDIA GARCIA. ELE, natural de Palmeira D’Oeste, deste Estado, nascido aos 16 de janeiro de 1.962, funcionário público municipal, solteiro, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Osvaldo José da Rocha e de Mercedes Martim Rocha. ELA, natural de Jales, deste Estado, nascida aos 09 de janeiro de 1.973, advogada, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Miguel Garcia Alonso e de Izabel Marques Garcia.
KELVER LUÍS MERLOTTI e LUCILENE APARECIDA FIOCHI. ELE, natural de Fernandópolis, deste Estado, nascido aos 09 de julho de 1.963, comerciante, divorciado, residente e domiciliado nesta Cidade, filho de Dante Luiz Merlotti e de Elza Borges Merlotti. ELA, natural de Santa Fé do Sul, deste Estado, nascida aos 19 de outubro de 1.968, arteterapeuta, divorciada, residente e domiciliada nesta Cidade, filha de Carlos Anastacio Fiochi e de Neuza de Lourdes Fiochi.
SE ALGUÉM SOUBER DE ALGUM IMPEDIMENTO OPONHA-O NA FORMA DA LEI. LAVRO OS PRESENTES PARA SEREM AFIXADOS NO REGISTRO CIVIL E PUBLICADOS NA FOLHA NOROESTE, NESTA CIDADE DE JALES.
Ademir de Mattis - Oficial


Polícia Federal entrega bombons para pacientes do Hospital de Câncer de Barretos – Unidade III de Jales



Na manhã desta quinta-feira 17 de abril, funcionários da Polícia Federal distribuíram para os pacientes do Hospital de Câncer de Barretos, unidade Jales (SP), milhares de bombons em comemoração à Páscoa. Os doces foram adquiridos e doados pelos funcionários e servidores da PF da cidade em uma ação de solidariedade aos pacientes que são atendidos diariamente no local. Juntamente com os bombons também foi entregue uma mensagem de otimismo aos pacientes.
O Hospital de Câncer de Barretos é referência nacional no tratamento do câncer com prevenção e tratamento totalmente gratuitos. Pacientes de todo o país são atendidos pela instituição. Os recursos públicos, provenientes do Sistema Único de Saúde (SUS) não são suficientes para cobrir os altos custos do tratamento, por esta razão, há necessidade de complementação de recursos que são obtidos por meio de ações de beneficência tais como leilões e doações de pessoas físicas e jurídicas. Estas ações são realizadas em diversas cidades do Brasil. Caso queira colaborar com a instituição acesse a página www.hcancerbarretos.com.br e saiba como ajudar o Hospital de Câncer de Barretos

Karatecas conquistam medalhas Karatecas conquistam medalhas

Etyara (esquerda), no pódio após receber a medalha de ouro
O professor de karatê, Sensei Edson Resende, da Associação Resende de Karatê, juntamente com alguns de seus alunos da região, conquistaram onze medalhas – 6 medalhas de ouro, 4 de prata e 1 de bronze – 1° Etapa do Campeonato Estadual de Karatê estilo livre realizado em Campo Grande (MS), no último final de semana.
As medalhas de ouro foram conquistadas pelos atletas: Etyara Mariana Augusto (kumitê), Isadora Pampamim Peres (kumitê), Izenir Lima Gavioli (2 – kumitê e katá), Nilton Roberto Assunção Filho (katá) e pelo Sensei Edson (katá);
As medalhas de prata foram conquistadas por: Evandro Toshio Morita (katá), Guilherme dos Santos Ferreira (katá), Nilton Roberto Assunção Filho (kumitê) e pelo Sensei Edson (kumitê). A medalha de bronze foi conquistada por Arthur Ferreira Sanches (katá).
O Campeonato Estadual da FKMS será realizado em três etapas e as próximas serão realizadas nos meses de julho e setembro de 2014. 
Sensei Edson sempre lembra também que a participação em competições é uma ótima maneira de colocar em prática os ensinamentos adquiridos durante os treinos na academia e já prepara seus alunos para participarem da 2ª Copa Inxterestadual de Karatê que será realizada no Ginásio Municipal de Esportes " Dr. Waldemar Lopes Ferraz" em Jales, no dia 25 de maio, a partir das 8h30m

Cinco municípios da região de Jales recebem kit cinema do Estado

Embora o Estado de São Paulo tenha o maior mercado de exibição cinematográfica do País, para muitos paulistas o prazer de assistir a um filme na tela grande é simplesmente impossível, em função da ausência de salas de cinema em várias cidades.
Com o objetivo de ampliar o acesso à Sétima Arte para um número maior de cidadãos, o governador Geraldo Alckmin formalizou nesta quarta-feira, 16 de abril, a doação de cinco kits de projeção para municípios da região de Jales
"Hoje é um dia muito feliz, pois temos como parceiros as prefeituras, os assentados e os quilombolas. E também porque estamos descentralizando a cultura, levando-a a todo nosso Estado, ao encontro das pessoas, dos municípios e da área rural", disse o governador Alckmin. A cerimônia também contou com a participação do Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araujo, e da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, Eloisa Arruda.
"Em Bastos, há muito tempo não existe uma sala de cinema. Então, há uma geração inteira que nunca teve acesso a essa arte, e que agora vai ter", ressaltou Virgínia Fernandes, prefeita de Bastos, falando em nome dos demais chefes de Executivos municipais.
Os municípios da região de Jales que receberam kits cinema em 2014 são: Marinópolis, Rubineia, Santa Clara D’Oeste, Santana da Ponte Pensa e São Francisco,
O Programa de Incentivo à Criação de Salas de Exibição de Filmes existe desde 2010. Cada kit é composto por uma tela de projeção de 3 x 4 metros, um projetor, aparelho de DVD, mesa de som e caixas de som. A maior parte das cidades atendidas tem menos de 50 mil habitantes.
"A Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo trabalha de forma transversal com relação ao audiovisual. Apoiamos a produção por meio dos programas de incentivo à cultura, patrocinamos alguns dos maiores festivais de País, mas também estamos muito atentos à necessidade de ampliar o acesso ao cinema nas cidades, para que esta linguagem artística conquiste novos públicos e para que os cidadãos tenham a possibilidade de desenvolver seu pensamento crítico e a sua cidadania por meio do contato com os filmes", afirma o Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araujo.
Além de não possuir sala de cinema, outro critério de escolha das cidades foi a apresentação, por parte do município, de um plano de uso dos equipamentos. Isso porque cada cidade é responsável pela operação do programa e deve garantir a realização de sessões inteiramente gratuitas. É responsabilidade das Prefeituras, ainda, disponibilizar espaço para as sessões, que também podem ser itinerantes. Auditórios, bibliotecas, escolas, praças e até plenário de câmaras municipais têm sido usados como locais de exibição pelas cidades que participam do projeto

BPP em Jales é premiado


Realizada na manhã de terça-feira, 15 de abril, no Palácio dos Bandeirantes, a 5ª edição do prêmio anual do programa gerenciado pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) reuniu 300 convidados e premiou 22 unidades. (ver quadro abaixo)
8 categorias                                       1º, 2º e 3º lugares
habitantes                                         respectivamente.
Até 7,5 mil – Lupércio, Sud Menucci e Santa Cruz da Conceição
Até 15 mil – Divinolândia, Itajobi e Terra Roxa3 –
Até 30 mil – Santa Fé do Sul, Pereira Barreto e Cândido Mota;
Até 50 mil – Presidente Venceslau, Jales e Santa Cruz do Rio Pardo
Até 100 mil – Avaré, Amparo e Leme
Até 300 mil – Araçatuba, Araras e Ribeirão Pires
Acima de 300 mil – Sebrae-SP Rio Pequeno, Ribeirão Preto e Sorocaba
Maior produção per capita: Rubinéia


"O Estado de São Paulo, por meio do Banco do Povo Paulista (BPP), faz o dever de casa, vai na contramão do país e oferece dinheiro barato, com juro negativo de 4,2% ao ano (0,35% ao mês), abaixo da inflação atual. Além disso, o BPP contribui na geração de emprego, que é o melhor programa social do mundo". Assim, Tadeu Morais, secretário de Estado do Emprego, resumiu a importância da oferta de microcrédito.
O trabalho conjunto entre Estado, prefeituras, agentes de crédito e empreendedores foi destacada por Edson Aparecido, secretário chefe da Casa Civil;. "O Banco do Povo (Paulista) é um dos mais importantes programas do Governo do Estado. Ele não resulta em obra, mas, sim, na oferta de crédito para oferecer emprego, trabalho e renda, levando esperança a inúmeras famílias. São vidas reconstruídas através do microcrédito", disse.
Em seu discurso, Mendonça destacou as mais de 346 mil famílias atendidas pelo programa em quase 16 anos de história e a atuação da equipe. Atualmente, são mais de 600 agentes de crédito espalhados pelo Estado. "Foram mais de R$ 1,3 bilhão emprestado no período. É uma honra reconhecer e valorizar o trabalho dos agentes de crédito e das prefeituras parceiras, que levam a esperança de transformação de vida ao cidadão empreendedor", resumiu.
Na sequência, o diretor-executivo celebrou os mais de R$ 1 milhão transferido às prefeituras conveniadas para o pagamento do Bônus por Participação nos Resultados (BPR) aos agentes de crédito.
Proporciono felicidade e realizações de sonhos – Primeiro lugar na categoria 2, a agente de crédito de Divinolândia, Geonvana Beti, destacou a importância econômica do programa para o município. "Com o Banco, conseguimos gerar empregos através dos novos empreendimentos e contribuímos para o aumento da receita da nossa cidade. Me sinto honrada em fazer parte deste trabalho. Como agente, proporciono felicidade e realizações de sonhos", orgulhou-se.

Governo de SP entrega veículos para transporte de alunos atendidos por Apaes e entidades assistenciais


 
O governador Geraldo Alckmin e o secretário da Educação, professor Herman Voorwald, entregaram nesta terça-feira, 15 abril, em cerimônia no Parque Villa-Lobos, na capital, 272 veículos para transporte de crianças e jovens às Apaes e outras entidades assistenciais de 262 municípios paulistas. A iniciativa tem como objetivo aprimorar o serviço oferecido a 28 mil alunos atendidos nas instituições conveniadas.
A APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais das cidades de Jales, Palmeira D’Oeste e Santa Fé do Sul receberam cada uma um veículo para transportes dos alunos.
O investimento total é de mais de R$ 41 milhões para a compra dos veículos entregues a entidades conveniadas com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. São três modelos de transporte, com 10, 15 e 23 lugares.
A rede estadual de ensino de São Paulo é pioneira na inclusão e na oferta de atendimento educacional especializado a estudantes com deficiência. Atualmente, a Secretaria possui convênios com Apaes e outras entidades assistenciais no valor total de R$ 115 milhões ao ano. Estas instituições atendem cerca de 28 mil estudantes em todo o Estado. Todas as instituições oferecem atendimento pedagógico e educacional para crianças e jovens com deficiência motora, visual, mental ou auditiva e também para autistas.
Além disso, mais de 62 mil alunos também frequentam classes regulares e recebem atendimento em ambientes regidos por professores especializados e equipados com materiais pedagógicos específicos, de acordo com o tipo de deficiência.

Corregedoria do MPF realiza correição ordinária em Jales

Entre os dias 22 de abril e 8 de maio, a Corregedoria Geral do Ministério Público Federal realizará correição ordinária em todas as unidades da Procuradoria da República em São Paulo, sediadas na capital e em mais 26 municípios (alguns incluem mais de uma unidade). Entre os objetivos da atividade está a verificação da regularidade do serviço, da eficiência e pontualidade dos membros no exercício de suas funções e do cumprimento das obrigações legais.
No Ministério Público Federal – MPF em Jales, a correição será realizada na sexta-feira, 25 de abril, das 9 horas às 10 horas. O prédio do MPF em Jales fica na rua 15, 2.238, centro
Durante a realização dos trabalhos será reservado um período para atendimento ao público, o que permitirá que os cidadãos apresentem críticas, reclamações ou sugestões sobre a atuação do MPF. A equipe de correição também entrará em contato com a realidade de cada unidade e terá um panorama das principais dificuldades e necessidades, o que permitirá que sejam traçadas diretrizes para maior otimização da atuação institucional.

Exemplificação

Adelvair David

A educação no seu aspecto de transferência de conhecimentos geralmente é oferecida pela escola ou por outra instituição apropriada para este fim, porém, existe uma que não pode ser transferida, ensinada, embora seja comum ouvir-se dizer o contrário, é a chamada educação moral.
Este tipo de educação é bastante controversa e não há um só país onde elas se concordem plenamente, atendendo a costumes milenarmente transferidos de homem a homem.
Se, no que se refere à aquisição de conhecimentos todos podem de alguma forma ensinar, a educação moral não se concretiza apenas com o passar de informações. É fácil observar-se na sociedade pais bons terem filhos maus e pais ruins terem filhos bons, numa clara demonstração, no nosso entendimento, que há no ser humano uma bagagem que extrapola a vida presente tendo raízes no passado. Os pais ou responsáveis, apenas auxiliam, conduzindo para que o espírito modifique suas tendências negativas e melhore as positivas, promovendo assim o progresso do "ser" sob a sua guarda temporária.
Mas, se não concordam na forma, no fundo um só meio há de auxiliar-se alguém a adquirir valores morais, é a exemplificação. Como a humanidade goza de uma característica comum, que é a imperfeição, as palavras acabam por não surtir efeito positivo naquilo que se objetiva, pois conclui-se, a princípio, que seres imperfeitos não poderiam ensinar conceitos perfeitos, portanto a educação moral seria sempre falha. Entendemos ainda que o homem faz leitura de alma do seu igual, e muitas vezes as palavras ficam então sem crédito. Desnudando os fariseus disse Jesus: vocês são sepulcros caiados, belos fora e cheios de podridão.
A exemplificação é forma eficaz de oferecer o que se deseja que o outro receba. Os bons homens da humanidade ensinaram muito mais exemplificando do que falando. Mesmo imperfeito, se o homem estiver procurando viver vida digna, não necessitará dizer muito, sensibilizará o coração com quem convive, motivando-o a mudar a maneira de pensar, de agir e de proceder, para melhor.
Falar de amor é fácil, os poetas inebriados pelo luar prateado cantaram trovas de belíssimas construções, mas, somente Ele, o generoso Senhor luarizou as noites escuras das almas sofredoras dando-lhes vida, e vida plena, como o faz até os nossos dias.
EXEMPLIFICA O BEM E O AMOR NASCERÁ EM TODA PARTE.

A cidade de Jales e a UniJales: a tradição e os desafios para futuro

Reitor Prof. Dr. Silvio Luiz Lofego

 
O nome é um registro que guarda um sentido, nem sempre tranquilo, mas sem dúvida carrega a identidade; ainda que conflituosa, carrega também a memória e a capacidade de nos situarmos tanto temporalmente quanto espacialmente. A nomenclatura, então, cumpre seu papel na materialização do nosso imaginário. Desse modo, o ato de nomear é também um ato de construir sentidos, nas correlações que cada um traz ou leva. Nos sonhos, nas lutas e nas conquistas é que cada um nós constrói a identidade. E, desta feita, estabelece o elo entre o individual e o coletivo.
Depois de alguns anos vivenciando o mundo acadêmico da universidade pública (especificamente da Unesp/Assis) e uma rápida passagem pela PUC/SP, cheguei a Jales em 2001. O motivo? A Unijales (na época FAI/Jales). Por meio dessa Instituição, fui inserindo-me na cidade de Jales, adentrava num mundo novo e excitante. Naquela solitária aventura, pouco a pouco fui desvendando uma nova realidade. Novas pessoas e muito trabalho. Pessoas com a marca Unijales, uma marca mais viva e vibrante que eu já havia conhecido. Essas pessoas surpreenderam e me conquistaram pela competência, comprometimento, seriedade, dedicação e muita responsabilidade. No entanto, como alguém que mergulha no desconhecido, tudo era tão incerto, e, de incerteza em incerteza, fui transitando entre erros e acertos, até, nos dias de hoje, chegar à reitoria. Cabe notar que, embora eu sinta a Unijales como parte da minha família, ainda me deparo com a incerteza do vir-a-ser e ansioso em acertar. Assim, como um estrangeiro que aqui chegou pelas mãos da Unijales, não consigo dissociar a cidade da instituição. Como historiador, aprendemos e entendemos o quanto as instituições de ensino foram responsáveis pela projeção de uma cidade, de uma província e, até mesmo, de toda uma nação.
As instituições promovem o entrecruzamento das culturas e aprimora o crescimento social e material. Dá pra imaginar Portugal sem Coimbra? A Alemanha sem Frankfurt? A Inglaterra sem Oxford? A França sem a Paris Sorbonne? São Paulo sem a USP? Apesar de momentos difíceis que cada uma possa ter vivido, fica difícil separar cada um desses lugares da contribuição e projeção que suas Instituições alcançaram. Uma cidade cujo patrimônio está restrito a atividade fabril (mesmo que de automóveis) pode desaparecer diante de uma mudança brusca da economia (Detroit, nos Estados Unidos, quase se tornou uma cidade fantasma). Já uma universidade tem o poder de irradiar e de atrair, de importar e exportar, de levar o nome da sua localidade aos lugares mais longínquos. Pois bem, com Jales não é diferente, com a Unijales não é diferente. Hoje temos profissionais espalhados pelos mais diversos cantos do Brasil. Profissionais que são doutores em suas áreas e carregam o nome de Jales pelas mãos da Unijales.
Neste sentido, não resta dúvida. A UNIJALES se confunde com a História e a Memória de Jales. É, indiscutivelmente, um motivo de orgulho para essa cidade. Aqui, em que pese os problemas, as dificuldades impostas pelas crises que penalizaram o funcionamento financeiro, bravamente professores, coordenadores e funcionários imprimiram, ao longo de 44 anos, a marca da qualidade, a marca da superação, a marca de um ideal: o de vencer. Na Unijales, boias-frias tornaram-se professores, domésticas tornaram-se professoras, balconista tornou-se empresário, faxineira tornou-se enfermeira, e, destes, muitos tornaram-se profissionais renomados e respeitados nos mais distantes cantos deste imenso país. A Unijales, é desta feita, um marco irradiante da nossa identidade local e vem reinventando seu caminho junto com os desafios que se impõe.
Nos últimos anos, a presidente da mantenedora tem travado uma luta heroica para que essa marca supere as dificuldades e cresça para atender aos ideais de desenvolvimento que todos nós buscamos. Pois, se de um lado temos problemas de ordem econômica, que tanto já atrapalhou voos mais ousados, de outro lado, temos a excelência acadêmica de um trabalho pedagógico plenamente reconhecido seja pelas avalições do MEC ou por resultados alcançados por nossos ex-alunos. A imagem e a dimensão que esta Instituição tem dado ao povo jalesense são inquestionáveis, agora, com o alicerce construído nos últimos tempos, é hora de avançar.
No momento em que a Instituição e a cidade de Jales conquistam mais um aniversário, vale ressaltar que é notório a contribuição da Unijales para a construção do futuro de Jales e região. Numa história e memória que se entrecruzam, vamos abraçar o desejo de um caminhar rumo ao futuro de nossos sonhos. Jales e Unijales: parabéns!! A cidade e o seu Centro Universitário unidos num mesmo objetivo: o de uma relação recíproca que resulte cada vez mais em motivo de orgulho para todos os filhos desta terra.

Como é difícil pedir desculpas

*Flávio Carvalho

Mandar flores com um bilhete de desculpas é fácil. Prometer não mais incidir no erro, também e fácil. Reconhecer nossos erros, até é fácil. Bem ou mal temos um certo senso crítico. Agora, olhar nos olhos da pessoa que magoamos e pedir desculpa, e prometer não mais incidir no erro, isto e muito difícil.
Quando, com sinceridade, reconhecemos nossos erros, e quando nossos erros magoam as pessoas, principalmente aquelas que amamos, isto e muito difícil, dói muito. Teremos que engolir nosso orgulho, reconhecer que não somos perfeitos, que falhamos, e muito difícil.
Não fomos criados para magoar as pessoas com nossos erros. Não estamos nem preparados para errar, quanto mais magoarmos as pessoas com nossos erros.
Pedir desculpas e reconhecer que somos falhos, que somos fracos. Mas o exercício de se desculpar é necessário, e muito importante para o nosso crescimento e evolução como seres humanos.
Somente os fortes conseguem olhar nos olhos e pedir desculpas sinceras. Somente os fortes conseguem cumprir a promessa de não mais incidir nos mesmos erros. Errar e admissível, mas não com os mesmos erros sempre.
Somente os anjos não erram. E existem tais anjos? Acredito que sim. E quando nos não mais errarmos, não mais magoarmos as pessoas, quando expulsarmos de nos todo o orgulho e egoismo, também seremos anjos.
Pedir desculpas, o primeiro passo para a angelitude.
Olharmos nos olhos e pedir perdão pelos nossos erros, isto e exercício de humildade, isto e lutar contra o orgulho que ainda nos habita.
Não ter medo e nem vergonha de pedir perdão. Fazer este exercício sempre que necessário, mas o mais importante, e não incidir no erro.
Comece já este exercício de se desculpar. Comece pedindo desculpas a você mesmo, pois você anda se magoando muito ultimamente, disto eu tenho certeza. Peça agora mesmo desculpa a você mesmo, se desculpe e prometa não mais se magoar. E depois passe a etapa seguinte, peça perdão a todos aqueles que você magoou com teus erros. Se você pensou, pensou, e concluiu que não tem ninguém para pedir desculpas, ou você está a um passo da angelitude, ou você ainda e muito orgulhoso.
Magoar as pessoas com nossos erros, infelizmente faz parte fortemente de nossas vidas. E somos muito competentes neste quesito, de magoar os outros. Está na hora de sermos também competentes no ato de pedir desculpas e de se desculpar. Mas o mais necessário e aprendermos a não errar, ou errar cada vez menos. Pois quando pedimos desculpas em demasia, e porque estamos errando demais.
Pedir desculpas, exercício necessário a nossa jornada evolutiva. Comece já!
Flavio Rodrigo Maçon. Carvalho – equilibriumtc@hotmail.com

PALAVRAS DE CHICO XAVIER

 
Pergunta – No decorrer da Idade Antiga e Idade Media, o homem estava mais compenetrado da necessidade de cultuar Deus. Observamos que a própria arte, a escultura, a pintura, a literatura nos apresentava Deus.Mas, na Idade Contemporânea, que é a que vivemos, podemos perceber uma distância do homem para com Deus. Podemos também observar confusão na própria arte, na pintura. A música nos apresenta reflexos de uma humanidade confusa, louca, em busca da paz. Os nossos jovens estão enveredando para o caminho dos tóxicos... A que você atribui esta diferença nas Idades, onde no passado o homem buscava Deus com mais intensidade e hoje está perdendo a fé religiosa?
Chico Xavier – É que estamos em tempo de renovação muito grande, com problemas gigantescos a resolver; as religiões trabalhando de comum acordo para que atendamos às novas concepções em torno da existência de Deus. Eu não vejo os problemas da atualidade como sendo ausência de Deus; mesmo porque quando a comunidade tenta se distanciar de Deus, ocorrem fenômenos que obrigam esta mesma comunidade ao retorno do pensamento voltado para Deus.

Na última Grande Guerra, muitas comunidades européias que diziam ser materialistas, quando bombardeadas, quando dilapidadas pelos processos da guerra, elas voltaram de novo aos templos e oraram, pedindo a benção de Deus em favor da própria sobrevivência. Então o homem, nesta marcha em que vamos, muitos de nós parecemos marginalizados diante das idéias cristãs; isto tudo é ocorrência excepcional. Na realidade, no íntimo, todos sentem necessidade de Deus.

Esta coluna tem o patrocínio e responsabilidade da  "Associação Espírita "Chico Xavier" de Jales. 
 
 

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Fator de risco: Síndrome metabólica é o mal do século nas grandes cidades

Estresse, má alimentação e sedentarismo causam um distúrbio na utilização da insulina pelo organismo, o que leva ao diabetes, hipertensão e colesterol alto

Muitas pessoas podem não reconhecer pelo nome, mas a síndrome metabólica faz parte da vida de milhões de brasileiros. Classificada como o mal do século, o problema afeta, principalmente, os moradores das grandes cidades. Isso porque é gerado pelo estresse, má alimentação e sedentarismo, típicos de uma rotina atribulada na metrópole. O resultado da falta de cuidados com a saúde é um distúrbio na utilização da insulina fabricada pelo organismo, o que leva ao diabetes, hipertensão e colesterol alto. Combinadas, as doenças aumentam em 2,5 vezes o risco de mortalidade por um problema cardiovascular, como acidente vascular cerebral e infarto, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão."
A síndrome metabólica acompanha as transformações da sociedade. O ingresso das mulheres no mercado de trabalho, a facilidade de acesso ao fast food e a utilização de eletrodomésticos que facilitam as atividades rotineiras da casa, mas contribuem com o sedentarismo, fizeram com que a doença se tornasse cada vez mais prevalente. Como as mulheres têm uma predisposição maior à obesidade, estima-se que a síndrome metabólica afete 40% delas em todo o mundo, enquanto o índice de homens que desenvolvem o problema fica em 28%", explica a geriatra da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Lúcia Eid.
Segundo a especialista, os sinais de alerta do desenvolvimento da doença são as alterações nos níveis de glicemia, colesterol, pressão arterial e gordura corporal. "Em jejum, a glicemia deve estar abaixo de 110mg/dL. O HDL, considerado o bom colesterol, precisa estar acima de 40 mg/dL em homens e ser superior a 50 mg/dL em mulheres, o mau colesterol, chamado LDL, deve estar abaixo de 150 mg/dL e a pressão arterial precisa ser mantida em 12 por 8. Além disso, a circunferência abdominal dos homens não deve ultrapassar os 102 centímetros e, das mulheres, 88", detalha.
A síndrome metabólica não tem cura, apenas controle. Por isso, para prevenir a doença, é importante manter uma alimentação saudável e ter uma vida ativa. "Não basta frequentar a academia. É preciso inserir atividades físicas durante o dia, como preferir a escada ao elevador, estacionar o carro um pouco mais distante do local de destino para que possa caminhar alguns minutos a mais, optar por atividades de lazer com movimento, como passar um dia no parque a assistir a uma sessão de cinema", sugere a especialista.

Cuidado com as crianças
A vida moderna impactou não só os adultos, mas também as crianças. "O lazer se tornou passivo, baseado em jogos eletrônicos e televisão, e a alimentação desregrada dos pais foi transferida aos filhos. Com isso, a síndrome metabólica, classificada anteriormente como uma doença própria da Terceira Idade, passou a ser diagnosticada, cada vez mais, em crianças e adolescentes. O problema é que, quanto mais jovem, maior é o risco de morte", alerta.

Chocolate: deixa de ser vilão e benefícios são apontados por pesquisas

Pesquisas indicam que sete entre 10 brasileiros consomem chocolate. Essa estatística aumenta até 25% em ocasiões como Páscoa, Inverno, Dia dos Namorados e Natal. 
Segundo a nutricionista do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) Gislene Malta, há diferentes tipos de chocolate e cada um com efeito peculiar.
– Chocolate branco - não tem cacau na sua composição e tem mais açúcar e gordura.
– Chocolate ao leite - é o preferido do consumidor, tem alguma quantidade de cacau, leite e açúcar.
– Chocolate meio amargo - possui entre 40 e 55% de cacau, pouca quantidade de manteiga de cacau e açúcar.
· – Chocolate negro ou amargo - é o que tem mais cacau, entre 60 e 85%, menos açúcar e gordura.
"Pode-se presumir que o mais indicado é o que apresenta maior quantidade de cacau, porque ele é o responsável pelos benefícios atribuídos ao alimento. Contém alto teor de flavonóides e antioxidantes, que reduzem riscos de doenças cardiovasculares", afirma Gislene. 
Segundo a profissional, o chocolate também possui substâncias bioativas, além dos flavonóides, e a sinergia desses componentes podem ser responsáveis pelos benefícios observados. 
"O consumo diário do chocolate amargo, por exemplo, reduz a pressão arterial e o colesterol, o que previne a doença cardiovascular", ressalta.
Recentemente, pesquisam deram uma reviravolta na questão do consumo do chocolate. A revista americana "Archives of Internal Medicine" publicou um estudo com 1.081 pessoas de 20 a 85 anos que consumiam o produto regularmente e, apesar de não seguirem dieta alimentar, mantinham os índices de massa corpórea sem aumento de peso. 
A nutricionista citou ainda um artigo publicado em 2013 no "Journal of Psychopharmacology" que atribui ao chocolate à sensação de prazer e bem-estar. 
"Embora seja um dado empírico, os compostos polifenóis têm uma afinidade aos receptores do humor, significando que sua ingestão pode iniciar um efeito calmante".
No caso dos portadores de diabetes, a profissional recomenda o consumo do chocolate diet, composto por pasta e manteiga de cacau, leite em pó, sorbitol e adoçante (usados em substituição ao açúcar). 
Contudo, o valor calórico é maior porque há mais gordura em sua composição. Também cita os chocolates a base de soja para intolerantes à proteína de leite e/ou lactose.
"É preciso ressaltar que, apesar dos benefícios citados, o chocolate deve ser consumido com moderação por qualquer pessoa. Não se deve ultrapassar os 30 gramas por dia, pois é um alimento com alto teor de gordura", adverte Gislene.

Banda Sandália de Prata será uma das atrações do evento

 
Jales participará do Circuito SESC de Artes. Neste ano, a edição que tem como tema "Conectando lugares, circulando idéias", estará em Jales no sábado, 3 de maio, das 17h às 22 h, na praça Euplhy Jales, . O evento contará com uma intensa programação artística composta por atividades de circo, dança, música, teatro, cinema e vídeo.

Os artistas integrantes do circuito têm o objetivo de causar a suspensão da rotina do cotidiano das cidades, criando diálogo com o público, provocando sentidos e promovendo a arte e cultura de modo geral. Nesta edição, a o Circuito Sesc de Artes conta com uma novidade: a plataforma online. Além das programações que acontecerão nas cidades contempladas com o projeto, a ação também acontecerá na plataforma online com conteúdos exclusivos publicados diariamente que possibilitarão que o público interaja com fotos e comentários.

Para a assessora de Cultura, Ivani Franco Pereira, "Esse projeto é um presente para população Jalesense, pois proporciona às pessoas o contato com as diferentes vertentes da linguagem artística, de forma totalmente gratuita, promovendo a democratização da manifestação cultural".

Injustiças na aposentadoria

Ruy Altenfelder

A diferença entre as aposentadorias pagas pelo INSS e as recebidas pelo funcionalismo federal evidencia quanto os benefícios concedidos a quem dedicou a vida de trabalho na iniciativa privada são escandalosa e injustamente menores. Pesquisa divulgada pela imprensa no início do ano mostra que 10,8 milhões de aposentados urbanos ficavam com a remuneração média mensal de R$ 1.240 – reajustados sistematicamente abaixo da inflação –, contra valores que variavam entre R$ 6.558 (Poder Executivo) e R$ 25.225 mil (Poder Legislativo), atualizados com indicadores melhores. Além dessas disparidades, há aspectos que seriam pitorescos se não fossem trágicos. Por exemplo, segundo os levantamentos, servidores ativos do Judiciário chegam a ganhar menos do que os inativos: R$ 13.375 contra R$ 16.726.

Especialistas defendem a unificação dos dois sistemas de aposentadoria, apoiando-se em vários argumentos. Um deles: o governo destina menos de R$ 50 bilhões por ano para cobrir o déficit previdenciário de mais de 30 milhões de beneficiários, ao mesmo tempo em que canaliza mais de R$ 60 bilhões para atender menos de 1 milhão de servidores federais inativos. A própria Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social aponta para outro risco: o envelhecimento da população. Hoje, mais de um terço dos 30 milhões de benefícios pagos pelo INSS já se destina a pessoas com mais de 65 anos. Esse número deverá crescer ainda mais com o aumento da expectativa de vida, que poderá chegar ao pico de 84,5 anos até 2060, enquanto via diminuindo a faixa demográfica dos brasileiros em idade produtiva.

Registre-se, a bem da verdade, que nos últimos anos a legislação vem limitando as distorções: em 2003 acabou com a paridade entre servidores ativos e inativos; em 2012, determinou que funcionários do Executivo contratados a partir de 2013 terão o valor da aposentadoria limitado ao teto previdenciário da época. Com isso, quem quiser receber mais terá de contribuir para um recém-criado fundo de pensão complementar. São bons passos. Mas ainda urge corrigir a remuneração dos milhões de aposentados do setor privado.

*Ruy Martins Altenfelder Silva é presidente da Academia Paulista de Letras Jurídicas (APLJ)

Ministério da Agricultura participa de Rally da Pecuária

O 4º Rally da Pecuária vai contar com a participação ativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretária de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC). Nesta edição, será realizado um estudo sobre o Plano ABC, que pretende verificar como e com que frequência a linha de crédito do Programa ABC tem sido aplicada nos estados brasileiros.

O Plano ABC, implementado em todo o Brasil desde 2011, traz tecnologias de produção sustentável visando a consolidação de uma agricultura de baixa emissão de carbono e aumento da renda dos agricultores. Durante o Rally, técnicos do Mapa irão entrevistar os produtores rurais a fim de verificar no campo a adoção das tecnologias do Plano, como a recuperação de pastagens e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF). O Rally, realizado em abril e maio, vai ser composto por cinco equipes que vão percorrer cerca de 40 mil quilômetros, passando por 9 estados e mais de 160 municípios.

A largada será no dia 24 de abril, em Mato Grosso do Sul. Os resultados devem ser apresentados ao final do Rally, que segue por todo o mês de maio. Desde 2011, o Plano ABC já capacitou quase 20 mil técnicos e produtores rurais e já foram financiados cerca de R$ 6,55 bilhões por meio do Programa ABC, com a assinatura de quase 23,5 mil contratos. De 2010 a 2014, os recursos utilizados por meio do Plano tiveram um aumento de 584%.

O sentido da solidariedade, amor e amizade

Por Celiane Falco



Nada mais distante da realidade do que acreditar que estejamos imunes a problemas graves de saúde. Ninguém pode ter tal certeza e, foi justamente por isso, que optamos por escrever este artigo, que tem como foco principal um tema que parece já estar muito discutido e vivenciado por milhares de pessoas no mundo: a doença do câncer.


Sabe-se que não é um tema prazeroso pra ser escrito e lido, contudo é necessário. O primeiro pensamento lógico sobre o tema é que além de devastar com a própria pessoa que tem a doença, assola todos ao seu redor, pois o sofrimento causado é muito grande.

Pensamos em discutir experiências recentes, mas sabíamos que seria traumático, pois parece estar cada vez mais comum ouvirmos que tal pessoa está com câncer. Ora isso está ocorrendo com um familiar, ora com um amigo, ora com um vizinho e ora com um conhecido. Infelizmente, palavras como: cirurgia, quimioterapia, radioterapia, biópsia, exames estão sendo cada vez mais utilizadas no cotidiano das pessoas.

Em momentos de idas e vindas a hospitais, consultórios e ambulatórios, a luz promissora que surge para quem passa por esse problema é o apoio familiar e de amigos. Lembramos aqui do caso de uma amiga que quando necessitou cortar o cabelo, logo cortamos também. No passo seguinte, raspou a cabeça, resultado: raspamos também. Isso tudo foi feito por amizade, amor e solidariedade.

Comumente, o que ocorre quando uma pessoa que esteja com câncer é o isolamento. Os conhecidos se afastam. Já pararam pra pensar como seria importante segurar a mão da pessoa durante uma sessão de quimioterapia? Ou então apenas ouvi-la? E dar aconchego e colo?

Há algo que deva ser repensado: Não confundir apoio com dó. A boa estrutura familiar, a ajuda dos amigos, a capacidade de superação contribuem significativamente para a cura do câncer e de outras doenças. O ato de ficar doente pode acontecer com qualquer pessoa, porém nos esquecemos disso e muitas vezes deixamos os doentes se perderem pelo caminho.

Existem muitas campanhas de prevenção ao câncer, mas nenhuma delas aborda realmente como um paciente de câncer se sente e mesmo de que tipo de apoio precisa. Como já dito, o principal foco dessas campanhas é a prevenção, que é perfeito, necessário e essencial para evitar milhares de novos casos. Contudo, pensamos que seja necessário um trabalho preventivo e educativo, ensinando as famílias e amigos a como lidar com as pessoas com a doença.

As pessoas não nascem com esses atributos: eles precisam ser incutidos em cada um. As pessoas, famílias, vizinhos, parentes e amigos devem estar preparados para transmitirem valores positivos para os doentes. Outro ponto para ser pensado é ouvir os doentes para, a partir deles, criarmos uma poderosa arma que dispare amor, amizade e solidariedade.

Quando um portador dessa doença se faz de forte, duas coisas podem estar acontecendo. Talvez ele realmente esteja preparado para vivenciar essa experiência ou, na maioria das vezes, percebe que sua família não tem estrutura para aguentar o fardo pesado da doença. Com isso, o doente é quem tenta consolar a família e amigos.

Há, enfim, inúmeras situações nas quais os doentes realmente requerem ajuda, porém, por despreparo daqueles que os rodeiam, não a conseguem da maneira que deveria ser. Outro fato é que: dó deve ser extinto e as respostas requerem trabalho muito mais profundo.

Celiane Mancini Falco: Acadêmica de Ciências Contábeis da UFMS - Campus de Três Lagoas E-mail: celiane16@gmail.com e celianef@terra.com.br

Arrastão da Campanha do Agasalho acontece na quinta (24)


 
O inverno está se aproximando e mais uma vez o Fundo Social de Solidariedade de Jales realiza a Campanha do Agasalho. A iniciativa anual que antecede a estação do inverno para beneficiar à população carente acontece no dia 24 de abril.
O Arrastão da Solidariedade visa arrecadar cobertores e peças de vestuários em boas condições de uso, percorrendo diversos bairros da cidade. A saída será em frente a SABESP às 17h30. Diversos voluntários participam da campanha, como veículos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, Polícias Militar, Civil e Florestal, Corpo de Bombeiros e clubes de serviços.
Além do mutirão, a população também pode fazer a sua doação nos diversos postos de arrecadação que serão instalados na cidade, a exemplo das escolas da rede municipal, estadual e particulares de ensino, clubes de serviço, supermercados, Câmara e Prefeitura Municipal, delegacias de polícia, sede da OAB Jales, agências bancárias, igrejas, Hospital de Câncer, Santa Casa, entre outros.
As peças arrecadadas serão distribuídas à população carente durante um bazar, cuja data será definida pela equipe do Fundo Social. “É muito bom ver toda cidade se envolvendo em uma ação tão importante, doando, arrecadando ou recebendo as roupas. Convido a todos a se engajarem novamente nessa causa, que promove a solidariedade e a união da sociedade. Vamos olhar pra quem mais precisa, doando peças em bom estado de conservação”, afirmou Zezé.