Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Nei Lopes e Roberta Nistra cantam e contam seus caminhos de fé no Samba na Gamboa


Diogo Nogueira traz a devoção para o programa deste domingo (3/7), às 11h, na TV Cultura
 O Samba na Gamboa traz como tema para a próxima edição o Samba de Fé. O anfitrião Diogo Nogueira recebe Nei Lopes e Roberta Nistra (foto), que contam e cantam sobre suas devoções. O programa vai ao ar neste domingo (3/7), às 11h, na TV Cultura.  
O compositor, cantor e escritor Nei Lopes comenta que sua mãe não tinha uma formação religiosa. “Ela não pertencia a nenhuma casa de culto: era uma coisa dela e da família dela que ela trouxe. E eu fui buscar também isto. Comecei por uma busca intelectual, depois a busca se tornou existencial mesmo e aí veio o aprimoramento e a consciência. Tem filosofia aí dentro também e tem todo um fundamento. Foi isto que eu fui buscar e, felizmente, consegui achar”, explica Nei.
Nei e Roberta explicam sobre seus caminhos na fé, suas crenças nos santos e orixás, e cantam de corpo e alma. No repertório, Banho de Manjericão, de João Nogueira e Paulo César Pinheiro; Peço a Deus, de Dedé da Portella e Dida; e Fé em Deus, de Flavinho Silva, entre outras.

Semana Missionária


Sinalização de redutores de velocidade deve ser obrigatória

O  deputado federal Roberto de Lucena (PV/SP) apresentou um Projeto de Lei (PL n.º 5626/2016) com o objetivo de obrigar os órgãos de trânsito a sinalizar e advertir sobre a velocidade máxima permitida da via e sobre a existência de aparelhos de fiscalização redutores de velocidade. Em 2011, o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) revogou essa obrigatoriedade, por meio da Resolução n.º 396.
 
 “Não se pode esperar que o condutor de veículo automotor, além de sua apreensão normal em virtude dos casos fortuitos do trânsito, esteja atento às características técnicas da via em que se encontra. Tal exigência se dá apenas com intuito punitivo, e em nada auxilia na redução do número de acidentes, ao contrário, é notório que o motorista ao avistar os radares, como são popularmente conhecidos, de imediato aciona os freios do veículo, fato tal que ocasiona inúmeras colisões, sendo em suas maiorias causadoras de vítimas fatais”, explica Roberto de Lucena.
De acordo com o texto do PL, a sinalização da velocidade da pista deverá estar a uma distância de 500 metros dos aparelhos de fiscalização e a advertência sobre a existência do radar deverá estar a uma distância de 200 metros. A sinalização deverá ser feita por meio de placas modelo R-19 e inclui qualquer equipamento eletrônico medidor de velocidade, seja fixo, estático ou portátil. A obrigatoriedade vale tanto para as rodovias e estradas municipais, estaduais e federais, sejam elas urbanas ou rurais. Caso seja aplicada alguma multa proveniente desses aparelhos sem a devida sinalização, o ato infracional será considerado nulo e não produzirá seus efeitos.
O parlamentar ainda quer proibir a utilização de aparelhos móveis de fiscalização – aqueles medidores de velocidade instalados em veículos em movimento – e também a oscilação de velocidade máxima permitida na via, ressalvadas as circunstâncias legais e geográficas. “O cidadão tem o direito de ser fiscalizado de acordo com as normas legais. O poder concedido ao Estado para fiscalizá-lo não é um poder ilimitado, o qual se pode fiscalizar da forma como bem lhe aprouver e fora dos liames legais. Mesmo sob o pretexto de reprimir a prática de infrações de trânsito, o Estado deve submissão às leis, pois os fins, por mais nobres que sejam, não podem justificar os meios ilegais de vigilância. Pensar o contrário é se aproximar dos ditames arbitrários, desmedidos e abusivos”, afirmou o deputado.
 A proposta de Lucena irá alterar os artigos 61 e 320 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB, Lei n.º 9.503/97). Com esse PL, o deputado também quer que a receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito seja aplicada, exclusivamente, em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização, campanhas publicitárias de educação de trânsito, ampliação, duplicação e recapeamento de vias públicas. Em hipótese alguma, as empresas concessionárias de rodovias e estradas públicas, que cobram pedágios, serão beneficiadas com essas receitas. “Há que se falar nas chamadas ‘indústrias da multa’, onde a intenção do poder público, é punir e arrecadar, ao invés de educar e prevenir. O Estado deve atuar rigorosamente dentro dos limites da lei, nunca além. Deve ser a base e o arquétipo para o cidadão. Só assim terá condições de exigir que o contribuinte cumpra com as suas obrigações”, destaca o parlamentar. O PL de Lucena tramita sob regime de prioridade e está sujeito à apreciação do Plenário da Câmara dos Deputados.
Atualmente, pelo CTB, onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima é estabelecida de acordo com o tipo de via urbana: 80km em vias de trânsito rápido; 60 km em vias arteriais; 40km nas vias coletoras; e 30km nas vias locais. Já nas rodovias rurais é estabelecido pelo CTB: 110 km para automóveis, camionetas e motocicletas; 90km para ônibus e microônibus; e 80km para os demais veículos. Nas estradas rurais, o limite é 60km por hora para qualquer tipo de transporte.
Texto: Izys Moreira - Assessoria de Imprensa
Foto: divulgação da internet

CDHU ABRE INSCRIÇÕES PARA O SORTEIO DE 117 CASAS EM PALMEIRA D'OESTE

Processo para novas inscrições começa em 8 de julho com o agendamento obrigatório

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) abre inscrições para o sorteio de 117 casas em Palmeira d'Oeste. Os interessados em concorrer a um dos imóveis devem fazer o agendamento no dia 8 de julho, no Ginásio Municipal de Esportes, Rua Brasil, s/nº. O atendimento será das 9 às 17 horas e é necessário apresentar um documento de identidade com foto.
As inscrições das famílias agendadas serão efetivadas nos dias 11 e 12 de julho, também no Ginásio Municipal.
Na ocasião, será preciso levar RG, CPF, carteira de trabalho do marido, esposa ou companheiro (a), comprovante de residência com endereço completo, comprovante do tempo de moradia ou trabalho no município, comprovante de despesas (que podem ser contas de água, luz, telefone, boleto ou recibo de pagamento de aluguel, carnês de lojas de móveis, eletrodomésticos ou roupas, valores referentes a financiamento de veículo ou empréstimo de banco) e CEP para correspondência.
O sorteio público definirá os titulares e os suplentes para aquisição das moradias. Será válida somente uma inscrição por família. Havendo duas ou mais inscrições para este empreendimento, todas serão canceladas mesmo que a família seja sorteada. Aqueles que participaram de outros sorteios da CDHU no município e não foram contemplados deverão agora participar do agendamento e fazer uma nova inscrição. O não comparecimento será considerado como desistência.
Do total de moradias, 7% serão destinadas a pessoas com deficiência, 5% a idosos e 4% a policiais ou agentes penitenciários. As demais serão sorteadas entre a população em geral inscrita, após calculadas e subtraídas as unidades destinadas a pessoas que moram sozinhas (3% dos inscritos como indivíduos sós, limitado a 3% do número de moradias). Podem concorrer aos imóveis famílias constituídas por casamento civil, religioso ou união estável, uniões homoafetivas, afetivas, monoparentais, anaparentais e indivíduos que vivem sozinhos desde que tenham mais de 30 anos.
 Os interessados devem ter renda familiar de um a dez salários mínimos, residir ou trabalhar no município há pelo menos cinco anos, não ser proprietário de imóvel, não possuir financiamento habitacional e não ter sido atendido anteriormente por programas habitacionais. Policiais devem trabalhar na cidade e idosos devem comprovar idade mínima de 60 anos. O empreendimento Palmeira d'Oeste E terá 117 unidades de dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e 56,67m² de área construída. Projetado segundo os conceitos do Desenho Universal, o conjunto está sendo construído na Rua Zacarias das Neves com Rua Catanduva.
O prazo de financiamento das moradias será de até 25 anos e as prestações receberão subsídio do Governo do Estado, sendo calculadas de acordo com a renda familiar. Assim, famílias que ganham entre um e três salários mínimos pagarão o equivalente a 15% dos rendimentos

Deputado Carlão Pignatari e prefeita Cátia inauguram nova Delegacia de Polícia de Bálsamo

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB) e a prefeita Cátia Lorijola Melato inauguraram a nova Delegacia de Polícia do Município de Bálsamo. A cerimônia aconteceu na tarde de sexta-feira (24/06) e contou ainda com a presença do diretor do Deinter-5, João Pedro de Arruda, do delegado Seccional José Mauro Ventureli, do delegado da cidade, José Luiz Barbosa Junior, do vice-prefeito Henry Geraldes, vereadores e pessoas da comunidade.

O diretor do Deinter, João Pedro, destacou o esforço conjunto para a realização das obras de reforma e ampliação do prédio da Delegacia, que oferecerá maior comodidade aos policiais e mais tranquilidade para a população.
 
A prefeita Cátia agradeceu ao deputado Carlão pelo empenho em buscar os recursos necessários junto ao Governo do Estado para a realização da obra, bem como de várias outras pela cidade. Segundo a prefeita, Carlão tem sido um parceiro muito grande de Bálsamo. "Deputados temos muitos, mas amigos são poucos", destacou. 

A prefeita ainda comentou sobre o convênio para a construção de mais 120 casas da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) em Bálsamo, que o governo do Estado está liberando, com total apoio do deputado Carlão.

Ao discursar, Carlão ressaltou que "esperamos nunca precisar da Delegacia de Polícia, mas temos aqui policiais e profissionais bem preparados para trabalhar pela população". Falou ainda que a região Noroeste Paulista oferece condições para que as pessoas busquem uma melhor qualidade de vida e que todos trabalham unidos pelo desenvolvimento das cidades. Elogiou a prefeita, o vice e a Câmara Municipal pelo trabalho em busca de benefícios da cidade. "Vocês podem continuar contando comigo que sempre estarei à disposição de Bálsamo", finalizou o deputado Carlão Pignatari. 

Após ações de combate ao mosquito, diminui o número de casos de dengue em Jales


A equipe responsável pelo combate ao mosquito Aedes aegypti 
 
Várias ações de combate ao mosquito alcançaram o objetivo proposto de fazer diminuir o índice de infestação do Aedes aegypti no município que caiu para 0,2. De acordo com o Ministério da Saúde é considerado satisfatório o índice inferior a 1.

 O levantamento, medido trimestralmente, foi feito pela Sucen/Superintendência Controle Endemias de Jales no mês de abril deste ano, através da Avaliação de Densidade Larvária (ADL) em todo o município. A mesma avaliação realizada em janeiro mostrava o índice em 12,6.

 Por determinação federal, as ações de combate ao Aedes aegypti seguem intensas desde o início do ano. Além das visitas de casa em casa, orientando os proprietários sobre os riscos de acumular água, o município também aumentou o número de agentes, capacitou funcionários da atenção básica de saúde, fez mutirões de limpeza e combate, comprou materiais para preparar os agentes e realizou atividade de bloqueio e nebulização.

“Apesar da redução no número de focos, o risco de epidemia de dengue continua. O que preocupa, e que a população deve ficar alerta, é que os focos continuam sendo encontrados dentro das casas. Isso quer dizer que precisamos contar com a participação de todos para exterminarmos o mosquito”, explicou a profissional de Informação, Educação e Comunicação, Vanessa Tonholi.

 “Os agentes de endemias continuam fazendo o trabalho de rotina em toda a cidade e reforçam as ações principalmente nos bairros com maior número de focos. Esse é um trabalho contínuo, que não pode ser interrompido. Temos conseguido reduzir bem o número de casos de dengue, e queremos manter esses bons resultados", completou Vanessa.

Alimentos Estrela doa carro 0 km para Santa Casa de Fernandópolis

 
No dia 17 de junho, os representantes da Santa Casa de Fernandópolis receberam a doação de um Pálio 0 km pela empresa Alimentos Estrela, de Estrela d'Oeste. A entrega do veículo é a consolidação de um compromisso assumido no início do ano, quando a equipe de captação de recursos visitou a empresa para a arrecadação de doações.

"No início do ano nós fizemos uma visita à Alimentos Estrela para angariar prendas a fim de serem sorteadas no nosso leilão, que foi realizado em fevereiro, mas compreendendo as necessidades da nossa instituição, o proprietário Vadão Gomes se comprometeu em nos auxiliar com a doação de um carro zero, deixando nossa equipe muito feliz e gratificada pelo apoio dado à Santa Casa", ressalta a provedora, Dra. Sandra Regina de Godoy.

O Palio 0 km doado pela Estrela Alimentos será utilizado para uma promoção com o intuito de angariar fundos para a Santa Casa. Provavelmente, deverá ser o atrativo a ser sorteado durante o tradicional jantar dançante realizado anualmente pela entidade.

"Em nome da Santa Casa, nós agradecemos à Empresa Estrela Alimentos por essa doação, por essa parceria e auxílio durante todos estes anos. Com esse apoio, vamos gerar recursos para serem aplicados em benefício de nossos pacientes", agradece a provedora.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

por Dener Bolonha




A provedora Sandra e Cidinho quando do
recebimento da carta do Vaticano, em março.

Conhecido pelo seu jeito irreverente de ser e pela sua determinação em angariar ajuda em prol da Santa Casa de Fernandópolis, o porteiro Aparecido Moreira da Silva está empenhado em uma nova ação para ajudar o hospital em que trabalha.

Colaborador da Santa Casa desde 2012, Cidinho não se cansa em lutar pela instituição. Ele já chegou até apelar por intersecção do Papa Francisco e agora desenvolve uma ação social com sorteio de prêmios.

"Com o apoio de alguns amigos, decidi promover uma campanha para sensibilizar toda nossa população para que ajude a Santa Casa, que é a instituição mais importante da nossa cidade e que está de portas abertas para nos socorrer sempre que precisamos", destaca Cidinho.

Cada pessoa pode colaborar com valores a partir de R$ 2,00 e, além de contribuir para com a Santa Casa, ainda poderá concorrer à 27 prêmios diferentes, todos doados pelos comerciantes e empresários locais. Para participar da promoção, basta procurar as portarias do hospital. O sorteio será no dia 26 de agosto.

Para a provedora da Santa Casa, Dra. Sandra Regina de Godoy, o empenho de Cidinho é notável. "O Cidinho tem se destacado muito por ter abraçado a causa da Santa Casa. Essa não é a primeira vez que ele arregaça as mangas e vem batalhar por recursos ao Hospital, o que é extremamente louvável", comemora a provedora.

Mas as ações do Cidinho não param por aí, ele ainda está lutando para que Luciano Huck possa ajudar a Santa Casa, reformando a UTI Móvel do hospital no quadro "Lata Velha" e já planeja outras ações em prol da instituição.

 

Russomano e Pinato recebem de Ministro apoio à ZPE de Fernandópolis

 
O processo de concessão da empresa administradora da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Fernandópolis foi tema de reunião com o Ministro da Indústria e Comércio, Marcos Pereira, nesta terça-feira, 28. O encontro foi articulado pelos deputados federais Celso Russomano (PRB) e Fausto Pinato (PP), e pelo suplente de deputado estadual Gilmar Gimenes (PP). A audiência também contou com a presença dos vereadores Gustavo Pinato (PPS) e Salvador Castro (PDT). 
O edital de licitação da ZPE de Fernandópolis, que busca investidores interessados, foi aberto no último dia 21 de junho e será encerrado no próximo dia 22 de julho.
A intenção da reunião foi esclarecer pontos determinantes para o fortalecimento da economia através do processo de concessão à iniciativa privada, as condições técnicas e os benefícios que visam a geração de emprego e renda. "A sociedade precisa ser a grande beneficiada", elencou Fausto.
Com a concessão, a Prefeitura cede para a iniciativa privada o controle acionário da administradora, que será ao longo do tempo em que perdura o prazo dos benefícios fiscais concedidos pelo Governo Federal, fiscalizada tanto pelo município quanto pelo Conselho das Zonas de Processamento de Exportação.
"O objetivo é buscar alternativas econômicas para agilizar e viabilizar a atividade industrial em Fernandópolis, gerando renda e emprego por meio da instalação de um parque industrial voltado para a exportação", explicou.
O ministro, Marcos Pereira, se colocou à disposição e refirmou apoio à instalação da ZPE na região. Ele explicou que a empresa vencedora da licitação passa a ter o benefício da administração da ZPE, incluindo a cobrança da movimentação de carga, aluguel, cessão de uso dos terrenos, tudo amparado pela legislação federal.
A Zona de Processamento de Exportação é um complexo de indústrias onde as empresas que se instalarem nessa área assumem prerrogativas e recebem benefícios. É um importante instrumento para a atração de investimentos, geração de empregos, agregação de valor à produção nacional, aumento das exportações e a promoção do desenvolvimento econômico e social.
Dentre os benefícios da responsabilidade privada estão a suspensão de impostos e contribuições federais, liberdade cambial e procedimentos simplificados, assegurados pelo prazo de até 20 anos renováveis por mais 20, totalizando um prazo de concessão de até 40 anos.
A intenção de Pinato e Gimenes "é buscar um modelo de desenvolvimento a longo prazo, gerando emprego e renda para a nossa comunidade", afirmam eles.

RAMAL FERROVIÁRIO 
Após intensas reuniões, a comitiva de deputados também comemorou a viabilização da construção do Ramal Ferroviário que beneficiará o escoamento da ZPE de Fernandópolis. A construção foi garantida nesta semana pelo presidente da VALEC, Mário Rodrigues Júnior. A série de reuniões vem acontecendo deste o último dia 09 de junho e ontem, terça-feira, 28, foi confirmada a construção da obra. A implantação do ramal será importante para atrair investidores e garantir condições de tráfego à ZPE. 

Foto: Washington Costa/Mdic

CIÊNCIA DA FELICIDADE: - Torne seus sonhos realidade. Faça planos

 
As melhores fases de nossa vida são aquelas em que conseguimos cultivar pensamentos positivos e dar passos decisivos para tornar nossos sonhos realidade. Quem, em especial na juventude, não sonha em proporcionar dias melhores para seus pais, cursar uma boa faculdade, trabalhar para comprar uma casa, ou para construir um casamento feliz com quem ama? Como é bom sonhar. E melhor ainda é fazer planos, definir metas e criar um projeto para nossa vida, sem desistir diante dos inevitáveis obstáculos e conscientes de que há infinitas rotas possíveis para chegarmos a nosso destino. 

Se você costuma pensar em algum evento negativo que ocorreu no passado, como um erro que cometeu, talvez esteja fazendo com que o passado o impeça de ser positivo no presente. Pode ser que tenha tanto medo de cometer outro erro que isso mantenha a felicidade fora do seu alcance. Nos momentos de dificuldade, lembre-se: os períodos difíceis da vida geralmente não duram mais que um ano. Tenha paciência e persevere, e o tempo abrirá um novo caminho para você. No devido momento, as lutas dentro de sua mente irão se dissolver, e você sentirá uma nova esperança nascendo em seu coração. Ajuda e bondade irão aparecer onde antes havia apenas obstáculos. 

Por fim, vale dizer que alcançar metas e realizar sonhos é parte importante para uma vida feliz. Todos fazemos o possível para definir ideais elevados. Mas é normal, às vezes, ficarmos perdidos, não conseguir enxergar a estrada e sofrer com a incerteza. Se você acha que está num beco sem saída, não sabe para onde ir ou se sente derrotado ou sobrecarregado, lembre-se de que a oração é ferramenta poderosa, sempre disponível, sem contar que, se precisamos da ajuda de outras pessoas para realizar nossos sonhos, podemos juntar nosso coração ao de nossos amigos e orar juntos.

* Ryuho Okawa, fundador do movimento religioso Happy Science e autor de mais de 2.000 livros publicados, traduzidos para 28 idiomas, com vendas de 100 milhões de exemplares. Para saber mais sobre o assunto, leia o livro Convite à Felicidade (IRH Press do Brasil). Para cada um dos sete temas propostos, você pode fazer o download de uma música de meditação no site www.irhpress.com.br.

Mostra de cinema nas escolas de Jales joga luz sobre direitos humanos e cidadania

Diretoria Regional de Ensino vai levar curtas para todas as escolas até o final do ano; dez sessões já foram realizadas
         Alunos do 9º ano e do ensino médio de Jales estão sendo estimulados a pensar e debater temas relacionados aos direitos humanos. A partir de uma mostra de cinema idealizada pela Diretoria Regional de Ensino esses estudantes estão tendo a oportunidade de refletir sobre educação, desigualdade social, violência contra a mulher e diversidade religiosa.
         São nas aulas de História, Filosofia, Sociologia ou Artes que acontecem as exibições. Cada sessão dura de 40 a 50 minutos e é precedida por um debate sobre os assuntos abordados pelos curtas-metragens “Do meu lado”, que mostra a vida de duas vizinhas, uma umbandista e outra protestante, que começam a se cruzar, e “Abraço de maré”, que traz para a tela a história de vida de uma família ribeirinha, que mora em uma casa de taipa às margens do rio Potengi.
         “Sem dúvida o mais bacana da nossa mostra é a reflexão que ela causa nos nossos alunos. Direitos humanos é um assunto que está cada vez mais em debate e nossa ação tem ajudado os estudantes a conhecerem os seus próprios direitos e valores éticos; a conhecer o próprio papel na sociedade”, diz Sandra, professora-coordenadora do núcleo pedagógico de artes. 
Cerca de 450 pessoas, entre alunos, professores, diretores de escola e supervisores de ensino já participaram da mostra, que retomará as atividades no início de agosto, quando os alunos da rede estadual voltam do recesso escolar. Os professores destas disciplinas envolvidas passaram por orientação técnica e foram instruídos a utilizar a linguagem cinematográfica e o os temas dos filmes em questão para trabalhar o conteúdo do currículo oficial do Estado de São Paulo.

Criador paulista de aves ornamentais e silvestres pode emitir guia de trânsito pela internet


A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio de sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), habilitou acesso para emissão de Guia de Trânsito Animal (GTA) Eletrônica para aves ornamentais e silvestres, garantindo mais agilidade ao criador. A habilitação está valendo para todo o Estado desde esta terça-feira, 28 de junho, e serve para emitir a guia para qualquer finalidade de trânsito dentro do território paulista.
Como informa o médico veterinário da Secretaria José Eduardo Alves de Lima, que responde pelo Grupo de Defesa Sanitária Animal na CDA, "para ter acesso ao sistema é preciso que o local onde se encontram as aves e o médico veterinário que emitirá o atestado sanitário sejam cadastrados para lançar o documento no sistema Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave). Feito isso, o criador poderá fazer a emissão eletrônica da GTA a qualquer hora e em qualquer lugar".
A Guia é o documento zoosanitário necessário para movimentação dentro do território nacional de animais de peculiar interesse do Estado.  A Coordenadoria de Defesa Agropecuária disponibiliza a sua emissão pelo Sistema Gedave. A importância do documento eletrônico é que ele dá segurança e garante o controle do trânsito de animais pelo serviço oficial, além de permitir a rastreabilidade das aves.
"São Paulo tem hoje 4.722 estabelecimentos de aves ornamentais e silvestres cadastrados no sistema, com um total de 284.625 animais. De maio de 2015 a maio de 2016, foram emitidas 29.965 guias de trânsito pela Defesa Agropecuária, com a movimentação de 256.742 pássaros", informa o médico veterinário da Secretaria Felipe Monteiro Bugni, que na Defesa Agropecuária coordena a área animal junto ao Gedave.
Os maiores volumes de aves ornamentais e silvestres cadastrados no Estado de São Paulo estão nos Escritórios de Defesa Agropecuária (EDAs) de São Paulo (61 mil), Campinas (55 mil) e Limeira e Ribeirão Preto, com 24 mil aves cada.

Por Teresa Paranhos

Núcleo Central de Saúde realiza festa caipira


Cerca de 350 pessoas participou da
primeira festa caipira promovida pelo Núcleo Central de Saúde
Tudo foi oferecido gratuitamente

A tradicional quadrilha com o grupo
da 3° Idade de Vitória Brasil
O Núcleo Central de Saúde em homenagem ao Dia de São João promoveu na noite de sexta-feira, 24, no Centro Pastoral a sua primeira festa caipira, marcada por danças e pratos típicos.
Com a presença de aproximadamente 350 pessoas o evento contou com comidas tradicionais como doces, bolos e cachorros-quentes, totalmente gratuitos. Uma animada quadrilha organizada pelo pessoal da 3° idade de Vitória Brasil agitou a festa, tendo como noiva a prefeita, Ana Lucia Olhier Módulo.
A decoração da festividade foi confeccionada pelos membros do Núcleo chefiados por Edyvania Miotto e a animação ficou por conta do músico Elder Mansueli e do sanfoneiro Sebastião Leão.
 

terça-feira, 28 de junho de 2016

​Em Fernandópolis, Bota Fora será realizado de 8 a 16 de julho

Tradicional promoção do comércio é aguardada por consumidores e lojistas

Começa na próxima semana, a promoção mais esperada do comércio de Fernandópolis. A 16ª edição do Bota Fora será realizada de 8 a 16 de julho e durante esses nove dias, os consumidores terão acesso a descontos especiais oferecidos pelas lojas participantes.
Promovido pela Associação Comercial e Industrial de Fernandópolis (ACIF), o Bota Fora é uma das promoções mais tradicionais do comércio fernandopolense e é aguardada por consumidores e lojistas. Durante a realização da campanha, o consumidor pode fazer compras com descontos que podem chegar aos 50%.
Além de agradar os consumidores com os descontos, o Bota Fora também é muito bem-vindo para os lojistas. Segundo a empresária, Ivani Rodrigues, gerente da Mary´s Calçados, essa promoção aquece o comércio. "O Bota Fora atrai clientes das cidades vizinhas para o nosso comércio. Temos expectativas positivas para a 16ª edição e já estamos nos preparando para oferecer mais produtos com preços especiais aos consumidores", disse Ivani.
De acordo com o presidente da ACIF, Dirceu Miralha dos Reis, os empresários devem aproveitar o momento para fazer bons negócios. "O Bota Fora é uma data tradicional do comércio e muito esperada pelos consumidores de Fernandópolis e também da região. Oriento que os empresários invistam em boas ofertas com descontos e premiações para os clientes", recomendou o presidente.
O Bota Fora será realizado de 8 a 16 de julho. Durante esse período, o comércio funcionará em horário especial nos seguintes dias: 8/07, das 8h às 22h; 15/07, das 8h às 22h e 16/07, das 9h às 18h. As lojas participantes do Bota Fora estarão identificadas com o cartaz da promoção.

Comerciantes terão reunião especial com prefeito

Presidentes da ACV e dos sindicatos do comércio e dos comerciários reuniram-se na última sexta com prefeito e vice
 
Numa iniciativa da ACV – Associação Comercial de Votuporanga, o presidente eleito da entidade o advogado e empresário, Celso Penha Vasconcelos promoveu na última sexta-feira (24/6) um novo encontro com o prefeito Junior Marão e o vice Waldecy Bortoloti, que contou também com a participação do presidente do Sindicato do Comércio, João Herrera Martins, da presidente do Sincomerciários, Lia Marques e do diretor de calendário e relação sindical da ACV, Luiz Augusto de Oliveira. O objetivo da reunião foi discutir questões relacionadas ao comércio e à atratividade dos consumidores para a área central da cidade.
 
Buscando ouvir aos anseios dos empresários e sugestões para o setor, o prefeito se dispôs a participar de uma reunião aberta com os comerciantes. A data será marcada para logo após a posse da nova diretoria da ACV prevista para 12 de julho. "É um momento importante em que todos poderão expor suas ideias e conversar diretamente com o prefeito para encontrarmos as melhores alternativas para diversas questões, como ações que atraiam o consumidor até a área central da cidade, por exemplo", observa o presidente da entidade, Celso Penha.
 
Outra questão apresentada na reunião foi a importância da definição do calendário anual antecipado para a abertura do comércio em datas especiais. "A ideia é que o comerciante possa se planejar melhor e aproveitar os dias de maior oportunidade de vendas. Essa é a reivindicação da ACV que está acompanhando de perto esse processo", reiterou Celso Penha.
 
ACV
 
A ACV - Associação Comercial de Votuporanga é uma entidade sem fins lucrativos, nascida da união de empresários que viram no associativismo a melhor maneira de dar força às suas iniciativas, reivindicações e alavancar o comércio do município. No dia 18 de outubro de 2016 completa 70 anos de fundação como uma das entidades mais representativas de Votuporanga e região.
 
Conta atualmente com inúmeros empresários associados, que desenvolvem o trabalho no setor do comércio, na prestação de serviços, entre outros. Interessados em fazer parte do quadro associativo e ter acesso aos benefícios devem ligar para (17) 3426-4044. Informações também no site www.acvnet.com.br ou www.facebook.com/acvnet
 

Sancionada lei que permite entrada forçada em imóveis contra o Aedes

          Medida autoriza acesso a locais públicos e particulares com focos do mosquito por profissional identificado. Ação deve ser feita em situação de abandono ou de ausência por mais de uma vez
A medida que autoriza a entrada forçada de agentes de combate ao mosquito Aedes aegypti em imóveis públicos ou particulares abandonados passou a ter força de lei com a publicação, nesta terça-feira (28), no Diário Oficial da União.  A Lei nº 13.301, que concede permissão a autoridades de saúde federais, estaduais e municipais, também se aplica para o caso de ausência de pessoa que possa permitir o acesso ao local ou no caso de recusa de acesso. A iniciativa deve ser tomada apenas em situações excepcionais e visa permitir a execução das ações de controle ao mosquito e criadouros. A origem da lei foi uma medida provisória publicada em fevereiro deste ano.

A entrada forçada em imóveis deve ser feita por profissional devidamente identificado, em áreas com potenciais focos de mosquitos transmissores. Além disso, para ficar comprovada a ausência de uma pessoa que possa autorizar a vistoria, é necessário que o agente realize duas notificações prévias, em dias e horários alternados e marcados, num intervalo de dez dias. Essas ações anteriores devem ser devidamente registradas em relatório.

O texto trata de diversas providências de vigilância em saúde que podem ser adotadas quando houver situação de iminente perigo à saúde pública, devido à presença do mosquito Aedes aegypti. Entre as medidas, a lei institui o Programa Nacional de Apoio a Combate às Doenças Transmitidas pelo Aedes (Pronaedes), que tem como objetivo o financiamento de projetos de combate à proliferação das doenças transmitidas pelo vetor. Em até 30 dias, deverão ser regulamentados os critérios e procedimentos para aprovação de projetos do programa, com a priorização das áreas de maior incidência das três doenças e dos municípios com menor montante de recursos disponíveis; redução das desigualdades regionais; além da priorização da prevenção da dengue, Zika e chikungunya.

De acordo com documento, os gestores locais também poderão instituir os sábados como dia de trabalho destinado à limpeza nos imóveis, identificação de focos do mosquito e outras atividades de mobilização. A lei prevê ainda campanhas educativas e de orientação à população, especialmente no caso de gestantes.

FISCALIZAÇÃO – Os proprietários de imóveis que não tomarem providências para eliminar os focos do mosquito poderão ser multados em casos de reincidência. A Lei nº 6.437 já previa essas penalidades (advertência, multa e interdição do imóvel). A novidade é que, em casos de reincidência, o proprietário será multado em 10% do valor da multa inicial, e este valor será dobrado em caso de nova reincidência, ou seja, após a terceira vez em que houver flagrante de focos do mosquito. Quem determina a aplicação da multa é o gestor local.

BENEFÍCIOS – A Lei nº 13.301 traz ainda a ampliação da licença-maternidade remunerada de 120 para 180 dias, para mulheres contratadas por regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) cujos filhos sejam acometidos por sequelas neurológicas decorrentes de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Outro direito para as famílias com crianças com microcefalia é o benefício de prestação continuada por até três anos, um auxílio de um salário mínimo (R$ 880) garantido pela Previdência Social.

Por Camila Bogaz, da Agência Saúde
        
     

Opinião - Trapalhadas da SEE causam prejuízos a docentes e salas de leitura

Carlos Giannazi

A atual administração da Secretaria de Educação parece estar perdida entre a falta de um projeto educacional e as ordens do governo para reduzir despesas a qualquer custo.

Não satisfeitos com a bagunça causada na vida de muitos agentes de organização escolar, obrigando-os a escolherem locais de trabalho pelos quais não optaram, os burocratas, desta vez, apontaram sua artilharia de incompetência e desorganização para os professores categoria F e O e para os readaptados, covardia administrativa com educadores de vínculos e condições de trabalho mais frágeis. E, de quebra, mais uma vez atingiram as salas de leitura, ambiente que não consegue se firmar no currículo escolar em razão da concepção equivocada dos burocratas da pasta: o espaço curricular que deveria ter destaque no cenário educativo é visto pela burocracia como local para abrigar professores com poucas aulas e depósito para alunos em aulas vagas.

Apesar das dificuldades impostas pela pauperização das condições de trabalho, os professores de categoria F e os readaptados vinham tocando o seu trabalho nas salas de leitura baseados em atribuições feitas conforme duas resoluções (70/2011 e 14/2016) da secretaria.

No entanto, neste quase final de junho, talvez animados pelo excesso de festas juninas e com a garganta apertada pelo governo para reduzirem despesas, os burocratas da Coordenadoria Geral de Recursos Humanos (CGRH) soltaram um "boletim", com o pomposo nome de Boletim Informativo, sob o desconfiado número 13, em que obrigavam: a) os professores da categoria F, regentes de trabalho em sala de leitura conforme atribuição orientada pela Resolução SEE 14/2016, a deixarem o posto e escolherem aulas vagas ou disponíveis regidas pelos docentes da categoria O; b) o gestor escolar a atribuir os trabalhos docentes na sala de leitura aos professores readaptados.

As consequências desse desastre administrativo foram imediatas: professores sem aula, tendo que se deslocar para outras escolas, outras diretorias e até outros municípios para recompor sua jornada docente e um festival de imposições nas escolas, com a equivocada interpretação de que esse espaço deveria ser preenchido por docentes readaptados, independentemente do seu laudo médico e do rol de atividades que limita sua atuação na escola.

É possível imaginar, para quem conhece minimamente a dinâmica de uma escola e de uma rede de ensino, o transtorno que isso causou, o desconforto, a desumanidade e o desrespeito ao entendimento do que é uma sala de leitura. Não foi sem razão que, alegando terem ouvido sugestões das diretorias de ensino (surpresa, pois estes órgãos nunca se posicionam e apenas cumprem ordens superiores), suspenderam a desastrosa operação de desmanche e imposição de prejuízos à saúde profissional e emocional de centenas de docentes e à saúde curricular das salas de leitura.

Algumas perguntas ficam no ar, depois de tantas idas e vindas: até quando a burocracia da SEE vai continuar se achando no direito de pôr e dispor sobre a vida profissional dos docentes? Até quando a máquina burocrática paquidérmica continuará legislando sem ouvir os interessados e sem efetivar o diálogo entre os órgãos de sua estrutura, atropelando resoluções por meros boletins? Até quando a burocracia da SEE vai continuar insistindo em desconhecer uma concepção mais atual de sala de leitura, voltada para a mediação da leitura e para a escolha do mediador com base no seu perfil e não no vínculo profissional?

Docentes, educadores, gestores, educandos, comunidade... Ninguém aguenta mais tamanha falta de sensibilidade, de planejamento e de mesquinharia administrativa.

Com a palavra o secretário estadual de Educação.

*Carlos Giannazi é deputado estadual pelo PSOL e membro titular da
Comissão de Educação e Cultura.

sábado, 25 de junho de 2016

A noite de sonhos de Iris
















 
Por muitos anos, o sonho de toda menina-moça é o de comemorar a passagem dos seus quinze anos, idade em que os sonhos que já se tornam nítidos a criarem forma, numa transição para um novo mundo, para uma nova etapa da vida.
As meninas de quinze anos fazem questão de uma festa dentro dos moldes tradicionais, com valsas e outros detalhes de encantamento.
No dia 28 de maio, Iris Morel Artilha, filha de Adilson Artilha e Miriam Morel Artilha, viveu esse inesquecível momento ao lado dos pais, familiares, amigos e convidados.
As surpresas e homenagens iniciaram com a palavra de Deus através do Pastor Luciano.
O avó materno Florindo (Ribeirão Preto) entoou várias melodias e o triunfal parabéns ao som harmonioso de uma Harpa juntamente e ao lado dos avós paternos da aniversariante que fizeram suas homenagens. Muito emocionada a mãe relembrou os momentos marcantes na vida de Iris e seu o pai louvou a Deus por sua vida e finalizou conduzindo a tradicional valsa.
Foi na Mansão Amaral que recebeu decoração e buffet do Gran Royalle, e todo cerimonial conduzido por Jocelia Cabrini
Fotos: Flavia Novaes
 

Rionegro e Solimões se apresentam dia 20 de outubro em prol da Santa Casa de Jales

Faltam quatro meses para mais um evento da Santa Casa de Jales que promete ser sucesso. Rionegro e Solimões se apresentarão no dia 20 de outubro, no espaço Villa Rocca.

Com mais de 25 anos de sucesso, a dupla, natural de Franca, interior do estado de São Paulo, trará ao palco várias canções que marcaram a vida de muitas pessoas. Entre os maiores sucessos estão: Na sola da bota, Frio da madrugada, Bate o pé, dentre as atuais: O cowboy vai te pegar que teve mais de 12 milhões de visualizações no youtube.

A mais nova música de trabalho, lançada no dia 02 de junho, Medo do Espelho, promete ser mais um marco na história da dupla que tem passagem notável em todo país.

Para o provedor em exercício, Junior Ferreira, será mais uma dupla de sucesso realizando um show em benefício da Santa Casa. "Já tivemos a presença de vários artistas renomados da música sertaneja. Rio egro e Solimões vêm para consagrar o que há de melhor em nosso cenário musical. Com toda simpatia e humildade eles agitarão o público presente".

A gerente do setor de Captação de Recursos, Luciana Vicente, revela que as vendas estão indo a todo vapor. "A expectativa é que consigamos vender todas as mesas, independente do cenário atual em que nos encontramos, afinal, temos um ponto fundamental, somos uma instituição séria e que preza pela qualidade em todos os eventos realizados".

A dupla minimizou os custos e estará cobrando um valor mínimo para realizar o show. Toda renda será revertida para pagamento de despesas hospitalares.

O mapa e os valores das mesas estão sendo vendidos no setor de Captação de Recursos, sendo divididos em mesa Diamante, Ouro, Prata e Bronze, variando de R$ 250,00 a R$ 500,00 por pessoa, lembrando que cada mesa disponibiliza dez lugares. Os valores poderão ser pagos em dez vezes no cartão de crédito ou cheque para setembro. (por Caroline Guzzo).

FOLHAGERAL

A partir do


dia 02 de julho (sábado), são vedadas aos agentes públicos nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, "ex officio", remover, transferir ou exonerar servidor público, na circunscrição do pleito, até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados alguns casos expressos na lei.


Também,


a partir da data acima, são vedadas aos agentes públicos – cujos cargos estejam em disputa na eleição – a presença em inaugurações de obras e a contratação de shows artísticos pagos com recursos públicos.


A atividade


política não deve ser vista e exercida como uma profissão. Nem, ao contrário, como um uso do tempo feito por prazer. Quem se dedica à política tem que exercê-la com seriedade e dentro das responsabilidades exigidas pelas leis. Por isto, é bom que os partidos políticos contem com bons assessores jurídicos, em especial nas épocas de eleições.


A Polícia Civil


de Jales começaria a ouvir, esta semana, várias pessoas que realizaram provas em concurso público realizado pela Prefeitura de Mesópolis em 2015, suspeito de fraude. Dizem que a empresa que promoveu o pleito estaria envolvida na "Operação QI", que apura fraudes em concursos públicos e licitações em Câmaras Municipais e Prefeituras nas regiões de Ribeirão Preto (SP) e São José do Rio Preto (SP).


Com a anulação


e apuração de fraude no concurso público realizado pela Prefeitura de Mesópolis, os correligionários do prefeito Leandro Polarini esperam que tais fatos não influenciem negativamente a campanha de reeleição do pré-candidato.


O caldeirão


político em toda a região, inclusive em Jales, vai entrar em fervura a partir do mês que vêm. As candidaturas a prefeitos e vereadores serão homologadas a partir de 20 de julho nas convenções partidárias.


Em Urânia,


o presidente da Câmara Municipal, vereador Odair Bezerra Dias (PPS), o popular Fião, é pré-candidato a prefeito. Assim, as coisas vão tomando forma na política regional. As decisões pessoais vão botar lenha na fogueira das discussões partidárias.


O prefeito


de Jales, Pedro Callado, assinou o convênio com o Governo do Estado para firmar contrato com a empresa estatal Desenvolve SP para receber R$ 4 milhões de empréstimo para realizar recape em 125 mil m2 de vias públicas. Só em juros a Prefeitura vai pagar mais de R$ 2 milhões em seis anos.


O prazo


estipulado para a entrega dos envelopes pelas empresas que optaram em participar da licitação será até o dia 12 de julho. Se tudo correr bem e não houver recursos, ainda no mês de julho o recape poderá começar. Caso contrário, havendo recursos ...


Após a


veiculação dos trechos de ruas que serão recapeadas (em texto, na página 2), começou a chiadeira daqueles cujos acessos não estão na lista. Estão previstos 200 trechos de vias públicas, de uma esquina à outra.


O prefeito


Pedro Callado ficou entre a cruz e a espada. Há muitos outros trechos de rua que precisam de recape, o equivalente ao mesmo tanto que será executado ou talvez até bem mais. Em alguns bairros não será executado nem um metro quadrado de recape.


Enquanto


a assessoria de comunicação divulga que a parcela mensal a ser paga pelo empréstimo se aproxima de R$ 120 mil, a Fazenda Municipal diz que será de R$ 99 mil. Ninguém se entende. Isso vem acontecendo faz tempo na administração municipal.


O valor


mensal do empréstimo será descontado da cota jalesense do FPM Fundo de Participação dos Municípios (repassada pelo governo federal) e/ou do ICMS Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (repassado pelo governo estadual). Isto indica quem vai pagar a conta. São todos os contribuintes municipais, beneficiados ou não pela melhoria.


A partir


da quinta-feira (30 de junho), é vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programas, apresentados ou comentados por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de imposição de multa e de cancelamento do registro da candidatura.


Fala-se


nos bastidores políticos que ex-prefeita cassada, Nice Mistilides (PTB), é pré-candidata ao pleito de outubro. Se for possível a sua candidatura, primeiramente ela deverá reconhecer perante os eleitores seus erros cometidos, que levaram seus dois anos de administração ao fracasso. Pré-candidato que não assume erros, melhor o partido se livrar dele.


Os ventos


não sopram nos lados petistas, movimentando o barco do partido para lançar e anunciar uma candidatura própria ao pleito de outubro ou, pelo menos, uma boa informação sobre possível coligação no intuito de eleger representantes ao Legislativo jalesense.


A juíza da Quarta

Vara Cível de Jales, Maria Paula Branquinho Pini, deferiu pesquisa junto ao sistema BACEJUND para bloqueio de numerário em nome do ex-prefeito Antonio Sanches Cardoso, no valor de (R$ 47.318,48), em virtude à época, o município ter adquirido emulsão asfáltica da Petrobrás sem a realização de prévia licitação em hipótese que ela não comportava dispensa legal, assim ficando caracterizada a improbidade administrativa, segundo acórdão do TJSP.