Páginas

sábado, 13 de maio de 2017

FOLHAGERAL

da redação

Os políticos
de Mesópolis (foto da prainha com seus quiosques) e Santa Albertina – na microrregião de Jales – não estão lutando pelos interesses dos seus municípios, não cobrando benefícios dos deputados estaduais que foram bem votados nas suas cidades. Quando os deputados não são lembrados, em nome do eleitorado, só aparecem nas épocas de eleições.

Rubineia
está em festa. Agora é um Município de Interesse Turístico, conforme lei aprovada esta semana na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, contemplando 14 municípios. Vai passar a receber recursos para investir no desenvolvimento do turismo local.

É certo que
Rubineia tem amplo acesso ao Rio Paraná, mas os municípios de Mesópolis e Santa Albertina não ficam muito atrás, pois se confrontam com o Rio Grande . Possuem suas prainhas, que atraem centenas de turistas em finais de semana e feriados prolongados. Também podem ampliar e melhorar suas infraestruturas destinadas ao turismo.

O vereador
Tupete (DEM) parece não estar nada satisfeito com a atuação do prefeito Flá Prandi no Poder Executivo jalesense, tanto que ao ocupar a tribuna do Poder Legislativo na sessão de segunda-feira (dia 8) disse que o alcaide "está muito lerdo".

Tupete
é do mesmo partido político do prefeito, o DEM. Seus pares na Câmara Municipal ficaram estarrecidos com a ousadia tupetista do parlamentar. Ao que tudo indica, os 81% de popularidade alcançados pelo prefeito não está preocupando o vereador demista.

Falando
a uma emissora de rádio local, o vereador Tupete disse que vai pedir uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para apurar o desaparecimento da madeira apreendida, que estava guardada no almoxarifado da Prefeitura. O homem quer mesmo mostrar serviço.

Quem sabe
o exemplo do vereador Tupete estimule os demais vereadores a cumprir melhor o papel fiscalizador da Câmara Municipal, em nome da população que sustenta a máquina pública com os impostos. A responsabilidade pelo dinheiro público não isenta ninguém.

Corre à boca
pequena que o Executivo jalesense está fazendo recapes com verbas destinadas por emenda parlamentar, uma vez que os recursos emprestados junto a Investe SP já teriam se esgotado. O dinheiro era para 138 mil metros quadrados de recape. Se for mesmo, as Ruas 08, 12, 14 e outras poderão ter buracos aumentados de tamanhos e buracos novos.

Enquanto
a prefeitura de Jales assina contrato de R$ 4,5 milhões para recape, a de Fernandópolis assina um contrato semelhante no valor de R$ 10 milhões. O PSDB administra o Estado de São Paulo desde os últimos anos do século 20. As conquistas de Jales intermediadas pelos tucanos foram realizadas através do então prefeito José Carlos Guisso.

De resto,
as preocupações tucanas foram em função de si próprios e não para com a cidade e sua população. O PSDB em Jales, depois da perda de Guisso, deu mostras de um partido esgotado, sem energia, em fim de carreira.

Na política,
não pode existir espaço para desânimo, falta de motivação, inatividade. Todos os partidos e participantes da política nunca podem perder o entusiasmo, a vontade de realizar coisas novas, de lutar em favor do progresso geral. Mesmo quando não é possível fazer muito, não é válido perder um ano sequer sem ter avançado um pouco.

Os sanitários
das Praças " Dr. Euphly Jalles", "João Mariano de Freitas", do Terminal Rodoviário e do "Comboio" estão em condições impróprias para uso devido falta de manutenção e limpeza deficiente. O alerta foi feito pelo vereador Vanderley Vieira dos Santos (Deley), do PPS, na sessão do Legislativo de segunda-feira (dia 8), quando solicitou informações ao prefeito Flá Prandi sobre o descaso.

A cidade
bem cuidada é uma condição para a saúde e o bem estar de todos. É também uma responsabilidade de todos. A prefeitura, os órgãos públicos, as empresas privadas e os moradores devem ser conscientizados sobre a necessidade de participação geral. A qualidade do convívio social e a segurança dependem de todos colocarem ideias e ações em favor disso.

O Tribunal
de Contas do Estado de São Paulo – TCESP – julgou regular com ressalva a prestação de contas da Prefeitura de Jales referente ao repasse de R$ 23.3l6,68 à Associação Comunitária Moriah, no exercício de 2014. Seria melhor, sem nenhuma ressalva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário