Páginas

terça-feira, 11 de abril de 2017

Sem histórico de doenças, Núria passa mal e morre

Millena Grigoleti
Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução Facebook Jovem de Paranaíba tem morte suspeita no Hospital de Base
Núria tinha 21 anos e se formaria em enfermagem no próximo ano (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução Facebook)
Atualizada às 22h
A morte de uma jovem de 21 anos está sendo investigada pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO). A estudante de enfermagem Núria Fagundes de Souza era moradora de Santa Fé do Sul e passou pela UPA e pela Santa Casa da cidade antes de ser transferida para o Hospital de Base de Rio Preto, onde morreu no sábado, 8. Às 3h54 da madrugada de quinta para sexta-feira, foi feita a triagem da jovem na UPA em Santa Fé do Sul.
Segundo a diretora Nathalie dos Reis Gimenes, a paciente tinha dores de cabeça, coriza nasal, calafrios, início de infecção de garganta e leve febre. As informações foram passadas ao Diário por meio de nota da Prefeitura. Conforme a diretora da UPA, Núria estava consciente e comunicativa. Tomou, por via endovenosa, os remédios dipirona e decadron e benzetacil por injeção. Após 40 minutos de obervação, Núria teria relatado melhora e teve alta.
Na manhã seguinte, a estudante teria voltado à UPA por volta das 10h50 com vômitos. Segundo a nota, amigos que estavam com a jovem a acompanharam até a Santa Casa da cidade. De acordo com um funcionário do hospital que não quis ser identificado, quando Núria deu entrada ela apresentava vômitos e dores torácicas. Às 16h, seu estado de saúde piorou e foi requisitada uma vaga no HB. Às 18h, ainda em Santa Fé do Sul, Núria teria perdido a consciência.
Foi quando tornou-se necessário entubá-la e sedá-la. A doença de Núria não foi diagnosticada. Foi feito teste rápido para dengue e colhido liquor da medula para exames de meningite. Ambos deram negativo. Por volta das 5h de sábado, 8, ela chegou ao HB. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, seu estado de saúde era gravíssimo e a paciente foi direto para a UTI. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde afirmou que tão logo recebeu o pedido em nome de Núria iniciou o processo de regulação e busca de vaga no HB.
Família
Nycole Fagundes de Souza, 24 anos, irmã de Núria, diz que a família não tem suspeitas sobre o que possa ter causado a morte da jovem, que se tornaria enfermeira em 2018. Há quatro anos ela havia deixado Paranaíba (MS), onde a família mora, para fazer faculdade e estágio em Santa Fé do Sul. A irmã conta que após a entubação Núria teve hemorragia interna e chegou a sangrar pela boca. Chegou-se a cogitar que a jovem teria problemas renais, mas foram descartados por meio de testes.
“Fizeram exames e não deu nada. Só que deu falência múltipla dos órgãos e ela não resistiu”, afirma. Por volta das 22h do sábado, Núria faleceu. “Era uma pessoa maravilhosa, sem maldade nenhuma, só quis o bem de todo mundo. Uma palhaça. Estava aqui para fazer todo mundo rir. Por isso que eu creio que ela cumpriu a missão dela na Terra”, fala Nycole. Na declaração de óbito de Núria constam septicemia (infecção) e pneumonia. O laudo do SVO deve sair em até 120 dias. A estudante foi velada e enterrada em Paranaíba.
 
Cidades
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário