Páginas

sábado, 15 de abril de 2017

FOLHAGERAL

da redação

Na sessão


 

ordinária da última segunda-feira (dia 10), do Poder Legislativo de Jales, o vereador Tiago Abra (PP) - foto ao lado- solicitou do prefeito Flá Prandi informações sobre a distribuição de cestas básicas destinadas às famílias pobres cadastradas junto aos órgãos assistenciais do município.

O vereador
pepista salientou que, por não terem sido entregues no prazo devido pela Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social, em dezenas de cestas básicas os produtos se deterioram e se tornaram impróprios para o consumo. Ele disse que algumas cestas básicas foram entregues às famílias, mas – diante de reclamações – foram recolhidas.

Tiago Abra
ainda quer saber quando as cestas básicas foram adquiridas e quais providências serão tomadas pela Prefeitura em relação aos alimentos que foram descartados. Não resta a menor dúvida de que o fato ocorreu. Então deve haver uma cuidadosa apuração para se chegar aos responsáveis. Uma falha dessa natureza não pode passar em branco, para não se repetir.

Dia destes,

um leitor nos fez uma indagação procedente. "Porque esta Folha faz maior divulgação de matérias relacionadas à UniJales, à Santa Casa de Jales e ao Hospital de Câncer em Jales?" De fato, isto acontece. E, de início, dizemos que muito nos honra manter a população bem informada sobre as atividades dessas três instituições de grande relevância regional.

O fato se dá

em virtude das excelentes assessorias de imprensa mantidas pelas três instituições. Essas assessorias elaboram ótimos "press releases" com extraordinária competência. Explicamos que os "press releases" são o principal modo, utilizado pelas assessorias de imprensa, para divulgação externa das notícias das instituições. Eles são preparados e enviados diretamente aos órgãos de imprensa, via computador, com a autorização para divulgação ao público.

É muito bom
 
esclarecer a curiosidade do nosso leitor, que evidentemente é leitor dos demais jornais da cidade. Os "press releases" não dispensam a busca de notícias pelos órgãos de imprensa, mas o leitor pode observar que, também, a qualidade das informações dessas instituições é bem melhor nos jornais e outros órgãos de comunicação.

Por oportuno,
registramos que – com freqüência – chegam à nossa redação "press releases" de outras fontes que nos ajudam a compor edições com qualidade e segurança: Polícia Federal, Ministério Público Federal, Polícia Militar do Estado de São Paulo, Justiça Federal, Câmara Municipal de Jales, Prefeituras de Jales e Urânia, Associação Comercial e Industrial de Jales (ACIJ), Anglo de Jales, órgãos dos governos (federal e estadual), deputados.

Instituições
supridas por boas assessorias de imprensa economizam gastos com eventos e campanhas de publicidade. Essas assessorias são canais de comunicação sempre abertos para prestar informações e esclarecer dúvidas junto ao público. Além disso, evitam que as instituições permaneçam fechadas, escondidas, fora da mente da população, expostas a boatos e meias-verdade disseminadas por irresponsáveis.

Será bom
que mais instituições – públicas, privada e sociais – da nossa cidade e região sigam estes exemplos de contar com boas assessorias de imprensa (próprias ou contratadas). Isso nem é novidade, mas uma prática comum no país. As instituições que buscam qualidade e atualidade em suas atividades precisam cientificar o público.

Nem toda
 
notícia é verdade. Em 2002, a respeitada instituição filantrópica Banco de Olhos de Sorocaba, pioneira no uso de cirurgias a laser na América do Sul, sofreu grave mal entendido. Ela não utilizava córneas defeituosas em transplantes. Alguém soube, mas entendeu mal a informação. Causou o seguinte boato: "O Banco de Olhos de Sorocaba, por falta de pacientes necessitados, está jogando córneas no lixo." O resultado foi terrível. Assim é fácil entender porque a gigante Google luta para exterminar notícias falsas na internet.

Começou a
funcionar na última segunda-feira (dia 10), no Centro Gente de Paz, na Via San Gallicano, número 25, em Roma, a Lavanderia do Papa Francisco destinada a lavagem de roupas de pessoas de baixa renda e moradores de rua. Está equipada com seis máquinas de lavar roupa, seis secadoras de roupa e ferros de passar. A idéia – brilhante – partiu do Papa.

Na China,
 
o engraxate Laoma Yen, de 86 anos, tem que percorrer diariamente uma longa distância entre a pequena casa onde mora e a rua onde ganha a vida engraxando os sapatos dos pedestres. Ocorre que Laoma sofreu um acidente de trânsito que o deixou paralisado da cintura para baixo. As idas e vindas são possíveis graças ao seu cão, tirado das ruas há dois anos, que empurra sua cadeira de rodas nos trajetos.

Muitas pessoas
 
estão acostumadas a pensar que ser gentil, ter boas idéias e ajudar os outros – no mundo de hoje – não é importante, não é viável, não é o que se deve fazer. Nada mais falso que pensar assim. O Papa pode e faz. Um cão pode e faz. O mundo não é formado só por seres egoístas. Nos três reinos da natureza, há muita gentileza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário