Páginas

sábado, 1 de abril de 2017

FOLHAGERAL

da redação

Em Brasília DF,

o presidente Michel Temer (PMDB) não consegue ficar livre de turbulências para melhorar sua imagem junto ao povo e governar o país com desenvoltura. O pedido de cassação da chapa Dilma – Temer, feito em 2014 pelo PSDB ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) está em fase final de processo nesse tribunal, devendo logo ser julgado.

Não é possível
adivinhar o que vai acontecer. Na política brasileira, as disputas judiciais podem acabar em resultados inesperados ou até mesmo em nada. Como o caso envolve denúncias da Operação Lava Jato, a imagem do presidente Temer fica vinculada à corrupção.

Para piorar
a governabilidade do país, o projeto de lei sobre terceirização irrestrita do trabalho foi sancionado por Temer, apesar de muitas críticas. E agora continua a luta de Temer para aprovação da reforma da Previdência Social com a idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e mulheres. Chovem protestos de insatisfação.

Michel Temer,
seus ministros, deputados e senadores não conseguem explicar o que pretendem fazer nem sabem dialogar com a sociedade. A Previdência é uma caixa preta cheia de mistérios e prejuízos. No futuro, muitos brasileiros terão que parar de trabalhar antes de chegarem à idade mínima de se aposentar. Outros vão conseguir se aposentar, mas com o pé na cova.

Consultores
econômicos respeitados confirmam que a crise econômica atingiu em cheio as contas das 27 unidades da federação (26 Estados e o Distrito Federal). A maioria paralisou obras e engavetou novos projetos de investimentos. Em algumas delas, falta dinheiro para sustentar serviços públicos e liquidar compromissos. Não é de estranhar, se muitas prefeituras do país estejam na mesma situação de necessidade de recursos.

Uma nota
interessante é que os analistas econômicos há tempos observavam que o Estado em pior situação financeira era o Rio de Janeiro. Só depois ficaram sabendo, pela ação eficaz da Polícia Federal, que o governador vinha desviando milhões de reais desse Estado.

Ninguém
deseja e ninguém gosta de crise. Mas ninguém deve enfrentar uma crise, entregando todos os pontos, sentindo-se totalmente derrotado. Nas crises temos que procurar, encontrar e corrigir coisas erradas. Temos que adiar novos projetos e aproveitar o tempo para concluir trabalhos que foram deixados para trás. Temos que somar esforços.

O novo prefeito
de Gaspar (Santa Catarina), Kleber Wan-Dall – 38 anos, advogado, músico e maestro – descobriu que alguns setores da Prefeitura careciam de organização. Começou pelos veículos, que não tinham controles. Implantou GPS em toda a frota. Colheu bons resultados econômicos e operacionais. E partiu com sede para organizar outros setores.

Para driblar
a crise de desemprego que afeta milhões de brasileiros, tem gente que dá grandes lições. Dar aulas em casa ou na casa dos interessados, cozinhar comidas especiais para entregar aos clientes, prestar serviços para crianças e idosos, montar loja para vendas via internet. São algumas das muitas possibilidades de não ficar parado diante da crise.

O recapeamento
asfáltico que vem sendo realizado pela Prefeitura em diversas ruas da cidade tem por objetivo dar um novo aspecto à via pública. As ações que vêm modificando as feições das ruas já podem ser constatado por jalesenses e visitantes.

Nos dois
primeiros meses do ano, o Tesouro Municipal recebeu em repasse do IPVA R$ 5.048,020,00. Um valor nada desprezível para um município como Jales que tem uma dívida assustadora que se acumula ano após ano sem que seus autores respondam legalmente pelo ato.

O vereador
Kazuto Matsumura (PSB), conforme disposto no Art. 64 da Lei Orgânica do Município de Jales os proprietários de áreas do perímetro urbano em expansão, produtoras de hortifrutigranjeiros, têm direito à isenção do imposto municipal.

Para tanto,
está solicitando ao Chefe do Poder Executivo Flá Prandi, que dê explicações quais áreas, atualmente, são isentas do pagamento do IPTU e como é feita a fiscalização desses locais.

O vereador
Tiago Abra (PP), está perguntando ao prefeito Flá Prandi se há interesse em aderir ao projeto "Cidade Digital" e instalar pontos de acesso livre à internet em ambientes públicos no município. A então prefeita Nice Mistilides assinou o convênio para implantação do "Cidade Digital" cujos investimentos seriam de R$ R$1.705.825,26.

Em 2015
técnicos PETCOM – Eletrônica e Telecomunicações visitaram os 42 prédios públicos que seriam interligados através da fibra óptica subterrânea e ficou definido que três pontos de acesso públicos disponibilizados pela população através da rede wi-fi: nas praças João Mariano de Freitas e Euplhy Jalles e na Feira do Produtor Rural (Comboio). O projeto está parado? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário