Páginas

sábado, 15 de abril de 2017

“Alimento do Bem”: mais que um trabalho, um gesto de solidariedade e amor ao próximo

 
Todas as sextas-feiras, faça chuva ou faça sol, voluntárias do projeto "Alimento do Bem" preparam uma média de 450 litros de sopa e distribuem gratuitamente para a comunidade carente de Urânia.

Trata-se de um nobre trabalho que já existia na gestão anterior e que foi assumido pela primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade do município, Andréa Rossini.

Juntamente com o apoio da voluntária Aparecida de Fátima Buzinaro, a presidente do Fundo Social comanda uma equipe de 13 mulheres compromissadas que doam não só o tempo, mas muito trabalho e dedicação na preparação da refeição.

Quem pensa que o trabalho é fácil está enganado. Elas chegam cedo para dar conta de produzir tanta sopa, já que a quantidade realizada praticamente dobrou nos últimos meses.

Fora a grande fila que atendem, as colaboradoras têm o cuidado e a preocupação de entregar o alimento nas casas dos moradores com problemas de mobilidades. E ainda beneficiam instituições como o Lar dos Velhinhos e a Santa Casa. Um amplo serviço que alcança boa parte da população do município.

Alicerce - Para preparar a sopa a equipe conta com os apoios fundamentais dos comerciantes e dos produtores rurais de Urânia que doam os mantimentos que são reaproveitados pelas voluntárias. Já os alimentos que não são utilizados são doados para a população que vai buscar a sopa.

Ou seja, o projeto só existe graças às doações desses colaboradores que sempre estão dispostos a cooperar e a ajudar na alimentação de centenas de famílias.

Hábito - O projeto já faz parte da rotina dos moradores que esperam ansiosos pelas tardes de sextas-feiras. A maioria costuma chegar bem antes do horário da entrega (às 15h00) e aguarda em fila o término da preparação da sopa. Às vezes, essa é a primeira refeição do dia para muitos deles.

Dona Edite Buosi, portadora de uma prótese mecânica em uma das pernas, caminha do bairro Bela Vista, próximo ao Cemitério, até o bairro Nossa Senhora de Fátima para buscar a sopa. Segundo ela, é um dos seus pratos preferidos. "A sopa é uma delícia. Não tem coisa melhor", completou.

Dona Maria de Freitas, moradora da Rua Pará, nas proximidades do Lar dos Velhinhos, beneficiária do projeto, também fez questão de enaltecer a refeição: "O padrão melhorou bastante, o macarrão é só de uma qualidade e a carne é bem gostosa".

Conforme esclareceu a primeira-dama, Andréa Rossini, que ajuda na preparação e distribuição do alimento, o trabalho é intensamente gratificante, pois tudo é preparado com muito carinho e respeito para a população.

"Sabemos que essa atividade não resolve definitivamente os problemas sociais do nosso município, porém, servem para amenizar a situação difícil de muitas famílias, dando comida a quem não a tem", argumentou Andréa.

Quem estiver disposto a contribuir de alguma forma com o trabalho deve procurar as colaboradoras do projeto, todas as sextas-feiras, no antigo barracão do produtor rural, no bairro Nossa Senhora de Fátima. Afinal, "o prazer de fazer o bem, é maior do que recebê-lo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário