Páginas

sábado, 10 de dezembro de 2016

Repórter Eco viaja pelo Rio Xingu

 
O destino do próximo Repórter Eco fica por conta de uma canoa que veleja pelo Rio Xingu, mostrando as belezas das águas que começam em Mato Grosso do Sul e terminam no Pará. Em outra reportagem, a chef de cozinha Ana Tomazoni fala sobre as delícias da Mata Atlântica. Por fim, o telespectador também fica por dentro do projeto Tamar, iniciativa de inclusão social. O programa da TV Cultura vai ao ar neste doming o, 11 de dezembro, às 17h30. A apresentação é de Márcia Bongiovanni.

Para observar os impactos provocados pela construção da Usina Elétrica de Belo Monte, no Pará, moradores do sul e sudeste do país embarcam num passeio que vai além da disposição para remar por trechos calmos ou acidentados do Rio Xingu, que nasce no Mato Grosso e deságua no Pará.

A canoada Bye Bye Xingu é organizada pelo ISA – Instituto Socioambiental – e pela Associação Yudjá Miratu Xingu, dos índios da etnia mais conhecida, como Juruna. Por serem exímios navegadores, eles são chamados por outros povos de "Índios do Rio".

A expedição já chegou à sua terceira edição. É uma viagem sem fins lucrativos que depende da inscrição dos interessados. O cientista social André Villas Boas, secretário executivo da ong ambientalista, explica como funciona: "Geralmente quem participa toma consciência do que significa você ter o seu bem estar à custa do mal-estar de outros. Essa reflexão é importante. Altamira está a milhares de quilômetros de distância de São Paulo. As pessoas não fazem ideia o custo socioambiental dessa energia que nós consumimos no sul e sudeste do nosso país".

Ainda passeando pelas belezas naturais do Brasil, o Repórter Eco apresenta a chef de cozinha Ana Tomazoni, que usa ingredientes da Mata Atlântica em suas receitas. No quintal da Escola de Gastronomia, que tem há mais de 30 anos em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, Ana colhe pitangas frescas para fazer um suco natural. No pé de jabuticaba vizinho, ela já não tem tanta sorte: encontra um único fruto remanescente.

A chef e pesquisadora na área de educação alimentar tem um carinho muito especial por espécies da Mata Atlântica, por isso ensina seus alunos a prepararem pratos a partir de seu conhecimento. Segundo ela, "educar é você ter consciência do que o alimento traz de bom para a sua saúde e como é importante estar nutrido".

Por fim, o programa mostra o projeto Tear, um trabalho de inclusão social de pessoas que sofrem transtornos mentais. A partir da iniciativa, elas recuperam a autoestima com cursos de tear, costura e de incentivo à reciclagem.

A terapeuta ocupacional Denise Antunes é a coordenadora do projeto, que oferece nove oficinas aos pacientes que são artesãos e recebem pelo trabalho. A divisão da receita é decidida por cada grupo e segue as regras de uma cooperativa. As peças produzidas pelos artesãos e expostas na loja do projeto tear mostram que a reciclagem de materiais é um dos grandes instrumentos das oficinas para promover a transformação dessas pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário