Páginas

sábado, 1 de outubro de 2016

Dois de outubro

Reginaldo Villazón

Em 02 de outubro nasceu o líder indiano Mahatma Gandhi (1869 – 1948), defensor da não-violência como princípio nas lutas contra as injustiças políticas e sociais. Neste fim de semana (domingo, 02 de outubro de 2016) os eleitores brasileiros vão cumprir um dever essencial à democracia: eleger seus representantes políticos municipais. Normalmente, cada eleitor e seu voto nada influenciam o resultado eleitoral. No entanto, eles são importantes porque caracterizam o cidadão livre e seu ato cívico.

Justificar a qualidade dos representantes eleitos com a frase "Cada povo tem o governo que merece" pode ser um exagero. O povo não é todo igual e não vota com unanimidade. Além disso, o povo só pode votar nos candidatos oferecidos pelos partidos políticos. Se antes a paixão política alucinava os eleitores, hoje o marketing político ilude os eleitores. Mas estas razões não são suficientes para explicar a falta de representatividade política, a enorme diferença entre o povo e seus representantes eleitos.

Atualmente, no nosso país, milhares de pessoas saem às ruas em manifestações políticas. Uma corrente popular representa as famílias de classe média, não segue orientação partidária e não aceita a companhia de políticos. Outra corrente popular representa movimentos partidários e sindicais. As duas correntes fazem questão de mostrar suas diferenças até nos seus lanches: respectivamente, consomem "coxinhas" e "mortadelas". Por absurdo, ambas protestam contra os representantes políticos.

Um fato que concorre para o péssimo desempenho dos políticos é a falta de preparo deles para as atividades políticas. A observação de que "a incompetência destrói mais políticos do que a desonestidade" aponta nesse sentido. Toda pessoa que deseja dirigir automóvel tem que estudar, treinar e ser aprovada. Mas as pessoas que desejam entrar na política são forçadas, dentro dos partidos, a adotar formas tradicionais e viciadas de fazer política. Isso cria políticos inábeis para resolver assuntos políticos.

Do lado dos eleitores, não é erro votar uma vez em políticos incompetentes que representem mal a população. Erro grave é votar várias vezes neles, permitindo que eles façam uma longa carreira de trivialidades. Infelizmente, a política brasileira está cheia desses políticos, que são detestados, mas são sempre prestigiados pelos eleitores. As reeleições costumam, não apenas alongar a carreira de políticos improdutivos, mas também favorecer cônjuges, filhos e netos deles.

Há um fato democrático fundamental que não está vivo na percepção dos eleitores. Em nosso país, as eleições ocorrem a cada dois anos (sempre nos anos pares). Com exceção dos senadores (que tem mandato de 8 anos), todos os demais representantes tem mandato de 4 anos. Isso basta, aos eleitores, para manter na política somente os eleitos que representem bem o povo. Não adianta só reclamar, só desejar uma cidade melhor. Os eleitores precisam, simplesmente, votar com mais atenção e responsabilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário