Páginas

sábado, 4 de junho de 2016

Congresso de Cardiologia da SOCESP foi marcado por novidades científicas e tecnológicas

 











 
Semana passada, entre os dias 26 a 28 de maio, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) promoveu o 37º Congresso de Cardiologia, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Com o tema central "A Cardiologia Atual e Futura". O evento contou com muitas novidades e inovações e algumas iniciativas de sucesso promovidas na edição de 2015.
Os organizadores do Congresso ofereceram Treinamento de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP), para os alunos da rede pública de São Paulo e o público em geral, que aprenderam a fazer a massagem cardíaca, que aumenta quatro vezes a chance de salvar uma vida e uma tecnologia apresentada pela primeira vez no Brasil: o paciente virtual.
Segundo o cardiologia da Socesp, Mucio Tavares de Oliveira Júnior, um dos responsáveis por trazer a tecnologia ao Brasil, o equipamento virtual é uma televisão de 56 polegadas, touch screem, que reproduz uma mesa clínica posicionada na vertical. Dependendo do exame, procedimento ou caso, tem como personagem um homem ou uma mulher.
"A mesa 2D reproduz algumas situações reais, como um paciente com falta de ar ou com dor. Se, na simulação, o cardiologista optar pela realização de um procedimento mais sério, como entubar o paciente, ele aparecerá com um tubo na boca, sedado e conectado ao respirador. É possível até mesmo simular casos de óbitos, embora não sejam adequados, pois o intuito é auxiliar no aprendizado e na discussão de casos clínicos. O instrumento permite a realização de exames como eletrocardiograma, avaliação e medicação de acordo com os sintomas apresentados, proporcionando uma discussão mais realista sobre a situação e não apenas hipóteses. O grande diferencial é a rapidez e facilidade de ser ter os exames em mãos, direcionando a discussão para uma situação mais realista e evitando possíveis erros. Isso é grande um avanço em comparação com os manequins utilizados em simulações de aprendizados médicos. Ela é uma mesa que funciona muito bem para todos os tipos de graduação, discussão de casos e centros de treinamentos, pois é adaptável a diversos níveis de dificuldade, podendo ser programada em graus de complexidade". A tecnologia, que pertence a um grupo português, será utilizada pela primeira vez no Brasil. De acordo com o cardiologista, a inovação é tamanha, que alguns dos mais importantes congressos internacionais, como o da American Heart Association, reservam espaço especial para apresentação da simulação".
A programação científica teve como destaque uma mesa que debateu o efeito das drogas lícitas e ilícitas no coração (como anabolizantes, energéticos, álcool, cocaína e anfetamina); outra com foco no perigo das arritmias cardíacas no motorista particular e profissional; também abordagens das peculiaridades das doenças do coração nas mulheres, crianças e idosos; novas evidências no estudo de doenças como infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca e outras patologias; implicações das dietas vegetarianas e Dukan na saúde cardiovascular; discussão da prática do impacto da espiritualidade no desenvolvimento de doenças do coração; sessão que foi voltada ao debate das arritmias, com origem no ventrículo direito; e, como o Brasil está prestes a sediar as Olimpíada, aconteceram sessões específicas a respeito das doenças cardiovasculares em atletas, com foco na Cardiologia Esportiva. Ainda durante o evento, foram apresentados diversos estudos e casos clínicos reais, além da realização de colóquios, fóruns, oficinas, mesas-redondas e workshops.
Segundo Ibraim Masciarelli Pinto, presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), o congresso apresentou inovações, tanto no conteúdo, quanto na abordagem.
"Primamos pela informação no diagnóstico e no manejo dos pacientes. A forma de discutir as doenças do coração durante o congresso foi pautada pela evolução da prática cardiológica, entrando em sintonia com os novos tempos.
Durante o congresso, foram apresentadas novidades que destacam o papel da inflamação na doença coronária, estudos no tratamento do diabetes, cirurgias menos invasivas, entre outros temas".
O Congresso da SOCESP de 2016, contou com a parceira da American College of Cardiology Foundation e recebeu diversos profissionais renomados do Brasil e de outros países com destaque para os médicos Carl Michael Valentine, Peter Libby, Carlos Morillo e Robert C. Hendel.
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário