Páginas

sábado, 24 de junho de 2017

Valores sociais

Reginaldo Villazón

Avanços científicos e tecnológicos, acompanhados de significativas alterações sociais e econômicas, em pleno curso no mundo contemporâneo, têm deixado para trás antigos hábitos, comportamentos e pensamentos, especialmente entre os mais jovens. Pesquisas realizadas em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, atestam que as novas gerações estão se desligando definitivamente de muitas tradições.

 
Hoje muitos jovens não usam relógio de pulso, cuja utilidade está disponível no aparelho celular de múltiplas funções. A leitura de jornais impressos não faz parte da rotina dos jovens, que preferem se informar via Internet. Assistir aos programas regulares de televisão está cada vez menos frequente entre os jovens, em favor dos programas escolhidos e baixados por eles com auxílio da Internet. Até a preferência dos jovens pelo uso de automóvel próprio tem sido trocada pelo transporte público de boa qualidade.

Além dessas mudanças – mais restritas aos jovens –, também estão acontecendo profundas mudanças de valores na sociedade contemporânea. Enquanto parte da população persiste no respeito a valores sociais tradicionais, outra parte parece admitir e disseminar o rebaixamento dos valores sociais considerados normais. É possível perceber quando estas pessoas conduzem suas vidas por critérios imediatistas, práticos e consumistas na busca do prazer sem avaliação das consequências.

A percepção que se tem é de que existe uma crise generalizada dos valores sociais, revelada pelo aumento do consumo de drogas e da criminalidade, pela deterioração das relações sociais e familiares, pelos abalos nas estruturas familiares. Sem observar limites, a televisão e o cinema divulgam cenas de tragédia, violência e sexo para consumo popular. Campanhas de saúde oferecem preservativos, gratuitamente, com o entendimento de que a promiscuidade sexual pode ser praticada com segurança.

Viver numa democracia é compreendido como ter liberdade para se expressar e agir sem sofrer julgamentos e críticas. Assim, cada um escolhe seus valores e todos devem respeitar os valores individuais. Isto mostra como pode ser complicado analisar um cenário de mudanças de valores sociais, pois não é fácil construir uma teoria consistente e encontrar uma resposta segura, alicerçadas em padrões objetivos. Para complicar, essa crise que conflita valores sociais se repete ciclicamente.

Estudiosos afirmam que não existem valores sociais absolutos, que eles evoluem de acordo com as circunstâncias e que por isso não é certo superestimá-los. E vão mais longe, dizem que não existem realmente crises de valores, mas reajustamentos de atitudes da sociedade perante a vida. O bem e o mal, o justo e o injusto, o certo e o errado, o belo e o feio; tudo é relativo e merece sofrer reavaliações.

Sejam quais forem os discursos, as crises se instalam – nas épocas de mudanças – quando as pessoas perdem a orientação e a prudência, quando cometem exageros, quando assumem posturas que geram consequências prejudiciais. Por esta razão, é importante buscar entender os acontecimentos e restabelecer valores sociais que sirvam de referência para comportamentos mais civilizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário