Páginas

terça-feira, 20 de junho de 2017

Operação mira servidores do Detran contra esquema de venda de CNH no interior de SP

Denominada 'Delta Fake', a força-tarefa da Polícia Civil cumpre 54 mandados judiciais em sete cidades da região de Ribeirão Preto (SP) nesta segunda-feira (19)


Operação ‘Delta Fake’ busca suspeitos de vender carteiras de habilitação no interior de SP

Operação ‘Delta Fake’ busca suspeitos de vender carteiras de habilitação no interior de SP

A Polícia Civil realiza nesta segunda-feira (19) a Operação "Delta Fake", contra um esquema articulado para a venda de carteiras de habilitação envolvendo servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP) na região de Ribeirão Preto (SP).
Ao todo, mais de 100 agentes cumprem 54 mandados judiciais, entre prisões, de busca e de condução coercitiva, ou seja, que é quando alguém é levado a depor. Os números da operação não foram detalhados pela polícia.
Equipes do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo (Deinter 3) e de delegacias seccionais de municípios como Sertãozinho, Franca, São Carlos e Ribeirão Preto realizam a força-tarefa em Guaíra (SP), Colômbia (SP), Barretos (SP), Olímpia (SP), Colina (SP), Jaborandi (SP) e Bebedouro (SP).
Todos os presos serão levados a Bebedouro, sede das investigações, após as diligências. O caso também é acompanhado pelo Ministério Público.
Em nota, o Detran comunicou que colabora com as investigações e que, se comprovadas as fraudes, os servidores poderão ser exonerados.
 

Operação 'Delta Fake'


Após meses de investigação, a Polícia Civil levantou suspeitas de que servidores do Detran, em associação com representantes de centros de formação de condutores (CFCs), aprovaram alunos em exames veiculares práticos mediante pagamentos.
A operação se chama "Delta Fake" em função das fraudes terem sido praticadas sobretudo para emissão de carteira de habilitação de categoria D, destinada a motoristas profissionais, e porque parte dos suspeitos se passou por delegados de polícia, ou seja, com identidades falsas, para receber os valores indevidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário