Páginas

sábado, 20 de maio de 2017

FOLHAGERAL

da redação

Além de

proporcionar a integração das famílias da redondeza, as praças são espaços públicos de convivência e lazer. Elas contribuem significativamente em favor da saúde e da qualidade de vida das pessoas. É por isto que em várias cidades do mundo – e do Brasil – há praças bem cuidadas pelo poder público, por empresas e por grupos comunitários.

Pensando

no bem-estar da população jalesense, o secretário de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana, engenheiro Nilton Suetugo, reuniu-se na segunda-feira (dia 15) com as arquitetas Daniela Alvizi Amaral, Fabiana Toyoda Scandelai e Marta Pádua Franco, que se propuseram a realizar – de forma voluntária – projetos de revitalização de praças públicas na cidade (foto).

As arquitetas
vão elaborar um projeto de revitalização da praça Dr. Euphly Jalles de forma gratuita, como gesto de cidadania. O projeto de revitalização da praça deve aproximar-se do modelo original, sem aqueles banquinhos de madeira fora do contexto histórico.

Além de
a Praça Dr. Euphly Jalles sustentar o nome do fundador da cidade, foi um cartão postal da cidade quando era bem cuidada. Mas há tempos vem sofrendo vergonhoso abandono pelo Poder Público Municipal. Falta de recursos, no caso, não pode ser alegada.

Na cidade
de São Paulo, o novo prefeito João Dória anunciou que vai dar mais agilidade ao Programa "Adote uma Praça", que permite a conservação de áreas verdes da cidade por pessoas físicas e jurídicas. O objetivo é ampliar as 400 praças adotadas atuais para 5.000 áreas verdes em todas as regiões da cidade.

Belo Horizonte
é outra cidade que valoriza suas praças. Nos dias 05 de junho (Dia Mundial do Meio Ambiente) finaliza um concurso que identifica as áreas verdes mais bem cuidadas da cidade, prestigiando empresas, pessoas e equipes da prefeitura envolvidas na manutenção.

Quem sabe
agora a Prefeitura e a Câmara possam se articular com a comunidade para instituir programas que visem a revitalizar das praças da cidade. E mais tarde estendam os benefícios para a arborização de toda a cidade.

Na Bahia,
em Vitória da Conquista, um vereador tornou público seu primeiro salário (R$ 12.025,40) e o primeiro salário da sua assessoria (R$ 11.400,00), recebidos em janeiro de 2017. Colocou num outdoor (aquela placa grande usada em propagandas). Isso mostra o tanto que os políticos estão pressionados pela população.

Os vereadores
jalesenses se reuniram com o prefeito Flávio Prandi (DEM), na tarde de segunda-feira (dia 15), na sala de reuniões da Câmara Municipal. Eles discutiram assuntos importantes ao município. Dentre os quais, eventuais mudanças na coordenação das creches municipais e necessidade de ampliação do número de vagas para crianças com até três anos de idade.

Na ocasião,
o prefeito falou da necessidade de realocação de servidores "inclusive na área da saúde para unidades com maior demanda de atendimento". Também discutiu sobre necessidade de exoneração de funcionários que ocupam cargos de livre nomeação, e convocação de efetivos, visando cumprir um acordo firmado com o Ministério Público em 2015.

O município
de Sales (próximo de Adolfo e Sabino), às margens do rio Tietê, com pouco mais de 5 mil habitantes, poderá receber já este ano cerca de R$ 650 mil (valor anual) para fomentar o turismo. Isso porque os deputados da Assembleia Legislativa aprovaram nesta terça-feira (dia 16) projeto de lei que classifica o município de Sales como de interesse turístico.

A vereadora (foto)

suplente Maria Novaes Grégio (Sd), conhecida como "Maria do Boca", que obteve 147 votos e o 14º lugar no geral, assumiu nesta segunda-feira (dia 15) a vaga do vereador cassado Donizeti Mussato (Sd), na Câmara Municipal de Urânia.

Mussato recorreu
junto ao TRE-SP da sentença do juiz eleitoral da 152ª Zona Eleitoral, que acatou a representação do Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de sufrágio (compra de votos) no pleito de 2016, cassando o seu diploma de eleito.

Numa
reunião entre vereadores com funcionários da Secretaria Municipal de Saúde e Sucen quase voa penas para todo quanto é lado.

Tanto Deley
como Pintinho, autores do projeto de lei, afirmam que o projeto foi apresentado em atendimento a reivindicação de moradores para controle dos escorpiões nas residências.

O diálogo
foi sobre o projeto aprovado pelos vereadores que permite a criação de galinhas em imóveis residenciais, na área urbana do município de Jales. Na reunião ficou definido que os órgãos municipais apresentarão uma contraproposta para combate aos escorpiões. Nada como um bom diálogo para se resolver os problemas enfrentados pela população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário