Páginas

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Neurociência demonstra a importância do desenvolvimento de habilidades socioemocionais

Jogos de raciocínio desencadeiam processos emocionais, que ampliam redes neurais e capacidade de cognição
A neurociência tem mudado o paradigma educacional nas últimas décadas. Suas recentes descobertas têm feito com que profissionais avaliem novos métodos para fazer com que o conteúdo possa ser ensinado às crianças de maneira mais eficaz. Estudar o sistema nervoso humano e suas funcionalidades tornou-se fundamental para que especialistas encontrem novas formas de expandir a capacidade cognitiva das crianças, fazendo com que aumentem a possibilidade de se tornarem cada vez mais inteligentes desde pequenos.
As novas revelações da neurociência evidenciam a necessidade de desenvolver a emoção e a razão conjuntamente, uma vez que o ser humano não é considerado um ser dicotômico, ou seja, razão e emoção caminham juntas. Estudos indicam que o cérebro humano funciona como uma rede interligada, e, na medida em que se estimulam as regiões mais sensíveis às experiências emotivas, maior será a capacidade de criação de redes neurais, que terão o papel de realizar conexões com todas as partes da mente, expandindo a capacidade cognitiva de aprendizagem.
Pelo fato de ser uma área de estudos recente, a aplicação dos conhecimentos da neurociência para transformar as ações pedagógicas ainda está engatinhando.
Por meio de jogos de raciocínio, a Mind Lab desenvolveu no Brasil algumas das primeiras pesquisas neurocientíficas para trabalhá-las juntamente com uma proposta pedagógica que possa ajudar as crianças a desenvolverem as chamadas habilidades socioemocionais. Tudo indica que essas habilidades deverão compor parte da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a ser anunciada em breve pelo MEC.
A proposta pedagógica para trabalhar, nas escolas, as habilidades socioemocionais por meio dos jogos de raciocínio estimula processos emocionais e ampliam experiências concretas e abstratas em crianças, aumentando suas redes neurais e sua capacidade de cognição.
Para a diretora pedagógica da Mind Lab, Sandra Garcia, as experiências carregadas de emoção são a chave para um aprendizado mais duradouro: “Quanto mais redes neurais, maior a aprendizagem e a probabilidade de elas sobreviverem à passagem do tempo. Os jogos de raciocínio que desenvolvemos criam situações concretas para a criança e o jovem, provocando o desenvolvimento de processos neurológicos que são essenciais na vida, como percepção, memória, atenção e raciocínio, entre outros. As transcendências, reflexões sobre como utilizar as aprendizagens em situações do cotidiano, provocadas intencionalmente pelo professor, ampliam essas experiências concretas para o plano da abstração, criando links de significados”.
O processo neurológico decorrente da mediação do professor, do uso dos jogos de raciocínio e dos métodos metacognitivos da Mind Lab no aprendizado de habilidades socioemocionais está muito relacionado ao amadurecimento das funções executivas do cérebro. “Atenção focada e seletiva, memória de trabalho, controle inibitório, planejamento, organização e flexibilidade são algumas das funções executivas, isto é, funções cerebrais responsáveis pela organização das diferentes áreas do cérebro com foco na execução de alguma tarefa”, comenta Anita Abed, psicopedagoga da Mind Lab.
A aprendizagem deve ser revestida de emoções. O aluno deve ser um protagonista ativo, que analisa, pensa e atua diante das situações impostas pela aula (e pela vida). E a melhor forma de aguçar sua cognição é através da ação do professor, que tem a função de ser um mediador do processo de aprendizagem. “Atuando como mediadores da relação do aluno com o conhecimento, o professor-mediador tem como missão elaborar atividades variadas e multissensoriais, revestindo o conhecimento do aluno de significado. O mediador é o principal maestro da cena pedagógica. É ele quem acrescenta emoção às atividades, para que experiências de aprendizagem sejam significativas e, dessa forma, possam desenvolver os alunos em todos os sentidos”, finaliza Sandra Garcia.
Sobre a Mind Lab (www.mindlab.com.br) – A Mind Lab é reconhecida mundialmente por sua abordagem inovadora voltada para o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais de crianças e jovens, para que eles estejam preparados para enfrentar os desafios da vida moderna. Fundada em Israel em 1994, a empresa já beneficiou milhões de estudantes ao redor do mundo, com presença em 25 países, dentre eles China, Estados Unidos, Reino Unido e Turquia. Sua metodologia exclusiva conta com três pilares: jogos de raciocínio, usados intencionalmente, métodos metacognitivos e professor mediador, que incentiva apoiando os estudantes a transferirem os aprendizados com jogos para a vida real. No Brasil, onde hoje fica a sede da empresa, a Mind Lab é parceira de mais de mil instituições de ensino do setor público e privado e conta com cerca de 20 mil professores certificados para aplicação do Programa MenteInovadora, que é integrado ao currículo com uma aula semanal. Com a finalidade de ampliar o engajamento e impacto na formação dos jovens, a Mind Lab tem investido também no desenvolvimento de soluções complementares, tais como a plataforma de preparação para ENEM e Vestibulares Missu e o portal de games MindLab.NET.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário