Páginas

sábado, 25 de março de 2017

Ong Univida e Prefeitura de Urânia realizam “Sábado Missionário” para levar mais saúde à população

 
A ONG UNIVIDA, Associação Humanitária Universitários em Defesa da Vida, idealizada pelo padre Eduardo Lima (foto), da paróquia São Benedito, em parceria com a Prefeitura Municipal de Urânia, desenvolverá uma importante e inovadora ação, o "Projeto SIM", que tem como foco a socialização, a inclusão e a melhora da qualidade de vida da população de baixa renda do município.

Trata-se de ações voluntárias de saúde que serão desenvolvidas durante todo o ano nos bairros mais necessitados. A primeira missão já tem data marcada. Será realizada neste final de semana, nos dias 25 e 26 de março. Os primeiros bairros contemplados com o projeto serão o Vicente Filié e o Nossa Senhora de Fátima, entre a avenida Brasil e a Rua Pará.

Os moradores receberão auxílios odontológicos, fisioterapêuticos, psicológicos, de enfermagem e orientações com educadores físicos. Os atendimentos serão feitos por 150 estudantes universitários (parceiros da ONG UNIVIDA) das seguintes universidades: Funec, de Santa Fé do Sul, Faculdade Fama, de Iturama, FEF - Faculdades Integradas de Fernandópolis, UniBrasil, de Fernandópolis, Unesp, de Ilha Solteira, e Unimep - Universidade Metodista de Piracicaba.

De acordo com os organizadores, o padre Eduardo Lima e o prefeito municipal Marcio Arjol, é mais saúde chegando à casa da população uraniense, que, muitas vezes, não tem condições de pagar uma consulta médica. Para eles, a atenção domiciliar visa proporcionar ao paciente um cuidado mais próximo da rotina da família, evitando hospitalizações desnecessárias e diminuindo o risco de infecções, além de estar no aconchego do lar.

Como tudo começou – O padre Eduardo Lima, presidente da ONG UNIVIDA, explicou que, desde que foi ordenado padre, vem desenvolvendo uma ação pastoral junto aos universitários que prestam um significante serviço em favor dos menos favorecidos.

Segundo ele, a Campanha da Fraternidade 2012, com o tema "Fraternidade e Saúde Pública" foi o evento deflagrador para as missões humanitárias. A partir desta premissa, houve uma rápida e contundente sequência de acontecimentos que se desdobraram em movimentos significativos em favor daqueles cujas condições de vida os mantêm a margem da sociedade, como a da Reserva Indígena de Dourados (MS).

Conhecida também como "Favelão Indígena de Dourados" a mais populosa do país, com 12 mil indígenas, foi a escolhida para sediar as missões. "Atualmente contabilizamos 1.500 famílias impactadas pela atuação da UNIVIDA, nas várias frentes de atuação. A ação contribuiu positivamente para a sensibilização social destes futuros profissionais e de modo efetivo na qualidade de vida daqueles indígenas", informou o padre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário