Páginas

sexta-feira, 17 de março de 2017

NOTA OFICIAL DO COMANDO DO 16º BPM/I SOBRE O DISPARO EM CACHORRO

 
NOTA DE IMPRENSA Nº 16BPMI-013/50/17
 
 NOTA OFICIAL DO COMANDO DO 16º BPM/I SOBRE O DISPARO EM CACHORRO
 
Com relação à ocorrência do dia 10 de março, no bairro Residencial Terra Verde em Fernandópolis, onde, durante uma ocorrência policial, infelizmente um cachorro foi alvejado por um disparo de arma de fogo efetuado por um dos policiais e veio a falecer, o Comando do 16ºBPM/I vem a esclarecer o seguinte:
Por volta das 20 horas o vigia reparou que o portão de uma residência da referida rua estava aberto, o que não era normal e o levou a suspeitar de uma invasão da residência por marginais e o acionamento da Polícia Militar através do número 190, sendo que a suspeita é plenamente justificada, bem como o acionamento da PM.
Em razão disso a central de despachos de ocorrência do Batalhão acionou uma viatura com dois policiais para averiguar a denúncia, sendo que os policiais se dirigiram ao local não sabendo o que iriam encontrar, se seria uma ocorrência onde teria havido um furto (arrombamento e subtração de objetos sem a presença dos moradores) ou um roubo, onde poderiam estar no local marginais armados dispostos a, inclusive enfrentar a policia, o que não é raro, vide os noticiários diários na TV.
Chegando ao local os policiais militares de fato encontraram o portão da residência aberto, sendo perfeitamente esperado que houvesse marginais no local e antes mesmo de adentrarem à residência saíram pelo portão aberto três cachorros de grande porte e agressivos que investiram contra os policiais que inicialmente recuaram, sendo que os três cachorros cercaram apenas um policial que chegou a gritar a fim de os espantar, não obtendo sucesso e não restando outra alternativa a não ser efetuar um disparo no animal.
A atitude dos cachorros foi esperada, não é culpa deles, respondem a seu instinto de proteger seu território, respondem a seu treinamento, os cachorros saíram por um portão aberto para a calçada e se não encontrassem os policiais ali, poderiam ter encontrado pessoas da vizinhança, crianças. Por um acaso os animais se depararam com os policiais que estavam no local solicitados a averiguar um roubo à residência.
A conduta do policial é esperada, foi surpreendido pela investida dos animais, não havia placa no portão da residência indicando que no local havia cachorros. O policial não é obrigado a, passivamente, ser cercado e atacado por cachorros de grande porte e agressivos. Os animais eram das raças “Pitbull cruzamento com Boxer”, um Pastor Alemão e um Rottweyler, com o instinto de proteger seu território e já é bem sabido o comportamento de raças como o Rottweyler e Pittbull, especialmente cruzamento com outras raças. Quantos acidentes graves e até mesmo morte de pessoas e crianças já ocorreram por ataque de cachorros dessas raças que, supostamente, sempre foram mansos e dóceis? Ressalte-se, novamente, que os animais saíram para a rua e poderiam ter deparado com qualquer pessoa, homem, mulher ou criança, no caso depararam com policiais, havia um portão aberto, não havia placa indicativa na residência de que lá havia cachorros.
 Certamente a culpa não é dos animais e o Comando do Batalhão não está dizendo que o portão aberto foi culpa dos proprietários do imóvel e nem dos animais, e a culpa, também, não foi dos policiais.
Foi elaborado um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil, competente para investigar e apurar o caso e o Comando do 16ºBPM/I irá instaurar um procedimento administrativo (Investigação Preliminar) a fim de avaliar a conduta dos policiais.
E mais uma vez, o Comando do 16º BPM/I lamenta a morte do animal e se solidariza com os seus proprietários.
 
                                                    Fernandópolis, 17 de março de 2017.
 
 
 
ANTONIO UMILDEVAR DUTRA JUNIOR
TENENTE CORONEL PM COMANDANTE DO 16º BPM/I

Nenhum comentário:

Postar um comentário