Páginas

sábado, 25 de março de 2017

Morrer

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com

 
Um dia, fiquei triste por estar só, senti na minha alma que havia algo mais. Algum outro sentimento passava desapercebido, algo indecifrável, um sentimento de não sei o que...
Algo sentido mais não traduzido. Um vazio preenchido por algo indescritível...talvez solidão? Não, sentia algo diferente.
Respirei profundamente, como se com este gesto poderia identificar tal sentimento.
Nada foi detectado!
Uma certa melancolia se aproximava do meu ser, como se fosse me tomar em definitivo...Gritei mentalmente! Senti certo alívio momentâneo. Mas percebi que algo, ou alguém me sorria, mas não era um sorriso bom, era algo sarcástico e de certa maneira triste.
Senti como se estivesse traindo a mim mesmo, não sei como e nem sei o porque.
Então de súbito uma brisa suave tocou minha face, me proporcionando uma paz inigualável, algo jamais sentido por mim antes.
Já não mais existia a solidão, a melancolia, ou qualquer outro sentimento de mal estar.
O meu ser fora preenchido por uma imensa calma e serenidade.
Uma luz inundou minha alma com tamanha intensidade que me cegou, mas foi uma cegueira elucidativa, visionaria, uma cegueira que me fez enxergar o mais profundo recanto de minhas existências. Todas numa única visão, todas as existências numa só, com tanta intensidade e tamanha essência que pude sentir meu ser levitar, se distanciando do plano terrestre.

Me senti liberto, feliz e completo.
Nada mais me perturbava, era pura luz, forte e brilhante. Me senti harmonizado com o universo.
Não mais existia as estrelas, éramos uma só constelação.
Neste instante, ao longe, ouvi uma melodia, que somente poderia ser ouvida pelos anjos, ou por aqueles que se encontram nesse estado de paz e harmonia que me encontro.
Foi neste instante que entendi meu estado, entendi tal sentimento.
Estava sem vida!
Toda aquela vida de sofrimento, de provas, de expiações, de erros, de sofrimentos, havia se findado.
Agora sou luz!
Tamanha paz e alegria agora se explicava. Estava liberto, não mais pertencia ao mundo dos homens.
Neste momento entendi que havia morrido, e que minha jornada rumo a eternidade estava apenas começando.
Morrer é o início da Vida!"
A morte é apenas uma parada a caminho da eternidade!"
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário