Páginas

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Alckmin dá início às obras de ampliação do Canal de Nova Avanhandava

Com a escavação, o canal de navegação ganhará mais 2,4 m de profundidade no acesso a jusante da eclusa




 
O governador Geraldo Alckmin deu início nesta quinta-feira, 23, em Buritama, às obras de ampliação e derrocamento do Canal de Navegação da Eclusa de Nova Avanhandava. O investimento no projeto, que tem previsão de conclusão em julho de 2019, é de R$ 203 milhões, sendo R$ 181,5 milhões com recursos do PAC e R$ 21,5 milhões do Governo do Estado de São Paulo.

"Iniciamos uma grande obra, que vai garantir um melhor funcionamento da Hidrovia Tietê-Paraná ao longo dos 12 meses do ano, ampliando a capacidade de transporte de carga. No ano passado, foram 8,7 milhões de toneladas transportadas pela hidrovia e nossa meta é superar a marca de 10 milhões", afirmou o governador Geraldo Alckmin.

Com a escavação, o canal de navegação ganhará mais 2,4 metros de profundidade no acesso a jusante da eclusa. A obra, que será executada num trecho de 10 quilômetros da Hidrovia Tietê-Paraná, irá possibilitar a compatibilização do uso do reservatório tanto para a navegação como para a geração de energia, já que permitirá a operação da Usina de Três Irmãos sem trazer qualquer prejuízo à navegação e ao transporte de cargas.

A empresa responsável pela execução dos serviços é o Consórcio Hidrovia Tietê-Paraná, formado pela Construtora Queiroz Galvão S.A. e Cetenco Engenharia S.A. Além dos benefícios à navegação e geração de energia, as melhorias irão gerar 1.400 empregos, sendo 350 diretos e 1.050 indiretos. Serão beneficiadas as populações dos Estados de Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo e Goiás, que utilizam a hidrovia para navegação e transporte de cargas.

A Hidrovia Tietê-Paraná é administrada, no trecho paulista, pelo Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo (DH), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Logística e Transportes.

Recorde de movimentação em 2016
A Hidrovia Tietê-Paraná, que possui 2.400 quilômetros de extensão, bateu o recorde de movimentação de cargas em 2016. Foram transportados 8,7 milhões de toneladas de produtos em toda a hidrovia, frente a 6,3 milhões de 2013, ano anterior à sua paralisação.

O trecho da hidrovia localizado no Estado de São Paulo recebeu 3,2 milhões de toneladas de cargas, sendo as mais movimentadas: areia (1.376 milhão ton.), cana-de-açúcar (819.566 ton.), soja (599.671 ton.) e farelo de soja (287.425 ton). O volume de cargas de 2016 foi alcançado 20 meses após sua interrupção no trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava. A suspensão foi decorrente do baixo nível dos reservatórios de Três Irmãos e Ilha Solteira e atingiu as cargas vindas de São Simão (GO) e Três Lagoas (MS), que contemplam soja, milho, celulose e madeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário