Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Ciência da Felicidade: O tempo é um presente de Deus. Use-o com sabedoria

Cada segundo que passa, não pode mais ser recuperado. As 24 horas do dia são o acúmulo de todos os segundos, de todos os minutos que passam. Todos os frutos da civilização, todas as atividades humanas são desenvolvidas dentro dessa moldura do tempo. Ele representa a maior compaixão que Deus nos ofereceu como presente.
 
As ondas do mar avançam até a praia e depois recuam. É esta eterna ação de ir e vir, sem nunca tentar fazer nada que já não esteja previsto, que faz com que as ondas sejam o que são. Os seres humanos, porém, fazem algo mais positivo dentro do fluxo contínuo do tempo. Infelizmente, muitas pessoas usam seu tempo como se fosse água de chuveiro, deixando que escorra por elas sem pensar em como poderia ser usado para beneficiar e trazer mais poder à sua vida.
 
O tempo é um bem valioso, algo que ninguém pode tirar de você. Não importa em que situação se encontre, ainda assim o dia terá 24 horas. Esse tempo é precioso, um diamante eterno. Ninguém poderá privá-lo do seu valor. Jesus Cristo e todas as outras grandes personalidades da história viveram sua vida usando as mesmas 24 horas que compõem o seu dia. Ninguém foi tão bem-sucedido em fazer bom uso do tempo quanto Jesus Cristo nos últimos três anos de sua vida. Aqueles 36 meses mudaram o mundo.
 
Embora todos nós vivamos as mesmas 24 horas por dia, esse tempo pode ter ou não um uso excelente. Portanto, fica aqui uma dúvida: você realmente faz um uso pleno do tempo que lhe foi concedido?
 
As reflexões desta coluna são extraídas de Trabalho e Amor”, do autor e líder espiritual japonês Ryuho Okawa (IRH Press do Brasil). O livro oferece uma filosofia de vida aplicada ao trabalho - como ele deve ser executado, condições para uma carreira bem-sucedida e relação entre trabalho e amor, tema que dá nome à obra. Seus mais de 2.100 livros publicados, traduzidos para 28 idiomas, já venderam mais de 100 milhões de exemplares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário