Páginas

sábado, 24 de dezembro de 2016

Reflexões: Natal, festa no coração

Adelvair David 
 
Para muitos corações o Natal é envolto em muita tristeza. Afigurou-se a ideia de que esta data deve somente pode ser marcada com presentes comidas e folguedos, porém, nem todos podem dispor de recursos para tantas exigências que se criou.
Este é um momento que deveria ser de encontro de corações em torno de singela comemoração externando gratidão por Ele, e não para a supervalorização das coisas em detrimento das pessoas. Para muitos é mais importante o presente que a pessoa trará para o encontro natalino do que a sua presença.
Vulgarizou-se então a ideia falsa de que este é o Natal. Formou-se no coração do homem, mais uma vez, a obrigação do cumprimento dos formalismos exteriores, onde os excessos de toda sorte são praticados. Muitos morrem nas estradas vitimados pela embriaguez ou na pressa para não chegar a lugar nenhum.
Meu amigo, o Natal é a mensagem do amor entre a humanidade, da simplicidade que começou na manjedoura e terminou na cruz, da compaixão e da misericórdia por uma humanidade mergulhada nas imperfeições e necessita de um roteiro de luz para iluminar-lhe as trevas do caminho.
Antes de qualquer encontro com os homens, necessário elevar-se em prece para agradecer-Lhe a presença e a proteção. Antes das comidas necessário pensar em tantos quantos nada tem para colocar à mesa, e nenhum motivo tem para comemorar por estarem experimentando a dor da guerra, da miséria, da doença, da solidão e do sofrimento de toda ordem, daqueles onde a penúria extrema os fazem questionar a própria fé. Neste momento sugestivo em que se comemora o Natal do Senhor, além das alegrias naturais que a data proporciona, e das maviosas celebrações é importante procurar o aniversariante e convidá-lo para a maior festa que se pode oferecer a alguém, a festa no coração, onde Ele deverá permanecer sempre.

Feliz Natal transbordando amor uns pelos outros porque Ele veio 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário