Páginas

sábado, 10 de dezembro de 2016

MS investe R$ 500 mil para qualificação do diagnóstico de raiva humana e animal

O Ministério da Saúde está investindo R$ 500 mil para o desenvolvimento, fomento e implementação das ações para o fortalecimento das atividades de diagnóstico de raiva humana e de animal. Esse recurso será destinado ao Instituto Pasteur da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, laboratório que é referência nacional no diagnóstico dessas doenças pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Dentre as atividades previstas para o fortalecimento do Instituto como referência nacional no diagnóstico de raiva estão o fornecimento de insumos e reagentes para o diagnóstico laboratorial; cooperação no processo de uniformização e descentralização de técnicas e supervisão dos laboratórios Macrorregionais; atuar como referência nacional, atendendo a demanda de todo o Brasil para a realização dos exames de caracterização de variante de vírus da raiva isolados em amostras de humanos, cães, gatos, animais silvestres e excepcionalmente outros animais em situação de relevância à saúde pública; atuar como laboratório de saúde pública para o diagnóstico de raiva no estado de São Paulo e como coordenador da rede estadual de laboratórios de diagnóstico de raiva; contribuir como Laboratório de Referência Nacional para a revisão de Manual de Diagnóstico de Raiva; entre outras atribuições.

O Brasil vem desde 1990 reduzindo, significativamente, o número de casos de raiva humana transmitidas por cães e gatos, resultado, entre outras ações, do sucesso das campanhas de vacinação antirrábica animal, bem como da oferta de Vacina Antirrábica Humana. Os casos recentes que vem ocorrendo são em sua maioria devido a agressões por animais silvestres, incluindo morcegos, ou por animais domésticos que tiveram contato com animais silvestres infectados com a raiva. Por isso, é essencial que o SUS mantenha uma rede de laboratórios para o diagnóstico de raiva animal, permitindo que em caso de animais positivos, possa oportunamente realizar as ações de bloqueio de foco, impedindo a transmissão da raiva para o homem e outros animais e essa portaria reconhece a importância do diagnóstico da raiva para a garantia dos avanços no controle dessa doença.

Atualmente, a Rede de Laboratórios de Diagnóstico de Raiva Humana e Animal que atende ao SUS é composta por Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen) e laboratórios de instituições como universidades, Unidades de Vigilância de Zoonoses e também laboratórios da agricultura (Federal e Estadual). Ao todo existem um laboratório de referência nacional, Instituto Pasteur/SP, quatro laboratórios macrorregionais e 36 outros laboratórios das instituições citadas anteriormente. Esses 41 Laboratórios de diagnóstico para raiva, atendem a todas as 27 unidades da Federação.

CASOS - A raiva é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus que acomete mamíferos, inclusive o homem, e é transmitida principalmente por meio da mordida de animais infectados. Atualmente, o Brasil encontra-se próximo à eliminação da doença causada por vírus canino. Em 2015, foram registrados dois casos de raiva em humanos em todo o país, um em Mato Grosso do Sul e outro na Paraíba. Neste ano, houve um caso registrado em Roraima e outro no Ceará.

Por Ana Cláudia Amorim, da Agência Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário