Páginas

sábado, 22 de outubro de 2016

FolhaGeral


O prefeito
 
 
eleito de Jales, Flá Prandi (DEM), em companhia do vereador eleito Deley (PPS), esteve reunido com o deputado federal Aelton Freitas (PR) no início da semana (foto), no gabinete da liderança do Partido da República em Brasília (DF), discutindo assuntos de Jales. Entre os amigos do deputado Aelton Freitas, que são recebidos na cozinha da sua casa, está o comerciante mineiro Tarcílio Ferreira, sobrinho do diretor deste jornal, Roberto Carvalho. Para apoiar melhorias para nossa região, esta e outras ligações podem ser úteis.

O deputado

federal Aelton Freitas nasceu e foi prefeito na nossa vizinha cidade de Iturama (MG), a 85 Km daqui e conhece bem a urbe jalesense. Foi senador por Minas Gerais e agora está no segundo mandato de deputado federal. Ele pode ajudar a instalar projetos importantes que beneficiem a economia e a vida das pessoas da região.

Nenhuma
oportunidade de tratar sobre assuntos regionais deve ser desprezada. De fato, é relevante a integração entre as diversas áreas da cidade e do município. Mas a integração entre as cidades da região pode viabilizar e facilitar muita coisa. Por exemplos, na produção, no comércio, no transporte, na saúde, na educação, no esporte, na cultura, no lazer.

Para muitos
cidadãos jalesenses, a falta de criação de um serviço municipal competente para tratar da arborização urbana é uma imensa e antiga falha. Nunca foi tratada com seriedade pelos prefeitos e vereadores, nem nas épocas de campanha eleitoral. No entanto, nossa região é quente e a maior parte das matas naturais foi devastada. Um bom assunto para ser tratado de forma regional pelos políticos da nossa região.

Dessa forma,
as praças e os bosques das nossas cidades poderiam ser melhorados com a plantação de diversas espécies da nossa grande variedade de árvores brasileiras. Sem grandes investimentos, nossas cidades podem ficar mais bonitas e mais confortáveis. Inclusive para a fauna urbana que precisa de abrigo.

Parece que
o prefeito eleito de Jales, Flá Prandi, está levando a sério sua futura gestão. Na busca de recursos junto a parlamentares em Brasília (DF), ele tem entregado suas reivindicações em papel timbrado da Prefeitura do Município de Jales. Assinadas por ele como prefeito eleito. Que essas andanças, por gabinetes na capital federal, surtam bons efeitos. E que ele tenha boas notícias para começar sua gestão com o pé direito.

Essa mesma
peregrinação deve ser feita nos órgãos do Governo do Estado, onde Flá Prandi mantém um certo trânsito livre. Jales está precisando mesmo de gente audaciosa e não de gente de executivo preso em gabinete. Nem os assessores devem ficar na imobilidade.

Especulações
sobre o futuro secretariado de Flá Prandi estão na boca do povo. Luís Especiato (PT) já desmentiu que teria sido convidado para a pasta da Educação. Outro nome, que se fala para a pasta Esporte, Cultura e Turismo, é o de Cardosão. Não o tucano, mas o produtor de eventos esportivos.

Como se vê,
o prefeito municipal é um só. Existe um ocupante em um cargo. Mas quem disse que o prefeito é capaz de ter sucesso, trabalhando sozinho? Vários anteriores, que se isolaram, foram péssimos prefeitos. Pensaram que eram autossuficientes. Mas não eram. Deixaram a prefeitura sob o olhar desaprovador da população.

Quanto aos
vereadores, devemos observar que a Câmara é um órgão colegiado. Neste caso, tentar ser personalista, querendo ser o melhor, é dar um tiro no pé. Puxar a sardinha para a brasa do partido é outra asneira. Ainda mais na próxima legislatura, quando os 10 (dez) vereadores estarão divididos entre 8 (oito) partidos.

Caso os
vereadores de Jales, na próxima legislatura, não se unirem – numa espécie de clube dos vereadores – para discutir e definir projetos de interesse coletivo do município, bem como as estratégias para realizá-los, vão permanecer improdutivos por conta própria.

De acordo com
os analistas políticos lá do botequim da vila, a renovação na Câmara Municipal não vai ser suficiente para quebrar tradições. O novo quadro de vereadores, além de fiscalizar o poder executivo e aprovar projetos de lei, vai ter que aprender a fazer política em prol do município, ou não vão atender os apelos da população.

O Contran
aprovou nesta quarta-feira, 19 de outubro, a Resolução 624, que institui a autuação do condutor que for pego com o som automotivo audível pelo lado externo do veículo independentemente do volume e frequência e que pertube o sossego público em vias terrestres de circulação. Será considerada infração grave e cinco pontos na CNH.

Nenhum comentário:

Postar um comentário