Páginas

sábado, 17 de setembro de 2016

Repercutindo o Setembro Amarelo

Pe. Antonio de Jesus Sardinha,
Vigário Geral da Diocese de Jales


O mês de setembro começou com as notícias da Seleção Brasileira de futebol. Antigamente conhecida por seleção canarinho, as camisas amarelas sempre foram uma marca de nossas seleções.

Mas, o Setembro Amarelo nada tem a ver com a Seleção, ele existe para nos despertar para a prevenção do suicídio, da mesma forma que o Outubro Rosa existe para prevenir o câncer de mama e o Novembro Azul para alertar sobre o câncer de próstata.

Através dessas iniciativas, a sociedade busca caminhos de organização em vista de melhores resultados para prevenir doenças e situações que trazem vida mais digna para todos.

Diante de um tema tão importante que é o suicídio, achei por bem dar minha colaboração para que o assunto ocupasse espaço em nossa região.

O movimento Setembro Amarelo é mundial e o dia 10 de setembro foi escolhido como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. O movimento foi trazido ao Brasil em 2014, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

O principal objetivo da campanha é a conscientização sobre a prevenção do suicídio, questão que precisa ser trabalhada em várias frentes.

De um lado é preciso alertar a população de que a melhor forma de se evitar o suicídio é conversando a respeito do problema. De outro lado, valorizar o serviço voluntário de apoio emocional, como o CVV e similares. Mas também são necessários grupos de apoio, espaços para debates e divulgação do tema e de acolhimento, pois se fazem necessários gestos de atenção e cuidado com as pessoas em situação de risco. É de grande importância uma rede social organizada e atuante para contribuir com esse aspecto da realidade humana.

É claro que as conversas, desabafos, espaços de acolhida e campanhas, não dispensam o acompanhamento médico, mas podem contribuir para que as pessoas cheguem ao tratamento médico, mostrando que é possível encontrar outras saídas para seus problemas!

Comportamentos diferentes, tais como deixar de sair e se relacionar com os amigos e a família, demonstrar tristeza frequente ou ter alterações expressivas no humor, podem indicar que a pessoa precisa de ajuda. Podemos ajudar indicando canais de ajuda como o CVV, que oferece apoio on line no site: http://www.cvv.org.br/ ou pelo telefone 141, ressaltando que conversa é anônima e o sigilo é absoluto.

No Brasil, a cada 100 mil pessoas, sete tiraram a própria vida. Para cada suicídio, podem ter ocorrido mais de 20 outras tentativas. A boa notícia é que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez casos poderiam ser prevenidos.

Portanto, é uma questão de saúde pública. Uma questão de rede social. Com a palavra os (as) candidatos (as) a cargos públicos! E parabéns a todos que se juntaram na manifestação realizada em Jales na terça-feira, dia 13!

Nenhum comentário:

Postar um comentário