Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Prof. Dr. Fernando Tangerino faz palestra sobre o monitoramento climático do Noroeste Paulista e sua aplicação na agropecuária


 
 





Noventa e dois alunos e Professores do curso de Agronomia da FUNEC em Santa fé do Sul participaram da palestra do Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez sobre o "Monitoramento climático do Noroeste Paulista e sua aplicação na agropecuária" nesta quinta-feira,  dia 1 de setembro de 2016.

A palestra fez parte da programação da
II Semana Acadêmica de Engenharia Agronômica que ocorreu ao longo da semana e coube ao Professor Fernando Tangerino abordar a importância e as aplicações em diferentes áreas do conhecimento do monitoramento climático. Iniciou sua apresentação discutindo a importância da água, discutiu apoiado em números a consequência da crise hídrica para o Noroeste Paulista e também como fazer para manter a água na bacia hidrográfica por mais tempo e disse que "o objetivo de todo trabalho de planejamento em uma bacia hidrográfica consiste e manter pelo maior tempo possível a água na bacia, diminuindo as diferenças entre as vazões mínimas e máximas que ocorrem ao longo do ano e para isso devemos promover a infiltração da água no solo. O ideal é que a água corra a partir das nascentes e não pelo escorrimento superficial, que sempre causa erosão, depois assoreamento dos córregos e rios e por fim diminui a oferta de água especialmente nos períodos que mais se precisa dela". Fernando Tangerino também lembrou a importância dos barramentos de terra, que à exemplo do que se faz em Goiás, especialmente em mananciais degradados, tomados pela espécie Typha -  popularmente chamada de tabôa - devem ter a sua construção incentivada como forma de de aumentar a oferta hídrica em uma região ou bacia hidrográfica. Também destacou o exemplo do município de Brumadinho, em Minas Gerais, que promoveu a intervenção em mananciais comprovadamente degradados e está desassoreando cerca de 800 represas com o objetivo de aumentar a oferta de água nos reservatórios em 4 bilhões de litros de água.

Falando da importância sócio-econômica da agricultura irrigada e citando exemplos de municípios que investiram fortemente em sistemas de irrigação e hoje colhem resultados pelos efeitos multiplicadores desta tecnologia disse que sem água, como matéria prima para os equipamentos não há produção sustentável e usou a irregularidade das chuvas em julho e agosto deste ano para discutir aspectos ligados a evapotranspiração - que é perda de água pela evaporação do solo e transpiração das plantas - e a decisão de quando plantar sob condições de sequeiro e como realizar o manejo da irrigação.

Mostrou o trabalho feito pela 
Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira através da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista vai muito além de oferecer aos Produtores de Alimentos Irrigantes a possibilidade de realizar o manejo correto da irrigação, pois podem contar com a estimativa e divulgação da evapotranspiração e interagindo com os presentes mostrou exemplos e oportunidades do uso das variáveis climáticas para pesquisadores, estudantes, empreendedores, obras de infra estrutura, moradores do Noroeste Paulista, usinas de açúcar e álcool, agricultores em geral, Defesa civil, Engenheiros e Eventos, como a decisão de qual mês escolher para casar sem que tenha o risco de chuva, momento em que mostrou algumas dos produtos e serviços oferecidos no Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira.

Finalizando sua apresentação de quase duas horas interagindo com a platéia mostrou os diferentes canais de comunicação operados pela
Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e distribuiu adesivos da última campanha sobre o uso racional da água em todos os setores da sociedade. A palestra completa do Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez está disponível no Canal da Irrigação da UNESP a partir de http://www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php.

II Semana Acadêmica de Engenharia Agronômica
A
II Semana Acadêmica de Engenharia Agronômica da FUNEC que se encerra hoje com a palestra sobre  "Georreferenciamento e CAR: diferenças, semelhanças e oportunidade na agricultura" tem a coordenação da Prof. Dra. Rosilaine Pereira e do DEFERS - Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos da UNESP Ilha Solteira, além do Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez, na abertura contou com a presença do Prof. Dr. Rafael Montanari, que discutiu a Geoestatística e o uso da agricultura de precisão para o manejo sustentável. Confira programação completa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário