Páginas

sábado, 3 de setembro de 2016

O Medo do Futuro

Flávio Rodrigo Masson Carvalho
Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
Bombas que explodem, inocentes que morrem, mães que choram, sangue lagrimas e muita dor. Este é um retrato do mundo que estamos vivendo, esta é a nossa realidade. E estamos a falar em globalização, em tornarmos o mundo um imenso quintal. Talvez esta situação seja irreversível, tenho pena de nossas crianças, pois as mesmas herdaram um mundo em pedaços, sem dono.
A situação na Europa está bastante complicada, muito medo, muita desconfiança, muita tristeza e, todos estão à procura de culpados, e muitos serão os inocentes que serão condenados sem prévio julgamento.
As vezes desconfiamos da vigilância de Deus, ou acreditamos que Ele nos esqueceu, não esta mais a olhar por nos. Nos sentimos abandonados, a mercê de fanáticos que acreditam estar agradando a seu deus vingador.
Pobre terrorista ignorante, que mata irmãos para chamar a atenção para uma causa perdida. E o mundo chora vítima das consequências de atos terroristas transloucados, que estão a tirar a sossego de muita gente pacata, e que somente quer viver em paz e em harmonia, mas isto está cada vez mais difícil, não estamos a salvo em nenhum lugar, pois uma bomba pode explodir a qualquer momento e promover uma nova desgraça, que está cada vez mais comum.
Tenho medo de nos acostumarmos com tal desgraça. Tenho medo que as vozes que chamam por paz se calarem perante a violência nefasta.
Estamos nos acostumado com a dor, a sofrer sem poder fazer nada além de chorar e rezar. Mas o choro está cada vez mais contido, e a reza cada vez mais com menos fé e empenho. Estamos apenas desenvolvendo em nós o forte desejo de vingança, estamos cada vez mais querendo aplicar a lei de Moises, "olho por olho, dente por dente", estamos aos poucos nos transformando em pequenos terroristas, e tenho medo que em breve, muito breve, passemos a também cometer os mesmos atos transloucados, mas revestido, disfarçado e justificado na intenção de se fazer justiça.
Muitos eram os que pediam pela paz, mais cada vez mais cresce o número daqueles que imploram por vingança, por retribuir na mesma moeda, e o sangue vai continuar a jorrar, e muitos inocentes ainda morrerão em vão, muitas mães ainda continuarão a chorar pelos seus filhos mortos e, muitas destas mães não terão nem um cadáver para velar e sepultar, e muitas terão apenas os pedaços dos filhos para enterrar, e com eles enterram também suas esperanças.
Qual será o futuro deste mundo globalizado? Não sei! Só sei que continuaremos a ter medo, a chorar e enterrar nossos mortos. E neste momento, o velho continente chora de tristeza e de medo pelo futuro assustador que o aguarda.
E agora esta situação de medo, de que não é só da Europa, mas de todo o mundo agora, que continuará a sofrer nas mãos de infelizes terroristas, que queiram ou não, são também filhos de Deus e nossos irmãos.
Creio que continuaremos a chorar, mas espero que não percamos a fé e que continuemos a rezar e a engrossar o coro daqueles que clamam pela paz entre os homens.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário