Páginas

sábado, 3 de setembro de 2016

Novas ideias

Reginaldo Villazón

 
Muitas vezes nos deparamos com situações fora do habitual, que por isto nos parecem estranhas ou engraçadas. Ouvir um músico, munido de uma viola caipira, executar uma peça erudita ou um rock, de início até parece loucura. Mas não é isso. Aos poucos, vamos dando conta de que a viola caipira também oferece sua beleza sonora a essas músicas. Nas artes culinárias, ingredientes de sabores diferentes (aparentemente incompatíveis) se harmonizam para regalo de apreciadores de bom gosto.

Para nós brasileiros, cidade é cidade, campo é campo. Urbano é uma coisa, rural é outra coisa. Nós não misturamos. Aliás, estamos começando a misturar. Essa mistura está deixando de ser novidade para se tornar realidade. Por ora, ainda vivemos em cidades que crescem com prédios, casas, viadutos, avenidas e ruas. Árvores, arbustos e ervas perdem espaço para alvenaria, cimento e asfalto. Ônibus, automóveis e motos transitam velozes, poluindo o ar com barulho e gás carbônico.

Os urbanistas começaram a defender mudanças nas cidades, capazes de gerar qualidade de vida aos habitantes. Os ambientalistas aproveitaram para propor idéias ousadas, jamais pensadas para aplicação nas cidades. Os conceitos de Cidades Verdes, Cidades Ecológicas e Cidades Inteligentes ganharam adeptos, interessados em considerar novas formas de transporte urbano, coleta e destinação do lixo, captação e uso da água, preservação da flora e da fauna urbanas, segurança alimentar e outras.

Vários países investiram em projetos urbanos dessa natureza, introduzindo inovações com resultados excelentes. Em especial, pessoas muito criativas passaram a desenvolver sistemas de produção de alimentos saudáveis para serem usados nas cidades. O que antes parecia pouco viável mostrou ser eficiente. Espaços urbanos sem aproveitamento (horizontais e verticais), que nem eram percebidos, ganharam utilização. São áreas de terra, quintais cimentados, telhados de laje, galpões antigos e outros.

Hoje a agricultura urbana conta com revistas informativas, livros técnicos, profissionais qualificados, empresas fornecedoras de equipamentos e insumos. Assim é possível produzir alimentos de alto valor biológico, com consumo moderado de água e sem uso de agrotóxicos. Sobre a laje do telhado de uma fábrica, é possível instalar uma fazenda orgânica para abastecer a cozinha do restaurante dos funcionários. Para nós, brasileiros, esta é uma realidade que já desembarcou em nossos centros urbanos.

Um dia, as cidades em que vivemos poderão mesclar o que há de melhor de urbano e rural. Será bom termos a certeza de que todas as pessoas das nossas cidades têm acesso fácil a alimentos de boa qualidade. Será bom conjugarmos o trabalho urbano com o trabalho rural, terminarmos cada dia com as unhas cheias de terra fértil. Novas idéias. Observando bem, o mundo sempre nos brinda com novas idéias. A opção acertada, que possibilita a transformação da vida, é simplesmente não ignorá-las.

Nenhum comentário:

Postar um comentário