Páginas

sábado, 17 de setembro de 2016

FOLHAGERAL

Não dá para vacilar!
 
O pleito das eleições 2016 está batendo às nossas portas. A crise que o país vive nos adverte que é preciso escolher melhor, com consciência, os candidatos que elegeremos para cargos públicos. Somos responsáveis pelos políticos que escolhemos. Antes de votar, devemos procurar conhecer melhor aqueles a quem daremos o nosso apoio e o nosso voto. Não podemos vacilar! Qualquer vacilo, perdemos o direito de reclamações futuras. Pensem nisso! (foto reprodução)

Esteve em
visita à redação deste jornal Folha Noroeste, na quinta-feira (15), o candidato a prefeito do município Flá Prandi (DEM), acompanhado de assessores, do jornalista Richer Lyra, e do candidato a vereador Jediel Zacarias (PMDB). Foram bem vindos.
Na mesma
ocasião, também recebemos a visita do delegado de polícia aposentado e ex-vereador Jorge Pêgolo (PSDB). Ele ocupou o cargo de secretário municipal de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Meio Ambiente na atual administração com bom trabalho.
Imposições
legais que modificam as campanhas eleitorais devem mesmo mudar a estratégia dos candidatos. Com menos dinheiro, acabou o tempo dos showmícios sertanejos e dos bandos de cabos eleitorais agitando bandeiras pelas ruas.
Com menos
tempo de campanha e menos propaganda pela cidade, os candidatos devem simplificar e tornar ágeis suas manobras de convencimento dos eleitores na comunidade. Terão que acordar cedo e dormir tarde, terão que se mostrar diretamente aos olhos dos eleitores.
Alguns
candidatos a vereador em Jales estão perplexos diante da passividade que os eleitores mostram em relação ao pleito deste ano. Eles acreditam que isto acontece por causa da candidatura única a prefeito, que não estimula debates e os diálogos caem na rotina.
Mas todo
cuidado é pouco com os eleitores atualmente. Jovens ingressam no conjunto de eleitores e antigos eleitores deixam de votar. Além disso, aquela tradição de sempre votar em favor dos mesmos partidos e políticos está desaparecendo. Muitos eleitores miram resultados e detestam candidatos tradicionais sem criatividade.
Os "santinhos",

isto é, os folhetos políticos – distribuídos por alguns candidatos a vereador – onde preconizam seus projetos de trabalho em prol de Jales e da população, trazem embutidas conquistas da deputada estadual Analice Fernandes (PSDB) para o município.
Apesar da
deputada Analice Fernandes pregar a "união por Jales", lá no botequim da vila os "analistas políticos" dizem que, diante da queda abrupta de simpatia dos tucanos diante da opinião pública com o imbróglio da desistência do prefeito Callado em disputar a reeleição, a parlamentar aproveita para vender seu peixe, mas visando 2018.
Na terça-feira (13),
a Primeira Câmara do TCESP deu parecer desfavorável com formatação de autos apartados e próprios às contas do exercício de 2014 da então prefeita Nice Mistilides para análise de supostas irregularidades em despesas com pagamento de aluguéis a pessoas carentes.
Santa Fé do Sul
vai receber o projeto "CAU Itinerante", promovido pelo CAU/SP Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo, no dia 19 de setembro (segunda-feira). Na Prefeitura Municipal da cidade – Avenida Conselheiro Antonio Prado, 1616, Centro – uma equipe do Conselho estará presente para atendimento aos profissionais da área, visando esclarecimentos sobre a legislação e o Sistema de Informação e Comunicação do CAU (SICCAU). Além disso, fazer a coleta biométrica de dados necessários para a solicitação da Carteira de Identidade Profissional. O atendimento será das 09h às 16h.
O prefeito
de Jales, Pedro Callado, disse não à sua candidatura para reeleição, como toda população tem conhecimento. Mas a imprensa, inclusive este jornal, carecia de ter mais informações sobre as atividades dos órgãos municipais para repasse aos leitores. Nesta sexta-feira, no apagar das luzes , chegou releases da Secretaria Municipal de Comunicação que deve manter a continuidade do seu trabalho.
Até agora
não há informação sobre quem teria determinado a paralisação da obra de construção das 99 casas populares da CDHU próximas ao cemitério novo, já que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) afirmou não ter poder para tanto. Para piorar o caso, se não houver repasse de dinheiro, os operários podem ficar sem receber seus salários. Está muito estranho tudo isso. E nada bom.
Está tal qual
o empréstimo de R$ 4,5 milhões contratado pela Prefeitura para recape de vias públicas da cidade. Os serviços já poderiam estar em andamento. Mas os buracos aumentam a cada dia, tanto no tamanho como na quantidade e nada de recape.
O setor
de transporte e logística no país caiu 5,9% no primeiro semestre deste ano. O resultado é produto da retração econômica e gera efeitos ainda mais negativos sobre outros segmentos econômicos. Esse impacto é analisado no novo boletim Economia em Foco, deste mês, elaborado pela CNT Confederação Nacional do Transporte, que também destaca os reflexos no mercado de trabalho e nos investimentos em infraestrutura de transporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário