Páginas

sábado, 3 de setembro de 2016

FOLHAGERAL

da redação


Na sessão
da quarta-feira (31 de agosto), os membros da Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) deram parecer desfavorável às contas do prefeito Josué Eduardo de Assunção (DEM), referente ao exercício de 2014 da Prefeitura de Aspásia.
A Segunda
Câmara do TCESP, na sessão realizada na quarta-feira (31 de agosto), também deu parecer desfavorável, com advertências, às contas do prefeito Antonio Melhado Neto (PSB), referente ao exercício de 2014 da Prefeitura de Paranapuã.
O candidato
único a prefeito de Jales, Flá Prandi (DEM), vem anunciando no programa eleitoral que vai trabalhar incansavelmente em prol da cidade e espera contar com o apoio da população. De fato, não poderá ser diferente. A área central da cidade, que está uma vergonha, deve ter prioridade nos trabalhos de recuperação, manutenção e limpeza. Depois, será preciso partir para a periferia, onde existem vias públicas há tempo esperam atenção por parte da administração municipal.
Na sessão
ordinária da segunda-feira (5 de setembro), da Câmara Municipal de Jales, os vereadores voltarão a discutir projetos de lei autorizando o prefeito Pedro Callado a alienar áreas pertencentes à municipalidade no perímetro urbano da cidade. É para fazer caixa e evitar que o gestor municipal não caia na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
A dupla
de candidatos – Flá (DEM) e Garça (PMDB) – está visitando empresas para expor a patrões e empregados seu plano de governo nos próximos quatro anos na Prefeitura de Jales. A boa ou má aceitação do plano de governo pelos eleitores ouvintes não vai mudar o resultado final da eleição.
Na teoria,
os partidos políticos têm planos de governo. Mas no caso de candidatura única, apoiada por vários partidos, um bom ajuste tem que ser feito. Os candidatos precisam mais ouvir do que falar. Ou seguirão marchando em total descompasso com a comunidade, onde se encontram as pessoas, os eleitores, os contribuintes.
Mas é fato
reconhecido que os políticos não gostam do cheiro do povo. Isso faz com que os planos de governo sempre deixem de lado muitas vontades e necessidades do povo. Por exemplo, os tucanos ofereceram só esperanças e depois bateram asas.
O candidato
a prefeito de Urânia , vereador Odair Bezerra Dias (PPS), o popular Fião, teve seu registro deferido pela Justiça. Marcio e Jacinto aguardam julgamento de seus pedidos. Dos 46 candidatos a vereador na cidade, cinco até agora não tiveram seus pedidos deferidos.
Em Aspásia,
dos 24 candidatos a vereador, apenas dois ainda devem estar aguardando o deferimento dos seus pedidos de registro. São eles, Ivo da Serralheria e Sergio Pigari.
Até ontem
sexta-feira (02 de setembro), o resumo de candidaturas no site do TSE apontava, em todo o país: 16.347 candidatos a prefeito, 16.497 candidatos a vice-prefeito e 459.949 candidatos a vereador. No Estado de São Paulo, os números apontavam: 2.185 candidatos a prefeito, 2.205 candidatos a vice-prefeito e 81563 candidatos a vereador.
A AMA,

Associação dos Municípios da Araraquarense, realizará – entre os dias 9 e 11 de novembro deste ano – o X Congresso de Municípios do Noroeste Paulista. O evento vai acontecer no Ipê Park Hotel, em São José do Rio Preto, na divisa com Cedral. Segundo o presidente da AMA, Antônio Carlos Macarrão do Prado, prefeito de Mira Estrela, a expectativa é repetir o bom público dos anos anteriores, que ficou em torno de cinco mil pessoas.
Em Brasília,

no Senado Federal, na quarta-feira (31 de agosto), com transmissão para todo o país, foi julgado o "impeachment" da presidente Dilma Rousseff. Na primeira etapa, o placar de 61 a 20 votos foi amplamente suficiente para lhe cassar o mandato. Na segunda etapa, o placar de 42 por 36 votos não foi suficiente para lhe cassar o direito de exercer funções públicas durante oito anos.
Lições importantes
podem ser tiradas dos acontecimentos em Brasília. A presidente sofreu grande derrota na primeira etapa do julgamento. Na segunda etapa, 19 senadores tiveram dó dela. No final, Dilma e o PT saíram humilhados. Nada sem razão. As manifestações do povo nas ruas, os envolvimentos com a corrupção, o desequilíbrio das contas públicas e as más notícias no seu governo (desemprego, inflação, queda no PIB) foram decisivos.
Os brasileiros
estão cada dia mais bem informados e têm maior acesso às modernas técnicas de comunicação. Com isso, exercem pressão crescente sobre os políticos. Os políticos e seus partidos, que se envolvem facilmente em escândalos, que não assumem responsabilidades, que não se preocupam com o bem comum, perdem seus apoios e sucumbem. Vamos ver os reflexos disso nas eleições municipais deste ano.
É oportuno
assinalar que na semana entrante – dia 06 de setembro – será comemorado o Dia do Alfaiate. Ele é o especialista em consertar, criar e confeccionar roupas exclusivas. A alfaiataria (de roupas masculinas e femininas) surgiu na Idade Média, por volta do século XIII, praticada nas corporações de ofício.
Nada de pensar
que a alfaiataria é uma profissão em extinção. Hoje os alfaiates dominam artes, técnicas e conhecimentos superiores. Eles são qualificados de costureiros ou estilistas, trabalham em ateliês ou estúdios. No Brasil, um terno feito sob medida, de boa qualidade e durabilidade, pode custar R$ 3 mil reais ou mais. Uma camisa, R$ 400 reais. E valem a pena.
O candidato
Flá Prandi, diz que vai recapear as principais avenidas e ruas da cidade durante o seu governo. E os R$ 4,5 milhões solicitados em empréstimo pelo prefeito Pedro Callado justamente para essa finalidade, onde estão? Ficará para a próxima gestão executar o recape?

Nenhum comentário:

Postar um comentário