Páginas

sábado, 27 de agosto de 2016

FOLHAGERAL

da redação

A mídia
divulgou que Pedro Callado é um dos coordenadores da candidatura de Flá Prandi e Garça nas eleições municipais deste ano. Isso pode render assuntos, no mínimo curiosos, que podem ficar gravados na história política da cidade. E a cidade?
Primeiro,
o prefeito será coordenador de uma candidatura reconhecidamente vitoriosa à sua sucessão, por não ter um concorrente sequer. Segundo, o prefeito pertence ao PSDB e os futuros eleitos pertencem a outros partidos: o titular ao DEM e o vice ao PMDB.
Ser coordenador
de uma candidatura nessas condições tem implicações – imediatas e futuras – que precisam ser avaliadas. No presente, pode gerar reações diversas (engraçadas ou sérias) contrárias ao prefeito e seu partido. E após as eleições, nos quatro anos de mandato dos eleitos? Os nomes do prefeito coordenador da campanha e do seu partido serão lembrados pela opinião pública insatisfeita (com pilhérias ou censuras).
Só prá lembrar
as eleições municipais de 2012. Não houve candidatura única. Mas Nice Mistilides (PTB) e Pedro Callado (PSDB), em nome da coligação Coragem e Determinação com Jales no Coração, foram apoiados por nove partidos políticos. Resultou em crise e bafafá.
Alguns dias
já se passaram após as definições das candidaturas e o dia das eleições ainda está um pouco longe. Neste tempo de transição, os "analistas" lá do botequim da vila apostam que – com todo esse imbróglio que antecedeu as convenções eleitorais – os tucanos vão levar duas secretarias municipais na próxima administração. E de peso.
Há mais
um comentário, que corre para acalorar as conversas políticas. Um tucano – que teria sido convidado, mas não aceitou disputar o cargo de prefeito – estaria agora com uma corda enrolada ao redor do pescoço. Isto é, podendo ser expulso da sigla.
O governador
Geraldo Alckmin inaugurou, na terça-feira (23 de agosto), mais uma unidade do programa Poupatempo. Foi em Sertãozinho, cidade de 100 mil habitantes, onde o prefeito é do PSDB. Jales é sede de microrregião – com 23 municípios e 150 mil habitantes – e o prefeito é do PSDB. Mas não tem Poupatempo.
Uma emenda
parlamerntar, no valor de R$ 700 mil, foi apresentada ao orçamento estadual pela deputada Analice Fernandes para instalação de uma unidade do Poupatempo em Jales. Mas emenda parlamentar é apenas uma solicitação para ser incluída no orçamento estadual.
Como não há
nada para contestar que o futuro prefeito jalesense está definido, acredita-se na união dos deputados federais Rodrigo Garcia (DEM) e Fausto Pinato (PP) que, com a deputada estadual Analice Fernandes (PSDB) articularam a candidatura única em Jales. Eles poderão contribuir na boa administração de Jales e conseguir o Poupatempo.
O Tribunal
de Contas do Estado (TCESP) determinou a paralisação da construção de 99 casas populares do CDHU em Jales, perto do cemitério novo, por ausência de ampla divulgação. Isto é, de publicação do edital em jornais de grande circulação.
Ora, ora,
faltando pouco para as casas serem concluídas, o TCE suspende as obras. Se houve negligência ou falha, deve ser responsabilizado o gestor público a época, diga-se, o então prefeito Humberto Parini (PT). E não suspender a obra, deixando 99 famílias esperando pelas suas casinhas. Com razão, isso virou piada nas rodas de conversas.
O município
de Jales está recorrendo, como também a empreiteira, da decisão do TCESP, alegando que houve publicação em jornais regionais e nos Diários Oficiais do Estado e da União.
Segundo
se divulgou sobre o uso de setores do aeródromo municipal sem licitação, o Procurador da República Carlos Alberto dos Rios Junior disse que o termo de permissão de uso foi firmado em fevereiro de 2014, ainda no mandato da prefeita Nice Mistilides, sem a realização de procedimento licitatório. Este fato culminou numa investigação, também então prefeita, pelo crime de dispensa indevida de licitação.
Os candidatos
a vereador precisam alertar seus cabos eleitorais, que fazem propaganda volante pela cidade, para que não abusem do som. Isso pode causar ojeriza por parte do eleitorado e funcionar contra os candidatos. Além disso, se estiverem despreparados – sem idéias realizáveis – para apresentarem aos cidadãos, vão ouvir muita coisa indesejável.
Até as 18 horas
da segunda-feira (22 de agosto), foram contabilizados 507 mil pedidos de registro de candidatura no país. Desse montante, 4.599 já foram deferidos pela Justiça Eleitoral, sendo 4.222 para vereador, 189 para prefeito e 188 para vice-prefeito.
Dos candidatos
que tiveram o pedido de registro concedido pela Justiça Eleitoral, 1.562 têm ensino médio completo, 934 têm ensino superior completo e 136 declararam que leem e escrevem. A maioria deles (724 candidatos) está na faixa de 45 a 49 anos. Apenas um candidato, na faixa de 85 a 89 anos, teve o pedido de registro deferido até o momento.
Relatórios

do Ministério Público Federal já apontam 5.179 candidatos com irregularidades para as eleições de 2016. O número foi obtido pelo Sisconta Eleitoral, sistema criado para receber e processar nacionalmente as informações de inelegibilidade pelos critérios da Lei da Ficha Limpa
A política
jalesense vive momentos desgastantes e de hipocrisia perante os olhos do povo.
A propaganda
eleitoral gratuita começa nesta sexta-feira, 26 de agosto, nas emissoras de rádio e se estende até o dia 29 de setembro. Qual será foi o grau de audiência? O que será que vai atrair a atenção do público? Curiosidade ou decisão diante do inevitável?

Nenhum comentário:

Postar um comentário