Páginas

sábado, 2 de julho de 2016

O professor e o aprendizado

*Flávio Carvalho

O professor deve estar sempre atento e acompanhando com interesse o desenvolvimento de seus alunos, pois os sintomas de dificuldades de aprendizagem aparecerão em sala de aula, e o professor será o primeiro a notar tais sintomas. Daí a importância do professor ter afeto, carinho pelos seus alunos, para que possa melhor perceber os sintomas. O professor deve sempre estar interessado no comportamento e bem-estar de seus alunos, e ao notar o surgimento de sintomas de dificuldades de aprendizagem deve encaminhar o aluno ao psicopedagogo, que terá melhor condição de avaliação, pois realizará um atendimento individualizado. Mesmo o professor sendo especialista em psicopedagogia ele deve encaminhar o aluno para uma avaliação clínica individualizada com outro psicopedagogo, pois a percepção do professor estará sempre contaminada devido ao inadequado número de alunos em sala de aula.

O professor deverá sempre conhecer o processo de aprendizagem, dominar técnicas pedagógicas, mas o mais importante é ter carinho e interesse pelo bem-estar de seus alunos. Nada substitui o carinho e a vontade de ajudar. Os alunos são a extensão da família do professor, já que na maioria das vezes o professor passa mais tempo com os alunos do que com seus filhos. É necessário que o professor tenha amor, respeito pelos seus alunos, e que estejam preparados para em muitas ocasiões assumirem os papeis de pais destes alunos, pais temporários.

Um professor que respeita e ama seus alunos, entende que o processo ensino-aprendizagem é uma via de mão dupla, ou seja, se ensina e também se aprende muito com seus alunos.

O principal, e o mais importante, papel do professor é o de detectar os sintomas de dificuldades de aprendizagem que aparecem em sala de aula, e ao detectar os mesmos, deve ele encaminhar o aluno para o adequado atendimento psicopedagógico.

O papel da escola: A escola hoje em dia, não possui apenas o papel de educar, é muito além, as escolas são importantes transformadoras das estruturas sociais, tendo como principal papel o de inserir adequadamente a criança na sociedade, como indivíduo do bem, e preparado para assumir o seu papel de cidadão na sociedade.

A escola tem que estar atenta, não somente no que tange ao processo educacional, mas com todos os aspectos intelectuais, emocionais, familiares, físicos e mentais apresentados pelo aluno.

A escola com toda a sua equipe deve: Prestar atenção e analisar todas as situações escolares que possam causar ou agravar os problemas de saúde física e mental dos alunos ; Conhecer o melhor possível a comunidade para melhor usar os recursos para solucionar os problemas;

Notificar doenças contagiosas (meningite, difteria, poliomielite, tuberculose, hanseníase e outras) às autoridades sanitárias;

Fazer um trabalho constante de orientação familiar no que tange as atividades educacionais visando a melhoria da saúde dos alunos.

Fazer um trabalho de conscientização e de registro de todas as atividades escolares nas reuniões de pais e mestres, certificando sempre que os pais tomaram ciência de toda situações expostas.

Para pensar: "É por isso que se mandam as crianças à escola: não tanto para que aprendam alguma coisa, mas para que se habituem a estar calmas e sentadas e a cumprir escrupulosamente o que se lhes ordena, de modo que depois não pensem mesmo que têm de pôr em prática as suas ideias", Immanuel Kant


*Flávio Rodrigo Masson Carvalho

equilibriumtc@hotmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário