Páginas

sábado, 25 de junho de 2016

A mídia e as crianças

*Flávio Carvalho

No dia 9 de junho de 2004 a Associação Americana de Psicologia (APA) e a Academia Americana de Pediatria (AAP) se reuniram para discutir a influência da mídia nas crianças. O Dr. Dale Kunkel, PhD da universidade do Arizona e a Dra. Sandra Calvert, PhD da Universidade Geogetown organizaram painéis de interesse público sobre os efeitos dos programas interativos nas crianças. Também foram discutidos pesquisas a respeito do tema, sugestões de programas educativos. O senador Sam Brownback e os comissários da Comissão Federal de Comunicação (FCC), Jonathan Adelstein, Michael Copps e Kathleen Abenathy também falaram no evento.

A mídia norte americana também é muito poluída, exercendo uma influência negativa na educação e formação das crianças e dos jovens americanos, mas a grande diferença é que eles discutem o assunto, procuram soluções, oferecem propostas e, informam a população.

Está na hora do Brasil começar a discutir este assunto. Muitas são as pessoas que se preocupam com a problemática, mas está na hora de unir forças, se organizar, para que sejam ouvidos. Muitos são os trabalhos a respeito do tema, mas estes trabalhos estão ainda muito restritos ao mundo acadêmico. Já passou da hora de se levantar um debate nacional sobre o assunto e, enquanto isso não acontece os pais devem começar a ficar atentos sobre o que seus filhos estão assistindo ou como estão usando o computador, principalmente no que tange a internet.

Os pais devem participar mais da vida de seus filhos, fazer mais de perto um acompanhamento dos passos e dos atos de seus filhos. Devem participar de uma maneira mais ostensiva na vida dos filhos, dialogando mais, ouvindo mais, aconselhando, tentar entender mais este universo em que eles vivem. As crianças e os jovens de hoje recebem uma quantidade absurda de informações e, como eles possuem uma enorme capacidade de assimilação acabam ficando com excesso de informações desencontradas e isto gera conflitos. Os pais devem estimular o uso de brinquedos e as brincadeiras que nossos avós usavam e faziam. Os pais devem estimular as crianças a fabricarem seus brinquedos em vez de compra-los prontos, assim estarão desenvolvendo a criatividade e gastando sadiamente o tempo. Os pais devem limitar o tempo de uso da TV e computador, devem participar mais da vida escolar de seus filhos. Sei que para seguir estas dicas, que é do conhecimento de todos os pais, requer tempo e, hoje em dia os pais precisam trabalhar, ganhar dinheiro para o sustento do lar e para prover a educação dos filhos. Mas pense bem, o dinheiro ganho hoje poderá ser usado com médicos ou terapia amanhã.

Pense mais na família, retome os rituais familiares que estão caindo no esquecimento, como o de fazerem as refeições juntos, de orarem juntos antes de dormir, de irem juntos à igreja, ao cinema, de fazerem as tarefas da casa juntos, como limpar o quintal, lavar o carro, etc. São medidas simples mas efetivas para a manutenção do núcleo familiar. Mostre os álbuns de família para seus filhos, fale mais sobre os avós, tios, primos, estimule seus filhos a terem contato com os familiares. Vá visitar parentes, convide-os para se reunirem em datas comemorativas ou feriados. Estimule o senso de família em seus filhos.

A televisão é muito usada para que os filhos deixem os pais sossegados. Muitas são as mães que agradecem o fato do filho ficar "quietinho" em frente a televisão, assim ela pode fazer as suas tarefas domésticas. É muito importante verificar a programação que seu filho está assistindo, estimule-o a assistir os canais educativos, que infelizmente são muito poucos, principalmente para os que não possuem tv a cabo.

Não se esqueça jamais que seus filhos é sua maior herança e a sua maior responsabilidade e, no mundo de hoje a mídia exerce uma poderosa influência na formação e educação de seu filho, por isso passe a ser mais atenta neste relacionamento de seus filho com a mídia. Aprenda a usar apenas o lado bom e instrutivo que a mídia pode oferecer à seu filho.

Aquele velho ditado: "Diga com quem andas, que direi quem tu és" , hoje em dia podemos acrescentar novos ditados: "Diga os programas que assiste, que direi quem tu és" ou "Diga os programas que seu filho assiste, que direi quem ele será". Flávio Rodrigo Masson Carvalho

equilibriumtc@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário