Páginas

sábado, 14 de maio de 2016

Safra da laranja é estimada em 245,74 milhões de caixas

A safra de laranja 2016/17 do principal parque citrícola do Brasil – que engloba 349 municípios de São Paulo e Minas Gerais – deverá ser de 245,74 milhões de caixas de 40,8 kg, segundo estimativa do Fundecitrus – Fundo de Defesa da Citricultura, anunciada nesta terça-feira (10).

A produção estimada é 18% menor do que a da safra 2015/16, na qual foram colhidas 300,65 milhões de caixas de laranja. A quebra se deve, principalmente às altas temperaturas na época da florada, que causaram a queda das flores e chumbinhos (frutinhos).

As variedades mais atingidas foram as tardias que terão um volume 20% menor do que na safra anterior. Do total, cerca de 9,59 milhões de caixas deverão ser colhidas no Triângulo Mineiro, principal região produtora de Minas Gerais. A produtividade média por árvore diminuiu em 19% na safra atual com a estimativa de 1,40 caixas/árvore, contra 1,73 caixas/árvore na safra passada.

O número médio de frutos por árvore em abril de 2016, sem considerar a queda que ocorrerá ao longo da safra, foi mensurado em 430 frutos por árvore, 14% menor em comparação com abril/2015, e a taxa média de queda estimada é de 15% até o final da safra.

A Pesquisa de Estimativa de Safra foi realizada de 28 de março a 28 de abril de 2016, por meio da derriça (colheita total) de 2.200 árvores distribuídas em todo parque citrícola, de acordo com idade, variedade e região. O trabalho é realizado pelo Fundecitrus em cooperação com a Markestrat, Unesp e FEA/RP-USP.
 
Parque citrícola encolhe 6%


O parque citrícola – maior região produtora de citros do Brasil, que engloba 349 municípios de São Paulo e Minas Gerais – encolheu 27,8 mil hectares no último ano, segundo o levantamento feito pelo Fundecitrus – Fundo de Defesa da Citricultura. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (10), juntamente com a estimativa da safra de laranja 2016/2017.

A área com pomares de laranja, incluindo todas as variedades, é de 416 mil hectares, 6% menor em comparação com 2015.

As variedades que somam 97% dos pomares totalizam 192 milhões, 3% menos que há um ano quando foi realizado o censo da citricultura. Dessas 175 milhões são produtivas, um aumento de 0,8 % em relação à última safra 2015/16. As árvores plantadas a partir de 2014 são consideradas improdutivas.

Mais de 90% do cinturão citrícola são formados por quatro variedades: Pera Rio, que lidera com 35% das árvores, seguida de Valência (29%), Hamlin (12%) e Natal (11%).

A maior perda de pomares por erradicação ou abandono ocorreu na região de Matão, que foi reduzida em 6.429 mil hectares (-18% do total). As reduções das demais regiões são: Limeira menos 5.107 hectares (-14% do total), Bebedouro com menos 4.820 hectares (-14 % do total), Porto Ferreira menos 4.677 hectares (-13% do total), e, Votuporanga menos 4.670 hectares (-13% do total).


Nenhum comentário:

Postar um comentário