Páginas

sábado, 21 de maio de 2016

Parte do todo

Reginaldo Villazón

 
O açúcar branco é péssimo alimento. Profissionais de saúde alertam que, na sociedade atual, ele é droga que vicia e veneno que mata. O melhor açúcar da cana é o melado, produto integral que mantém açúcares, minerais e vitaminas importantes à saúde. Já foi vendido e usado só como medicamento. Outro alimento energético integral, o mel de abelhas, nutre homens e animais desde tempos remotos. O mel tem mais de 180 componentes de alto valor nutricional e medicinal que o colocam na categoria de alimentos funcionais.

Segundo a FAO, em 2013 a produção mundial de mel atingiu 1,60 milhões de toneladas. Para se ter uma idéia, para transportar essa quantidade são necessários 80.000 containers de 20 toneladas do produto. Além do mel, as abelhas fornecem outros produtos – pólen, própolis e geléia real – com propriedades nutricionais, protetoras e restauradoras. Mais ainda, as abelhas polinizam um extenso número de espécies vegetais e assim reforçam a produção, a produtividade e a qualidade das safras agrícolas.

Os serviços ambientais prestados pelas abelhas acontecem em larga escala. Num único dia, uma colméia pode visitar flores numa área de 7,0 quilômetros quadrados. Isso explica como as abelhas – apenas com a polinização – são indispensáveis na tarefa de alimentar e vestir a humanidade. Tomates, maçãs, uvas, girassol, algodão e linho dependem da contribuição das abelhas. É certo que, se hoje as abelhas desaparecessem do planeta, a humanidade teria grandes dificuldades para sobreviver.

Foi por isto que a comunidade científica ficou inquieta com a redução em massa da população mundial de abelhas, a partir de 2006. Os estudos identificaram as causas: contaminação ambiental por agrotóxicos, desnutrição das abelhas por diminuição da flora natural, baixa resistência orgânica das abelhas, mudanças climáticas. Os agrotóxicos motivaram transtornos neurológicos, enfraquecimento imunológico e morte de abelhas. Estas apurações ajudaram a reduzir o aniquilamento das abelhas.

O modelo de agricultura chamado Agronegócio traz conseqüências negativas. A biodiversidade natural perde áreas para o cultivo de monoculturas e as poderosas indústrias químicas promovem o uso de agrotóxicos. Mas a luta ambientalista persiste. As abelhas existem há milhões de anos e não podem ser extintas. Elas integram um complexo sistema de sustentação da vida no planeta, que incorpora relações obrigatórias de dependência entre os elementos dos três reinos da natureza.

As abelhas são parte do todo, o grande organismo Terra. Isto faz lembrar os versos do poeta Gregório de Matos. "O todo sem a parte não é todo. A parte sem o todo não é parte. Mas se a parte o faz todo, sendo parte, não se diga que é parte, sendo todo." Esta verdade inclui o ser humano, ainda ignorante, que se diz autorizado por uma divindade a agir arbitrariamente sobre tudo o que existe. Pois vai suportar duras experiências até aprender a ser parte do todo universal, a coexistir em cooperação, a conviver em harmonia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário