Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Temperatura chega a ºC no Noroeste Paulista - A menor desde agosto de 2013

Depois de uma sequência de dias muito quentes que caracterizariam um abril com temperaturas acima da média histórica, ontem a menor temperatura na região Noroeste Paulista chegou a 10,9ºC em Pereira Barreto e Marinópolis. Já a Sud Mennucci registrou a mais alta temperatura mínima na região, com apenas 12,6ºC de acordo o Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira hospedado em http://clima.feis.unesp.br.

Em Ilha Solteira depois do recorde em temperaturas mínimas no ano registrado ontem com 11,8ºC, e temperatura média de 14,6ºC, nesta madrugada de 28 de abril de 2016, os sensores da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista operada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira registraram 8,3ºC às 04:37 horas. Temperaturas abaixo da registrada nesta madrugada ocorreram em apenas 0,9% dos dias e a última vez em 28 de agosto de 2013 com 4,3ºC, enquanto que a menor temperatura já registrada em Ilha Solteira foi de 0,4ºC em 10 de julho de 1994 conforme informa o Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira hospedado em http://clima.feis.unesp.br.

Em Pereira Barreto, a temperatura mínima hoje variou entre 9,9ºC (06:41 h - Estação Bonança) e 8,6ºC (06:13 h na Estação Santa Adélia) e Sud Mennucci às margens do rio Tietê a temperatura mínima hoje foi de 11,1ºC às 06:30 horas, abaixo dos 12,6ºC registrados ontem.

Marinópolis também registrou temperaturas muito baixas para a região chegando a 8,6ºC na manhã de hoje (05:33 h), a menor desde 21 de julho de 2014. Temperaturas iguais ou inferiores à 8,6ºC ocorreram em apenas 1,8% dos dias e a menor temperatura já registrada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira no município foi de 0,3ºC em 28 de junho de 2011.

Já às margens direita do rio Grande as menores temperaturas do ano foram registradas também hoje com 9,6ºC as 5:59 h em Paranapuã e 8,5ºC em Populina às 06:49 h. A menor temperatura já registrada pela Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista operada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em Populina foi de 1,2ºC em 28 de junho de 2011, porém, temperaturas abaixo ou iguais à 8,5ºC foram registradas em apenas 1,9% dos dias e aúltima vez foi em 20 de julho de 2014 quando foi registrado 7,3ºC.

Chuvas

Com abril terminando, foram apenas dois dias de chuvas no Noroeste Paulista e volume acumulado nos municipios que abarigam as Estações Automáticas (http://clima.feis.unesp.br/listaestacao.php) são:

ILHA SOLTEIRA = 92,5 mm

Pereira Barreto - ESTAÇÃO SANTA ADÉLIA = 85,9 mm

MARINÓPOLIS = 68,3 mm

ITAPURA = 95 mm

Pereira Barreto - ESTAÇÃO BONANCA = 94,2

Sud Mennucci - Estação SANTA ADÉLIA PIONEIROS = 98,1 mm

POPULINA = 25,9 mm

PARANAPUÃ = 50,5 mm

Evapotranspiração, chuva, frio e produção agrícola

O mês de abril estava marcado por elevadas taxas de evapotranspiração, que associadas à até 44 dias sem chuvas exigiam o funcionamento pleno dos sistemas de irrigação para agarantir o suprimento de água ao solo e plantas e as produtividades desejadas. De taxas de evapotranspiração entre 4-5 mm, com as chuvas e a frente fria a região passou a registrar taxas entre 2 e 3 mm/dia conforme ilustrado no gráfico abaixo. Evapotranspiração é a perda de água por evaporação do solo e transpiração das plantas e que deve ser reposta por chuva ou irrigação para a garantia de produtividades que garantem a sustentabilidade do negócio de produção de alimentos.

Para o Professor Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez, da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira "a chuva é sempre desejável porque garante aos produtores na região o armazenamento de água no solo necessário para o desenvolvimento das culturas e a busca pelas altas produtividades, além de recompor os níveis dos reservatórios e do lençol freático, porém exige atenção em relação às doenças que são favorecidas pela queda da temperatura e aumento da umidade relativa do ar".

No momento, nas áreas irrigadas no Noroeste Paulistas grande parte estão ocupadas com a culturas do milho na fase de pendoamento que favorece o aparecimento de doenças como ferrugem comum e mancha branca que causando grande prejuízo a lavoura, diminuindo sua produtividade. A mancha branca é considerada, atualmente, uma das principais doenças da cultura do milho no Brasil, estando presente em praticamente todas as regiões de plantio de milho no Brasil. As perdas na produção podem ser superiores a 60%.

Outra cultura bastante cultivada é o feijão que está recém plantado e são necessário cuidados para que não ocorra o aparecimento de antracnose e mofo branco, que causam queda das flores e frutos jovens, diminuindo o valor da produção ou até mesmo danos irreversíveis. A antracnose é uma das doenças de maior importância da cultura do feijoeiro, podendo causar perdas de até 100%. E uma doença cosmopolita, ocorrendo em locais de temperatura baixa a moderada e alta umidade. Por este motivo, é mais problemática em regiões de clima temperado e subtropical.


Nenhum comentário:

Postar um comentário