Páginas

sábado, 30 de abril de 2016

Novo sistema de atendimento das ligações 190

O Décimo Sexto Batalhão de Polícia Militar do Interior (16º BPM/I) vem a público informar que a partir de 02 de maio de 2016, estará em andamento a finalização da implantação da centralização do atendimento do número de telefone 190 para o acionamento de emergência da Polícia Militar em nossa região.

Isso significa que estas ligações serão recebidas e cadastradas pelos Policiais Militares atendentes do Centro de Operações da Polícia Militar de São José do Rio Preto (COPOM Rio Preto) e alguns em segundos já estarão na tela do computador do Policial Miliar na sede do Batalhão em Fernandópolis que fará o despacho da viatura para o atendimento da solicitação no município da ocorrência.

Umas das vantagens desta sistemática é que sua operação é feita inteiramente por Policiais Militares treinados especificamente para este fim, de maneira que o cadastro da solicitação se torna mais célere e técnica, inclusive com a gravação automática de toda a conversação entre o policial e o solicitante, resultando em maior eficiência profissional do atendimento como um todo, além de que o Policial Miliar da localidade que vai atender ao chamado, especialmente nos municípios de pequeno porte, ficam disponíveis unicamente para o atendimento da ocorrência.

O modo de trabalho no novo sistema é simples, mas para o cadastro sem demora da ocorrência pelo Policial Militar que atender o telefone 190, serão feitas ao solicitante algumas perguntas sobre informações básicas iniciais para somente após, ouvir as informações complementares da solicitação. Deste modo, esses dados preliminarmente coletados são imediatamente cadastrados e enviados ao computador do Policial Militar encarregado de despachar a viatura ao local da ocorrência.

A seguir informamos como serão as perguntas do atendente do telefone 190 ao solicitante da ligação:


Qual o município da ocorrência?

Qual o endereço?

O que está acontecendo?
É fundamental ao solicitante da ligação do telefone 190 responder estas perguntas iniciais ao Policial Militar que o estará atendendo para depois ele prosseguir na coleta dos demais dados como por exemplo, pessoas envolvidas, objetos, armas, veículos entre outras informações úteis para o fechamento do cadastro da solicitação.

Para tanto, é necessário que o solicitante compreenda a importância de saber com clareza:


o nome do município em que está;

o nome da rua e o número do imóvel (ou numeral mais próximo) do local da ocorrência;

simples narrativa do que houve, o que está ocorrendo ou o que está por ocorrer.
Este novo sistema teve início no final de 2013 e já estava em operação em cerca de 20 municípios da nossa região, entre eles, Fernandópolis, Nhandeara, Cardoso e cidades ao seu entorno e a partir de 02 de maio de 2016 todas as demais serão abrangidas conforme o seguinte previsão:

02/05/2016: Votuporanga;

03/05/2016: Cardoso e Riolândia;

04/05/2016: Jales e Santa Salete;

05/05/2016: Populina, Turmalina, Dirce Reis, Vitória Brasil, Aspásia, Mesópolis, Urânia, Dolcinópolis, São Francisco, Pontalinda, Paranapuã, Palmeira D’Oeste, Nova Canaã Paulista, Rubinéia, Santana da Ponte Pensa, Santa Clara D’Oeste, Marinópolis, Aparecida D’Oeste e Santa Albertina;

06/05/2016: Santa Fé do Sul;

09/05/2016: Três Fronteiras;

10/05/2016: Parisi;

11/05/2016: Américo de Campos e Valentim Gentil.

"Por fim, esclarecemos que esta sistemática que está sendo aplicado em todas as regiões do estado faz parte da diretriz da Polícia Militar do Estado de São Paulo como ação de aprimoramento profissional visando a constância na melhoria do atendimento ao cidadão", diz o Tenente Coronel PM Antonio Umildevar Dutra Junior, comandante do 16º BPM/I.

Nenhum comentário:

Postar um comentário