Páginas

sábado, 15 de julho de 2017

Vereadores questionam o prefeito sobre vários assuntos

Na sessão ordinária de segunda-feira, 10 de julho, os vereadores apresentaram vários requerimentos aprovados por unanimidade ao prefeito Fla Prandi (DEM|), questionando-o soibre vários assuntos referentes ao Município.

O vereador Adalberto Francisco de Oliveira Filho - Chico do Cartório (PMDB) quer saber do prefeito Flá, sobre a possibilidade de implantar um novo terminal rodoviário de passageiros e dar nova destinação ao prédio atual. Um grupo de trabalho proposto pelo Poder Executivo já estudou alternativas para fixar um novo terminal rodoviário, entre elas, terrenos com melhor localização: "Tem que mudar para um lugar perto da rodovia, onde, na maioria das cidades são [os terminais]. Os ônibus têm que entrar na cidade para poder deixar os passageiros. Desocupando ali [o prédio], dá para fazer muitas coisas com aquele terminal rodoviário", disse Chico.

Para o vereador, com a desocupação, o prédio do Terminal "Prefeito José Antônio Caparroz" poderia ser utilizado para outros fins, como por exemplo, uma nova sede do Paço Municipal.


O petista Luís Fernando Rosalino (foto) solicitou informações ao prefeito Flá Prandi sobre repasses de recursos do "Programa Brasil Carinhoso".  O Programa é uma iniciativa do Governo Federal e visa dar apoio financeiro às creches públicas ou conveniadas de modo a aumentar a quantidade de matrículas de crianças entre 0 e 48 meses. Os recursos são enviados aos municípios para custear despesas com manutenção e desenvolvimento da educação infantil, contribuir com a segurança alimentar e garantir a permanência da criança na educação infantil.

"Eu acho interessante fiscalizar para onde vai esse dinheiro. Eu desconfio que algumas verbas, que deveriam financiar creches, estão financiando escolas. Eu quero que nós tenhamos uma estrutura para as crianças, nas creches, de acordo com o que elas recebem institucionalmente", disse o vereador.

Rosalino questiona qual a destinação dada à verba recebida pela Prefeitura em 2016, acompanhada da comprovação legal da compra de cada item e o nome da unidade para a qual os itens foram destinados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário