Páginas

sábado, 3 de junho de 2017

Meu filho de quatro patas

 
Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE
– Orleans - SC equilibriumtc@hotmail.com
 
Dizem que sou exagerado,
 
Dou muito amor à um cãozinho,
Quem diz nunca foi amado,
Ele é o meu filhinho.
Receita para aprender amar,
 
Conhecer tal sentimento,
Basta um cão adotar,
É mais que um experimento.
Mas adote com responsabilidade,
 
E muita sabedoria e razão,
Trate-o com dignidade,
Pois ele vai preencher seu coração.
O cão não é um brinquedo,
 
Ele é cheio de sentimentos,
Ele sente dor e medo,
Prepara para esses momentos.
Dizem que somos mais evoluídos,
 
Que somos um nível superior,
Mas nós é que estamos perdidos,
E eles que nos dão muito amor.
Questiono a escala evolutiva,
 
Ainda não tenho tal fidelidade,
Sou ainda criatura vingativa,
Tenho resquícios de maldade.
Dizem que meu cão é ignorante,
 
Que não consegue pensar,
Mas ele me fez importante,
Pois foi ele a me adotar.

Ele é especial até no latir,
 
E entendia tudo que falava,
Precisou ele partir,
Para saber quanto o amava.
Não tenho vergonha de dizer,
 
E muito menos de demonstrar,
Que todos possam saber,
Com meu cão aprendi a amar.
Mas nunca como ele me amou,
 
Com este sentimento verdadeiro,
Pude saber mais quem sou,
E me amou por inteiro.
Ele me ama de verdade,
 
De todo o coração,
Não retribuía em igualdade,
Aprendi a amar com um cão.
Todo cão é especial,
 
Não importando a raça,
Vai te amar sem igual,
Até mesmo na desgraça.
Só queria estar perto de mim,
 
Não pedia nada mais,
E foi assim até o fim,
Fidelidade e amor demais.
São mesmo seres especiais,
 
Que Deus criou,
São criaturas celestiais,
Que Ele nos presenteou.
O meu filhinho partiu,
 
O céu é sua nova morada,
Eu fui o que mais sentiu,
Voltará para nova empreitada.
Que os anjos o recebam,
 
E o preparem para voltar,
E antes que percebam,
Vamos nos reencontrar.
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário