Páginas

sábado, 8 de abril de 2017

Minha Biografia

Flávio Rodrigo Masson Carvalho Professor do UNIBAVE – Orleans - SC
equilibriumtc@hotmail.com


Escolhido entre mais de um milhão,

E ai comecei a morrer,

Com o ato da fecundação.

Nasci simples e ignorante,

E continuei morrendo,

O nascimento é traumatizante.

Estava seguro no ventre materno,

E continuei morrendo,

Nasci as portas do inverno.

Fui protegido na primeira infância,

E continuei morrendo,

Continuei na ignorância.

Na infância comecei ouvir vozes,

E continuei morrendo,

Descobri alguns algozes.

Na infância via espíritos,

E continuei morrendo,

Desmistifiquei alguns mitos.

Ignorante, me achei especial,

E continuei morrendo,

Adentrei muito cedo o sobrenatural.

Muito cedo precisaram me ajudar,

E continuei morrendo,

Na escuridão, busquei me orientar.

Foi na casa espírita que vi a luz,

E continuei morrendo,

Aprendi sobre Jesus.

Estudando a Doutrina do Amor,

E continuei morrendo,

Aprendi muito mais com a dor.

Aprendi que ver espíritos é natural,

E continuei morrendo,

Mas agora me sentia um igual.

Não me sentia mais um escolhido,

E continuei morrendo,

Mas não me sentia mais perdido.

Aprendi onde buscar a felicidade,

E continuei morrendo,

O caminho é a caridade.

Fora da caridade, não há salvação,

E continuei morrendo,

É a principal lei da evolução.

Descobri que meu pai vive,

E continuei morrendo,

Agora ele está livre.

Tinha muito que estudar,

E continuei morrendo,

Precisava urgente melhorar.

Cresci, ainda com muitas questões,

E continuei morrendo,

Não me livrei de todas as ilusões.

Cresci, mas não sem sofrimentos,

E continuo morrendo,

Mas também tive lindos

momentos.

Da minha vida toda, fiz uma análise,

E continuo morrendo,

Descobri a Espiritoanálise.

Aprendi a usar a minha mediunidade,

E continuo morrendo,

Me sinto capaz de ajudar a humanidade.

Mediunidade não é um presente de Deus

E continuo morrendo,

É uma ferramenta para ajudar os seus.

Hoje me sinto mais preparado,

E continuo morrendo,

Pois sou por mim mais amado.

Não quero mais só aprender com a dor,

E continuo morrendo,

Quero aprender com o amor.

Em breve meu corpo vai morrer,

E continuarei vivendo,

E livre meu espírito vai ser.
 
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário