Páginas

sábado, 4 de março de 2017

FOLHAGERAL

da redação


O secretário
 
Nilton Suetugo (foto) – da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana –, em virtude da homologação de licitação pertinente sem ocorrência de qualquer empecilho, disse que o recape asfáltico nas vias públicas da cidade de Jales poderia começar na segunda-feira (dia 6).
Só que
o melhoramento começou nesta sexta-feira (03) pela principal avenida do perímetro central, cujas ruas receberão primeiramente o recape, chegando ao final da execução em aproximadamente 138 mil metros quadrados de recape e um custo de mais de R$ 3 milhões. Uma empresa de Santa Fé do Sul vai executar o serviço de recape.

Os cuidados
com a cidade tem na Prefeitura o seu principal agente responsável. Quando a Prefeitura cumpre bem suas tarefas de limpeza, conservação e manutenção dos bens públicos, a comunidade pode ser motivada com sucesso a dar sua parte de contribuição. Não sujar a cidade, usar as lixeiras e respeitar os bens públicos viram obrigações para os cidadãos.
O vereador
Tiago Abra (PP) quer informações do prefeito Flá Prandi (DEM). Solicitou por escrito, com a aquiescência de seus pares na Câmara Municipal, cópias das portarias referentes à nomeação de todos os ocupantes de cargos comissionados, baixadas de 1º. de janeiro até o momento.
As nomeações,
alvo de análise do vereador Tiago, referem-se a ocupantes do primeiro, segundo e terceiro escalações da administração municipal jalesense. Nome por nome. Seja o que for, que o vereador deseja conferir, ele estará prestando bom serviço à Prefeitura e à comunidade.
Segundo
os "analistas" lá do botequim da vila, várias nomeações para cargos comissionados na administração de Jales devem acontecer até o mês de junho. E, dizem os "analistas", uma possível queda de arrecadação a partir de junho deve fazer parte das preocupações dos gestores municipais, visando evitar a entrada da Prefeitura num atoleiro.
Diante da
crise financeira que assola o país, os municípios estão buscando alternativas, na tentativa de evitar gastos desnecessários e melhorar os investimentos em benefício da população. O fim da publicação de atos oficiais em jornais impressos está sendo uma dessas alternativas. Passa a ser publicados no Diário Oficial Ekletrônico (DOE) que chega mais rápido e com fáci acesso. Eis um bom exemplo de como economizar gastos.
Com ouvidos
atentos no que pode acontecer, os "analistas" do botequim da vila revelam que a administração municipal de Jales poderá adotar esse novo sistema de publicação de atos oficiais. Tomara que sim. Meditas econômicas inteligentes devem ser estimuladas.
Pode ser
que gestores municipais tenham que respeitar acordos políticos e econômicos com jornais impressos, precisando manter as publicações nesses veículos por algum tempo. Mas não adianta prolongar com prejuízo o que não é mais necessário.
A inexistência
de oposição produz estagnação política. As notícias políticas desaparecem, os noticiários da imprensa e do rádio ficam pobres. Em Jales, o PSDB – que preferiu abrir mão de candidatura à Prefeitura em 2016 – fez acordos que o colocam longe de liderar uma oposição.
Hoje, o PSDB
jalesense está desaparecido do noticiário. Se continuar assim, sem dar conta que existe, vai sumir também dos acontecimentos políticos locais. O partido perdeu sua liderança, perdeu o rumo e a força da sua presença política.
Outros
partidos locais também enfraqueceram, como o PTB de Nice Mistilides e o PT de Luis Especiato. Vão ter que realizar grandes esforços políticos para ganharem de novo a atenção do povo, sem a qual só é possível andar de carona em outros partidos.
O PP conta
com dois vereadores na ativa, mas está dividido. O vereador Tiago Abra quer ter independência política, sem se envolver diretamente com a administração municipal. Por outro lado, o vereador Macetão prefere caminhar próximo à administração municipal com o intuito de alavancar louros para a sua jornada política.
Os demais
partidos políticos locais vão depender do desempenho dos seus representantes no Executivo e no Legislativo. Como sabemos, quatro anos não passam, voam. Os políticos locais que estão no poder vão ter que mostrar muito serviço à população.
Numa edição
passada, esta coluna publicou uma foto, registrando uma placa de sinalização de estacionamento proibido para veículos, na Avenida Maria Jalles. Nada deve justificar aquela placa, naquele local, já que lá existem terrenos vagos tomados pelo mato. Até agora, não há explicação nem providência do órgão público competente.
Falando em
placa de sinalização de trânsito, a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Mobilidade Urbana já deve estar estudando o tempo limite de estacionamento para deficientes e idosos na área Azul da cidade. Ou vai ficar como está? Abusando da paciência dos demais pelo privilégio do tempo ilimitado para estacionar seu veículo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário