Páginas

segunda-feira, 6 de março de 2017

A liderança das mulheres


Luiz Gonzaga Bertelli*
 
A cada ano, as mulheres conquistam mais e mais o protagonismo no mercado de trabalho, vencendo merecidamente as barreiras do preconceito e da desvalorização. É verdade que, em um mundo tradicionalmente machista, existam ainda resquícios que esbarram em baixos salários e desvantagem na carreira profissional, mas a realidade vem mudando.
Dados do IBGE mostram que 37,5% das famílias no país são sustentadas por mulheres. O fato de terem menos filhos e mais tardiamente fez com que elas lutassem por seu espaço no mercado de trabalho. E com suas características de organização e liderança, alcançaram um ambiente propício para o sucesso profissional. Não faltam exemplos de dedicação e talento no mundo dos negócios como Luíza Trajano, da rede de Lojas Magazine Luíza; Zica Assis, do Instituto Beleza Natural; Sônia Hess, da Dudalina; Chieko Aoki, do Blue Tree Towers, entre muitas outras. São mulheres que apesar das dificuldades superaram todas as barreiras e ascenderam profissionalmente.
A renda também melhorou nos últimos dez anos (medida entre 2004 e 2014), mas ainda não o suficiente para se equiparar aos ganhos masculinos. É por isso que na semana comemorativa do Dia Internacional da Mulher é importante que esses assuntos estejam em pauta para que as reflexões não cessem, com o intuito de aumentar a permanência das mulheres no mercado de trabalho com garantias de igualdade e ascensão profissional.
O CIEE, com 53 anos dedicados à inserção dos jovens no mercado de trabalho, orgulha-se de estar bem representado pelo poder feminino, nas mais de 350 unidades e postos de atendimento da instituição pelo Brasil. Elas são maioria entre os colaboradores, ocupando também importantes cargos de liderança. Além disso, as mulheres também dominam o banco de dados do CIEE, sendo maioria nos programas de estágio.
Por muitos séculos a mulher esteve ligada à atividade doméstica, cuidando dos filhos e do marido. A jornada dupla continua, mas as perspectivas para o futuro é de um maior compartilhamento das funções domésticas com o marido e os filhos, para que possam buscar o crescimento profissional, aproveitando a própria qualificação na experiência prática do estágio e aprendizagem.
 
*Luiz Gonzaga Bertelli é presidente do Conselho de Administração do CIEE, do Conselho Diretor do CIEE Nacional e da Academia Paulista de História (APH).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário