Páginas

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Maio teve chuvas acima do eperado no Noroeste Paulista


 
O mês de maio se encerra com chuvas acima da média, granizo em algumas localizades e ventos fortes no Noroeste Paulista. Por volta das 19 horas do dia 30 de maio de 2016, o Noroeste Paulista foi atingido por chuva e ventos fortes em algumas regiões. A Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista que monitora a região e é operada pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira registrou ventos de até 42,6 km/h em Populina nesse horário e registrou 20,6 milímetros em apenas 1 hora que totalizou 31,8 mm ao final do dia. No início da noite de segunda-feira, o vento forte trouxe prejuízos em vários locais na cidade de Aparecida d´Oeste, contudo a Estação Marinópolis, a mais próxima, registrou velocidade máxima de apenas  15 km/hora às 19:10 horas.

Na região de Penápolis, Adolfo e José Bonifácio também se registrou chuva de granizo, situação rara no Noroeste Paulista.
Ontem - diferente de segunda-feira que registros expressivos volumes de chuva - a chuva foi de baixa intensidade em toda a região e assim o mês de maio se apresenta como um mês atípico devido as precipitações que caíram ao longo do mês. As regiões de Itapura e Sud Mennucci são os maiores destaques, chovendo quase 4 vezes mais do que o esperado para esse mês. Na média, o volume total de chuvas no Noroeste Paulista representou mais de 65% do esperado para o ano todo, é o que informa a  Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira.

Em Pereira Barreto, a Estação Santa Adélia registrou em volume de chuvas quase 3 vezes maior que o esperado para o mês, totalizando 136 milímetros. Ilha Solteira registrou 135 mm, representando mais que o dobro do esperado.



Todos os municípios monitorados apresentaram precipitação além do esperado e 60% do volume de chuva que é esperado para o ano inteiro no acumulado dos meses de janeiro até maio. Sud Minnucci é o município que se destacou com 78% de chuva do que era esperado para o ano todo, atingindo os 951,6 milímetros até agora. 

Em seguida vem Itapura com 64% do acumulado de chuva dos meses de janeiro a maio em relação do que é esperado para o ano inteiro registrando 760,5 milímetros até esse mês. 



O mês de abril estava marcado por elevadas taxas de evapotranspiração, que associadas à até 44 dias sem chuvas exigiam o funcionamento pleno dos sistemas de irrigação para a garantir o suprimento de água ao solo e plantas e as produtividades desejadas. Já no mês de maio as taxas de evapotranspiração entre 4-5 mm não tiveram vez e com o volume de chuva e a frente fria na região, as taxas passaram a registrar entre 2 e 3 mm/dia conforme ilustrado no gráfico abaixo.


O Noroeste Paulista amanheceu com muita neblina e por várias horas a umidade relativa se manteve em 100% esta manhã. Aos agricultores, a preocupação é com a possível ocorrência da antracnose favorecida pelas condições climáticas atuais.


Internauta, a Imprensa e demais interessados podem receber informações climáticas e os resultados das pesquisas através do press-releases bastando fazer o cadastro a partir de http://www.agr.feis.unesp.br/faleconosco.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário